Bolsonaro ataca documentos oficiais sobre mortos da ditadura

"O que eu sei é que não tem nada escrito de que foi isso ou foi aquilo. O meu sentimento é esse", diz Bolsonaro sobre mortos da ditadura

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Jair Bolsonaro atacou nesta terça (30) os documentos sobre as vítimas da ditadura militar e o trabalho da Comissão da Verdade. Questionado pela imprensa se prestaria esclarecimentos ao Supremo Tribunal Federal sobre as circunstâncias da morte de Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB Felipe Santa Cruz, Bolsonaro respondeu que não existem documentos oficiais sobre isso.

“O que eu sei é que não tem nada escrito de que foi isso ou foi aquilo. O meu sentimento é esse”, disse.

Também perguntado se essa versão dele não contraria as informações levantadas pela Comissão Nacional da Verdade, Bolsonaro respondeu: “Você acredita em Comissão da Verdade? Você acredita no PT?”

Bolsonaro afirmou na segunda (3) que o Fernando Santa Cruz, pai de Felipe, presidente da OAB, foi alvo de “justiçamento” por militantes de esquerda que o executaram durante a ditadura militar. A versão do presidente contraria documentos da Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos, que identificou que agentes do Estado foram responsáveis pelo assassinato de Fernando em 1974, quando Felipe tinha 2 anos.

“Nós queremos desvendar crimes. A questão de 1964, não existem documentos (dizendo) se matou, não matou, isso aí é balela. […] Você quer documento para isso, meu Deus do céu. Documento é quando você casa, você se divorcia. Eles têm documentos dizendo o contrário?”, desdenhou Bolsonaro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora