Bolsonaro diz que seria “golpe” isolar presidente por coronavírus

Após ter contato com mais de 270 pessoas no dia 15/3, Bolsonaro dispara: "Se eu me contaminei, ninguém tem nada a ver com isso"

Foto: Sergio Lima/AFP

Jornal GGN – Nesta segunda (16), Jair Bolsonaro voltou a menosprezar o avanço do coronavírus e a minimizar sua participação nos protestos de 15 de março, contra o Congresso e o STF.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, ele disse que não vê elementos para um processo de impeachment contra ele e acrescentou que um presidente não pode ser “ameaçado” nem isolado por causa do coronavírus.

“Seria um golpe isolar o chefe do Poder Executivo por interesses outros que não sejam os republicanos”, disparou.

Bolsonaro deveria estar em auto-quarentena e sob monitoramento após ter contato com diversos assessores que foram infectados por coronavírus após viagem aos Estados Unidos, na semana passada. O presidente testou negativo para a doença, mas deve repetir o exame em alguns dias.

Sem seguir as recomendações médicas e furando o consenso por isolamento, Bolsonro chegou a ter contato com mais de 270 pessoas somente no domingo. Ele apertou a mão de pelo menos 140 delas. O jornal Estadão fez o levantamento a partir da análise das imagens do protesto, em que Bolsonaro interagiu fisicamente com seus seguidores.

Cobrado durante a entrevista à rádio, ele disparou: “Se eu me contaminei, isso é responsabilidade minha. Ninguém tem nada a ver com isso.”

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mauricio Jacob Filho

- 2020-03-19 15:33:34

Eu diria que "bozo" é um perfeito idiota, porém, ninguém é perfeito, ele se esforça para atingir a perfeição, ahh como ele se esforça.

Jair Oliveira

- 2020-03-16 13:15:01

O Bolsonaro é de difícil convívio. Super ignorante, com lapsos de parecer ser um débil mental ou um completo idiota, e é muito maldoso. Governa o país de forma precária, cheio de arroubos. Está difícil para o Brasil. Não reune as mínimas condições psicológicas para ser chefe de governo.

Rui Ribeiro

- 2020-03-16 12:24:55

Se o Bolsonaro tiver sido contaminado ontem, ninguém tem nada a ver com isso, mas se ele, que viajou para os EUA junto com no mínimo 5 coronários, contaminou alguém, todo mundo tem a ver com isso, pois é crime: O Código Penal estatui: "Epidemia Art. 267 - Causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos: Pena - reclusão, de dez a quinze anos. (Redação dada pela Lei nº 8.072, de 25.7.1990) § 1º - Se do fato resulta morte, a pena é aplicada em dobro. § 2º - No caso de culpa, a pena é de detenção, de um a dois anos, ou, se resulta morte, de dois a quatro anos. Infração de medida sanitária preventiva Art. 268 - Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa: Pena - detenção, de um mês a um ano, e multa. Parágrafo único - A pena é aumentada de um terço, se o agente é funcionário da saúde pública ou exerce a profissão de médico, farmacêutico, dentista ou enfermeiro".

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador