Bolsonaro diz que Witzel usa caso Marielle para prejudicá-lo

Irritado com reportagem da TV Globo, presidente diz que Witzel sabia de depoimento de porteiro

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) abusou da agressividade para se defender de reportagem veiculada na TV Globo nesta terça-feira (29). Em live de quase uma hora feita via Facebook, ele não só criticou a emissora de televisão como acusou o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) de conduzir o processo para prejudica-lo.

A retaliação de Bolsonaro teve como base uma reportagem apresentada no Jornal Nacional, com base em depoimento à Polícia Civil de um porteiro do condomínio onde o presidente tem casa no Rio de Janeiro.

Informações do jornal Folha de São Paulo mostram que o ex-policial militar Élcio Queiroz, suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle e do motorista Anderson Gomes em março de 2018, disse na portaria que iria à casa do então deputado Jair Bolsonaro no dia do crime. Contudo, os registros de presença da Câmara dos Deputados mostram que Bolsonaro estava em Brasília nesse dia.

O presidente não só negou seu envolvimento na morte de Marielle como acusou Witzel de conduzir o processo para ataca-lo. Embora o processo esteja sob segredo de Justiça, Bolsonaro afirmou que Witzel tratou do assunto com ele em evento no Clube Naval do Rio de Janeiro.

Para Jair Bolsonaro, Witzel está conduzindo o processo “para manchar” seu nome e teria vazado essa informação por ser pré-candidato à disputa presidencial em 2022 e estar empenhado em, segundo ele, “destruir a família Bolsonaro”.

A TV Globo também foi alvo das críticas do presidente. Bolsonaro ameaçou a emissora de não ter sua concessão renovada em 2022, de acordo com a Folha de São Paulo. “Não vou persegui-los, mas o processo vai estar limpo. Se o processo não estiver limpo, legal, não tem renovação da concessão de vocês, e de TV nenhuma. Vocês apostaram em me derrubar no primeiro ano e não conseguiram”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que a emissora tem por objetivo prender seu filho e senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por suspeita de lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa na época em que era deputado estadual.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora