Bolsonaro e Ernesto Araújo reagem a aprovação de aborto na Argentina

Presidente e ministro lamentam decisão tomada pelo Senado do país vizinho, e usam redes sociais para se colocarem como “defensores da vida”

Ernesto Araújo (esq.), ministro das Relações Exteriores, e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, usaram suas redes sociais para criticar a Argentina, que legalizou o aborto até a 14ª semana de gestão.

As manifestações foram feitas via Twitter. Araújo compartilhou a reprodução de uma notícia do jornal El País, e afirmou que o Brasil “permanecerá na vanguarda do direito à vida e na defesa dos indefesos”

Bolsonaro disse lamentar pelas vidas das crianças argentinas, “agora sujeitas a serem ceifadas no ventre de suas mães com anuência do Estado”.

“No que depender de mim e do meu governo, o aborto jamais será aprovado em nosso solo”, disse.

A sessão que aprovou a autorização do aborto na Argentina durou 12 horas e terminou em 38 votos a favor, 29 contra e 1 abstenção. Com isso, a Argentina se torna o primeiro grande país da região a permitir a prática, antes só possível em Cuba, no Uruguai, na Guiana e em partes do México.

No Brasil, o artigo 128 do Código Penal autoriza o aborto “se não há outro meio de salvar  a vida da gestante” e no caso de gestação resultante de estupro, desde que com o consentimento da vítima.

 

(com O Estado de S.Paulo)

Leia Também
Bolsonaro é nomeado “Pessoa Corrupta do Ano” por grupo global de jornalistas
“Toca a vida…”, diz Bolsonaro sobre pandemia, em caminhada pela praia
“Como eu faço para a polícia parar de ameaçar meu filho?”: Mãe de jovem preto denuncia abusos
Argentina entra para seleto grupo da América Latina que o aborto é legal, confira
Argentina aprova direito da mulher de optar pelo aborto

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora