Bolsonaro exalta auxílio, mas diz que ele “não é para sempre”

Em viagem ao Pará, presidente adota tom paternalista para dizer que pagamento aos pobres afetados pela pandemia custa caro aos cofres do governo

Presidente da República, Jair Bolsonaro durante Visita à Agência-Barco da Caixa Ilha do Marajó. Foto: Anderson Riedel/PR (via fotospublicas.com)

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro exaltou o auxílio emergencial pago a quem foi mais afetado pela pandemia do coronavírus, mas voltou a afirmar que o benefício “não é para sempre”.

Segundo o portal UOL, as declarações do presidente foram dadas no Pará, onde ele usou o benefício como uma bandeira de seu governo. Bolsonaro tem aumentado suas viagens para o Norte e Nordeste, como forma de tentar uma aproximação com foco nas eleições de 2022.

Quando falou do auxílio emergencial, Bolsonaro adotou um tom paternalista e pediu para a população ter isso em mente. “O auxílio emergencial não é para sempre (…) até porque é caro demais para a União. É pouco para quem recebe, reconheço, mas caro demais para a União”, declarou ele, que esteve na cidade paraense de Breves durante evento para divulgar a instalação de uma rede 4G na região.

O auxílio emergencial é um dos fatores que tem ajudado Bolsonaro a aumentar sua popularidade e a de seu governo, em especial no Nordeste – tradicionalmente apontado como reduto eleitoral do PT.

 

Leia Também
Governo deve buscar outras fontes de recursos e não privatizações, defende FENAE
Bolsonaro é pressionado a dar dinheiro do Fundeb a escolas ligadas a igrejas
“Acabei com a Lava Jato”: as medidas de Bolsonaro
Em live, Bolsonaro defende Kassio, ataca Kirchner e ironiza apoio a Chávez

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora