“Cala a boca já morreu”: Associação Brasileira de Imprensa repudia censura a Luis Nassif e GGN

Na nota assinada pelo presidente Paulo Jerônimo, a ABI informa que ingressará na ação em defesa da liberdade de expressão do GGN, que foi censurado judicialmente a pedido do BTG Pactual

Jornal GGN – A ABI, Associação Brasileira de Imprensa, emitiu uma nota pública em seu site apoiando o GGN contra a censura judicial imposta a 11 reportagens assinadas por Luis Nassif e a repórter Patrícia Faermann, que citam o banco BTG Pactual. Sob pena de multa de R$ 10 mil por dia, o site foi obrigado a remover todo o conteúdo do ar. O GGN vai recorrer da decisão.

Na nota assinada pelo presidente Paulo Jerônimo, a ABI informa que “por acreditar e defender o ‘cala boca já morreu’, da ministra Cármen Lúcia, do STF, está buscando, por meio de sua assessoria jurídica, ingressas na ação, na condição de ‘amicus curiae’, para defender o direito à liberdade de expressão do jornalista Luis Nassif.”

Saiba mais:

Grande mídia deveria dar sequência às matérias do GGN sobre o BTG, diz Fernando Haddad

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora