Coronavírus: Com alta de internações, Covas ainda afirma que pandemia está “estabilizada”

Apesar do negaciosismo sobre a necessidade de novas restrições de isolamento social, prefeitura abriu novos leitos e paralisou plano de reabertura das escolas

Jornal GGN – O prefeito de São Paulo e candidato a reeleição, Bruno Covas (PSDB), afirmou nesta quinta-feira, 19, que não há motivos para ampliar novas restrições sobre a flexibilização da quarentena na cidade, uma vez que a pandemia de Covid-19 está “estabilizada”. As informações são da Folha de S. Paulo. 

As declarações de Covas acontecem no momento em que hospitais particulares da cidade alertam para o crescimento no índice de internações da doença, só no Hospital Albert Einstein a alta foi de 66%, de acordo com boletim da última segunda-feira. Hoje, a Secretaria Municipal de Saúde informou que 76% dos leitos de UTI na rede privada estavam ocupados.

Além disso, dados da Secretaria apontam que as internações por Covid-19 na rede municipal saltou 26% na última semana, atingindo o mesmo nível do início de outubro.

Em meio ao cenário,  especialistas alertam para a necessidade de restrições sobre as medidas de isolamento social. Mas, segundo a gestão de Covas, o aumento de internações das últimas semanas “está dentro dos padrões de oscilação da doença”, sendo assim o momento não é de restringir as regras nem de ampliar as liberações.

“Não há nenhum número que indique necessidade de lockdown ou de retroceder na flexibilização que já foi feita. Também não é o momento de ampliar [as autorizações]”, disse o prefeito.

Mas, apesar de afirmar que a pandemia está “estabilizada”, a prefeitura anunciou a abertura de 200 leitos de enfermaria nos hospitais de Brasilândia, Parelheiros e Bela Vista Irmã Dulce, voltados ao atendimento de casos leves de coronavírus.

Além disso, Covas decidiu paralisar o plano de reabertura das escolas da capital. As aulas regulares para o ensino médio continuam, mas as intuições não terão novas autorizações de funcionamento presencial. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A urgência faz a diferença, por Alon Feuerwerker

3 comentários

  1. Vai ser bastante difícil segurar por mais 10 dias, algo que piora dia-a-dia e não dá para esconder dizendo que é problema da TI

  2. A pandemia está estabilizada no estado de SP, no dia de ontem foram 34.000 novos casos e 750 óbitos.
    Neste padrão de estabilização, só resta fazer as contas prá saber em quantos anos estado de SP.

  3. Foi comentar o mesmo que comentei em outro post.
    Em São Paulo, em plena pandemia, a USP sedia um evento de barcos para ricaços e pessoas com condições de pagar 70 reais por um ingresso.
    As negociações para este evento teriam acontecido no pior mês da pandemia, em julho.
    Não apenas a USP, mas pela Secretaria de Turismo do estado de São Paulo.
    Esse Plano São Paulo parece não ter nada de médico, só os negócios interessam..
    Curiosamente, era para o estado todo entrar na fase verde, salvo engano. Quer dizer, parece que já tinha gente contando com o ovo que não foi botado. Estranho.
    Essa hipocrisia, essa canalhice que não termina.
    Autorizado pela Reitoria, evento privado “São Paulo Boat Show” deverá levar milhares à Raia Olímpica em plena pandemia – https://www.adusp.org.br/index.php/defesauniv/3919-boatshow

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome