Decisão de Fux desrespeita Parlamento, segundo Maia

Presidente da Câmara reage à decisão do ministro do STF sobre suspensão da adoção da figura do juiz de garantias

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Foto : Marcelo Camargo/Ag. Brasil (via fotospublicas.com)

Jornal GGN – A decisão do ministro Luiz Fux, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, de suspender a adoção da figura do juiz de garantias é desnecessária e desrespeitosa, na visão do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados.

“Eu acho que a decisão do ministro Fux é desnecessária e desrespeitosa com o Parlamento brasileiro e com o governo brasileiro, com os outros Poderes”, afirmou Maia, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

O presidente da Câmara disse que os Poderes haviam estabelecido que a relação entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário seria mais harmoniosa após um primeiro semestre cheio de turbulências, mas a decisão anunciada por Fux gera “perplexidade, indignação” do Congresso e é um mau sinal para investidores.

“Como alguém pode investir no Brasil chegando aqui e abrindo o jornal e vendo o ministro do Meio Ambiente quase defendendo as queimadas? Do outro lado o ex-procurador-geral da República dizendo que quase matou um ministro do STF, e agora o vice-presidente do STF tomando uma decisão inócua, sem nenhum tipo de diferença em relação à anterior porque o outro dava um prazo para a execução da matéria e certamente seria julgada antes da implementação do juiz de garantias, e ele desfaz a decisão do próprio presidente do Supremo?”, disse.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  No pós-Bolsonaro, PSL desidrata a olhos vistos

8 comentários

  1. Este grupo (Fux, Barroso, Moro, Dallagnol, Jair Messias (êpa!), Wellington Divino (êpa!) e quetais), que apoia golpes, ilegalidades, autoritarismos e quetais não se incomoda nem um pouco em criar conflitos e crises institucionais.
    Pelo contrário, para eles, o circo pegar fogo é só uma oportunidade para se apossar do terreno!
    Se é que me entendem…

  2. Ora, ora, ora!!!
    513 deputados, representantes do povo, eleitos pelo povo, aprovam uma lei.
    61 senadores, representantes dos estados, eleitos pelo povo, aprovam esta lei.
    A pessoa que ocupa a presidência da República sanciona esta lei.
    Um único homem (ou ser), que nunca recebeu um voto sequer, Indicado ministro, se sente no direito de suspender os efeitos desta lei, legitimamente aprovada pelo Poder Legislativo.
    Se a decisão desse ministro prevalecer, melhor fechar a porteira e anunciar ao mundo que resolvemos viver num país de merda, numa republiqueta de bananas. Melhor começar tudo de novo. Para tudo, que eu quero descer.
    In Fux, we num trust!

  3. Nassif: esse papo do chileno é furado. No mínimo quer se eternizar na presidência da Câmara. Ele sabe que Cabelera é pau mandado do meliante TogaSuja, que, por sua vez, tem cobertura total dos bambans da QuerênciaDeCruzAlta e do AltoComando dos VerdeSauvas. Sabe, portanto, que se numa escala de zero a cem, medir-se a Democracia em Pindorama, quando muito chegaria a quarenta. E, mais que ninguem, conhece a razão da bala, na DemocraciaDaBaioneta. A manifestação, portanto, é mero exercício de balela, por falta de assunto sério e importante…

  4. Como já percebido, o papo é furado. O deputado sabe exatamente qual é a motivação do ministro ao eternizar o prazo para definir a adoção; agradar o público (cada vez menor e mais jumento) do bozo, que julga Fux e Barroso como os únicos dignos na alta corte.
    Se olharmos com atenção os motivos alegados pelo ministro Fux, ficamos com sentimento que ao invés de incentivar a remoção das causas fundamentais que impediriam a implementação do juiz de garantias (basicamente ações do judiciário) o ministro prefere adiar “Ad infinitum” uma decisão do parlamento.
    Por exemplo, Fux alega que a medida
    exige “completa reorganização da Justiça criminal do país”, e também observou “ofensa à autonomia financeira do Judiciário”. Ora, “reorganizar a justiça criminal” é uma ação que já deveria estar em marcha há muito tempo assim como uma revisão dos custos (altos) judiciários.
    E sempre vale lembrar que hoje se consegue ler e decidir em pouquissimos 6 dias um processo de 600 páginas. Que os métodos utizados sejam expandidos para todos os tribunais, pois racionalizar tempo é reduzir custo.
    Quanto as declarações de Maia, em relação a fuga de “investidores”, vale complementar que o ministro do MA não “quase ” defendeu queimadas; ele defendeu queimadas, e com apoio de cima.
    Ainda sobre a declaração de Maia, poderiamos acrescentar como obstáculo aos “investidores”:
    & Insanidade do lider do executivo e irracionalidade dos filhos;
    & Intermediação de familiares na distribuicao de verbas públicas;
    & Ineficácia das medidas econômicas (vôo de galinha);
    & Irracionalidade dos discursos de ministros que adotam posições nazistas, como no caso do sr.Rego, ou fascistas, em outros casos;
    & Liberação da grilagem e invasão/usurpação de terras indígenas em alguns casos com assassinatos de lideranças.
    & O processo de criminalização de jornalistas, como forma de censura à imprensa livre. Caso Gleen como exemplo
    E muito mais ainda nao noticiados portanto ignorados (por enquanto) pelo grande público.

  5. O Parlamento é o próprio desrespeito. Farsa Redemocrática que só prolonga estas 9 décadas das Elites do Estado Absolutista Assassino Esquerdopata Fascista. Falar em desrespeito? Qual é o exemplo? A chantagem sobre o Governo para aprovar 1 bilhão de dólares de Fundo Partidário? É muita canalhice !!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome