“Deveríamos ter esperado decisão definitiva”, diz Gilmar sobre prisão de Lula

"Temos que examinar com todo cuidado. A questão será examinada pelo STJ e, depois, pelo STF, quando for pertinente", acrescentou o ministro

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Em Lisboa nesta segunda (22), durante evento do mundo jurídico, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes defendeu que Lula não deveria ter sido preso antes de uma “decisão definitiva”, em oposição ao decreto executado pelo ex-juiz Sergio Moro quando o ex-presidente foi condenado no caso triplex em segunda instância.

“Tenho a impressão de que deveríamos ter esperado uma decisão definitiva, não a decisão de segundo grau. Mas isso já ficou superado”, disse Gilmar.

O ministro acrescentou que a prisão será discutida no momento “pertinente”.

“Não me consta que isso foi discutido no processo. Temos que examinar com todo cuidado. A questão será examinada pelo STJ e, depois, pelo STF, quando for pertinente.”

O início do julgamento do recursos de Lula no STJ está previsto para esta terça (23).

No Supremo, o ex-presidente aguarda decisões sobre ao menos dois pedidos habeas corpus. Um deles será levado ao plenário a pedido de Gilmar.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Xadrez dos preparativos para a luta final, por Luis Nassif

17 comentários

  1. O tempo e o vento.
    Não conheci ninguém na minha que tivesse recebido da justiça uma atenção tão especial e urgente quanto o Lula.
    Enquanto os processos da mesma espécie podem levar até 12 anos para chegar à segunda instância, em 1/10 desse tempo Lula foi acusado, processado, condenado em primeira e segunda instância e finalmente preso.
    Corruptos efetivamente culpados, aguardam placidamente o andamento normal da justiça brasileira – marcha de quelônio – porque os ventos lhe são favoráveis.
    Lula, sem ventos favoráveis, espera o tempo, e desse, ninguém escapa.

    • A encenação do simulacro de julgamento da AP 470 também foi tocada em ritmo de mutirão no teatrinho do professor Gilmau. Para identificar e isolar a conduta supostamente delitiva de 40 réus, se respeitados os ritos do devido processo legal, a encenação teria que prosseguir, no ritmo ordinário do STF, pelo menos, até 2065. Passaram por cima de todos os pressupostos do direito de defesa, puseram um turbante de Carmem Miranda na teoria do Dominio do Fato de Claus Roxin e realizaram 55 sessões de julgamento em apenas quatro meses, em 2012. Tudo acelerado para apresentar as sentenças condenatórias encomendadas, em tempo para impactar severamente o resultado das eleições municipais daquele ano. Ainda assim, empurrando todos os réus dentro de um mesmo saco improvisado, para condenações em ritmo de linha de produção industrial, em apenas sete anos, de 2005 a 2012, com a aproximação do ato final do espetáculo, perceberam que, mesmo com todo o esforço, algumas imputações de delito forjadas estariam prescritas em 2012. Aí o JB forjou a manipulação dos critérios de cálculo das penas para turbiná-las e evitar a prescrição. De todos os crimes praticados pelo STF, nesse farsesco simulacro de julgamento, esse é o único que não necessitaria de investigação para ser apurado. Porque o JB irritou-se e confessou publicamente a manipulação grotesca das penalidades, em plena sessão de julgamento no plenário da corte, em debate acalorado com o então, ainda garantista, ministro Barroso. O vídeo no Youtube que permitia ver essa confissão já foi convenientemente retirado. Resta essa matéria do DCM, que relata o ocorrido. https://www.diariodocentrodomundo.com.br/ninguem-esperava-que-barbosa-fosse-admitir-a-manipulacao-das-penas/

      • Lembro-me de ter assistido a essa sessão.
        Barroso não se furtava em fazer transparecer a inferioridade técnica do Barbosão provocando-o, sempre que podia.

    • Pois é… toda vez que GM respira ares mais demcráticos em Lisboa, solta umas frases ‘civilizadas’.

      Ano passado, dizia por aqui que Lula era um ‘asset’ importante demais e que seu julgamento criava uma má imagem para o Brasil.

  2. O tófis diz que quer os recursos do Lula fora da pauta do stf este ano. Então o tal felix ficher já armou alguma coisa pra amanhã contra o Lula. Que duvida é louco!!!

  3. Quando vc ver um quilônio em cima de uma árvore, ele tá lá por dois motivos!
    Aconteceu uma enchente ou colocaram ele lá.

  4. Hoje,o presidente Lula será condenado em terceira instância.Não tenho dúvidas disso. O beiçola togado pode dizer o que quiser.Aliás,parece que é o único que pode dizer o que quiser,o que quer dizer que faz parte da curriola golpista e,portanto,está protegido.
    O golpista poderia muito bem lembrar como foi seu voto nessa discussão e porque concedeu uma liminar intrometendo-se na liberdade do poder executivo de nomear o presidente Lula para ministro quando ainda era possível tentar reverter o quadro golpista.
    Agora,não adianta nada. O presidente Lula está encarcerado e o país dividido. Essa gente tem um encontro com a história. Com o lixo da história.

  5. É a nossa História andando em sinuosas.
    Ontem Gilmar, não apenas deixou rolar o autoritarismo e as bravatas de Moro contra Lula e Dilma, sobretudo com aquele grampo indecoroso e ilegal, fazendo-se de morto quando do impeachment concretizado, como sem um pingo de vergonha na cara, visitava Temer na calada da noite, pelos fundo do Jaburu – foi fotografado. Isso logo após o impeachment.
    Gilmar, como seus pares, souberam das informações de Assange, bem como da observação de Erdogan a Dilma, antes mesmo dela se ver encurralada por vagabundos da pior espécie como Aécio, como Cunha, Jucá, e tantos outros do mesmo caráter.
    Agora, não apenas ele, mas até Toffoli, andam meio pianinho, meio medrosinhos, porque aquele mal plantado pelo STF, de forma rasteira, imprudente, ilegal, suja, está se voltando contra a Corte em geral.
    Dos muitos arrependidos que estamos vendo sair do buraco em que se meteu, acho que chega a ser emblemáticas as atitudes dos ministros nesses dias.
    Como diz Fernando Morais: A POLÍTICA É COMO UM PÊNDULO, OSCILANDO ORA PRA UM LADO, ORA PRA OUTRO.

  6. O STF foi decisivo no golpe. Ajudou o desgoverno Temer. O TSE, sob controle do presidente do STF, foi decisivo também na eleição de Bolsonaro.

    E SÓ AGORA, com o assalto dos tenentistas da lava-jato junto à militância bolsonarista contra o STF, que eles percebem que pariram e nutriram seus próprios coveiros.

    STF é a “última trincheira da democracia”? Hohohoho. É uma cova, não uma trincheira.

    Nunca tiveram tanto poder quanto na última década da democracia de 88, e fizeram tudo em seu poder, lutaram com unhas e dentes para retornar à sua impotência usual.

    Seria inusitado Gilmar Mendes liberar Lula. Mas diante da ofensiva, se a ameaça mesma de soltar Lula não refrear os bolsonaristas lava-jatistas, é bem possível que Gilmar o faça.

  7. “Tenho a impressão de que deveríamos ter esperado uma decisão definitiva, não a decisão de segundo grau. Mas isso já ficou superado”, disse Gilmar.
    Foi superado com a eleição do coiso
    O ministro acrescentou que a prisão será discutida no momento “pertinente”.
    “Pertinente” pra quem?

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome