Esposa de Witzel entra na mira da Polícia Federal por contrato com operador de esquema

Advogada, ela teria negócios com um operador do empresário Mário Peixoto, cujos contratos com a administração do Rio são investigados desde a época de Pezão e Cabral

Jornal GGN – A operação Placebo, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça (26), centrou esforços na esposa do governador Wilson Witzel. Advogada, ela teria negócios com um operador do empresário Mário Peixoto, cujos contratos com a administração do Rio são investigados desde a época de Pezão e Cabral.

De acordo com o despacho que autorizou a operação, os investigadores afirmam que “WW [Wilson Witzel] mantinha o comando das ações (auxiliado por HW [Helena Witzel]) tendo seu secretário ES [Edmar Santos, da Saúde] delegado funções a GN [Gabriel Neves, ex-subsecretário de Saúde], criando-se a estrutura hierárquica que deu suporte aos contratos supostamente fraudulentos”.

A Operação Placebo é desdobramento da Operação Favorito, um braço da Lava Jato do Rio que prendeu Mário Peixoto em abril. Na Favorito, os investigadores encontraram na empresa DPAD, do empresário Alessandro Duarte (operador de Peixoto), um contrato com o escritório de advocacia da primeira-dama Helena Witzel.

Nesta terça, a PF fez busca e apreensão na residência de Witzel, na sede do governo e no escritório de Helena, entre outros endereços. Celulares, computadores, contratos e outros documentos e aparelhos foram apreendidos.

A PF foca na contratação do Iabas para a construção de hospitais de campanha no Rio, contra o coronavírus. Há suspeita de que houve superfaturamento e subcontratação de empresas ligadas a Peixoto, que desde a eleição de 2018 demonstrou-se próximo de Witzel.

Segundo O Globo, além do contrato da DPAD, o ministro Gonçalves, do STJ, também citou um almoço entre Peixoto e o secretário do governo Witzel, Lucas Tristão.

Tristão foi sócio de Witzel em escritório de advocacia e, durante a eleição de 2018, advogou para uma das empresas de Peixoto, que depois veio a ganhar um contrato milionário no atual governo do Rio.

Leia também:  Auxiliar de Aras retira candidatura ao conselho da PGR

O MPF conseguiu ainda mensagens em que são citados pagamentos ao escritório de Helena. Em 14 de abril de 2020, Alessandro fala em “documentos relacionados a pagamentos para a esposa do governador.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Estranha essa operação justamente no dia em que o STJ vai julgar a federalização do caro Marielle e Anderson! Não acredito em coincidências…

  2. “…Adiantamos como os crimes que se ampliaram em contratos de serviços necessários ao combate do novo coronavírus já estavam comprovados…” A Verdade é Libertadora. O Presidente vai desmascarando todos seus Adversários e falsos companheiros que usaram de sua imagem para fazer parte da Velha Política já existente em 90 anos replicados por 40 anos de farsante Redemocracia, que nada mais era que NecroPolítica. Não queriam a transformação progressista e democrática almejada por toda População Brasileira e produzida pelo Presidente da República. Na verdade queriam apenas fazer parte da Elite Parasitária do Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Esquerdopata Fascista. A Velha Política treme. Pobre país rico…Mas agora em plena transformação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome