Estadão: Procuradores da Lava Jato “perderam a noção de seu papel”

Jornal critica a "ingerência" dos procuradores de Curitiba na criação e gestão de um fundo privado, com R$ 2,5 bilhões provenientes da Petrobras, para investir em projetos sociais e anticorrupção

Jornal GGN – Os procuradores de Curitiba “parecem ter perdido a noção de seu papel institucional. A função para a qual são pagos é a defesa da ordem jurídica. E não há respeito à ordem jurídica quando membros do Ministério Público pretendem definir políticas públicas, orientar o destino de recursos financeiros ou participar de entidades privadas.” A avaliação foi feita pelo Estadão em editorial, neste domingo (10).

O jornal criticou a “ingerência” dos procuradores liderados por Deltan Dallagnol, que assinaram unilateralmente com a Petrobras um acordo para criação de um fundo que irá financiar uma fundação de direito privado para investimentos em ações sociais e anticorrupção.

“(…) parece que alguns veem as prerrogativas constitucionais do MP como autorização para fazer o que bem entendem. A isso se dá o nome de bagunça”, disparou o Estadão.

Na visão do diário, o MPF em Curitiba “invade a competência de outros Poderes”, pois a “não tem competência para definir onde e como essas receitas serão usadas.”

“Não há dúvida de que a Petrobrás tem direito de criar um fundo para projetos sociais e educativos. Precisamente porque ela tem esse direito, a empresa pôde celebrar um acordo com autoridades norte-americanas, destinando uma parcela das indenizações a um fundo com fins educativos a ser criado no Brasil. Mas o Ministério Público não tem competência para participar da criação desse fundo e tampouco de sua gestão. É, portanto, muito estranho que a Justiça Federal de Curitiba tenha homologado o tal acordo entre MPF e Petrobrás.”

Leia o artigo clicando aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: a polêmica cooperação entre Brasil e EUA

7 comentários

  1. Não tem que se ficar comentando esses abusos da lava jato, cabe ao STF proibir e pronto. Caso o STF não queira proibir, cabe aos partidos de esquerdas convocarem a população e proibir esses abusos…

  2. A globo e seus parceiros escondem o principal: a entrega de bandeja da Petrobrás, da qual eles são agentes decisivos.
    CANALHAS!

  3. Ninguém pode perder o que nunca teve. A lava jato nunca se ateve às leis, à constiruição. E o principal culpado é o stf. Se o gilmar não tivesse agido fora da lei como a lava jato e impedido o Lula de assumir a casa civil, nda disso teria acontecido. Deram corda pros micróbios e os micróbios viraram monstros. O engraçado é que o que disseram ser corrupção na petrobras é troca d boteco perto do que querem roubar da estatal. Larápios!!!

  4. Após terem conseguido forjar um processo que condenou o Presidente Lula há 12 anos de prisão, e agora montarem com base no copiar/colar mais um processo de condenação para Lula, esses irresponsáveis acham que por terem prendido, de forma fraudulenta, o maior e mais respeitado Presidente do país nacional e internacionalmente podem meter a mão em 2,5 bi que ninguém vai reclamar. Em qualquer país minimante sério do mundo esses traidores da pátria estariam presos por lesarem os interesses nacionais para obter lucros.

  5. 1 – Como muito bem falado pelo comentarista “c p silva”, eles mantêm o papel que sempre tiveram, o de fazer negociatas público-privadas, com a diferença de que agora a estratégia foi assumida publicamente, e de maneira que coloca em risco – esse o único motivo que explica a grita da mídia golpista – o plano de demonizar a esquerda para justificar a entrega integral do país aos interesses corporativos nacionais e internacionais. Que moral tem o jornal para reclamar se defende a mesma coisa quando apoia a institucionalização da privatização do Estado nacional, via “reformas” que agudizam a transferência de riqueza pública para entes privados, do coletivo para corporações? Não sejam tão hipócritas quanto os procuradores de tesouros que se disfarçam de autoridades públicas para montar o seu esquema de milícia estatal, agentes infecciosos que se alimentam das fraquezas do Estado e da sociedade para “crescer e se multiplicar”, parasitas sociais; vocês, mídia golpista, usam do mesmo instrumento para manter seu cabresto sobre o país – criam narrativas farisaicas e falso-moralistas para garantir o seu quinhão da roubalheira dos bens públicos que pertencem ao povo e não a grupos específicos, não importa o grau de malabarismo para enganar bobo, ou de cara de pau quando enganar já não é mais necessário, que os diferencie na forma mas não no conteúdo; parece que o que incomoda é mais o descortinamento das farsas, que pode atingir também a mídia golpista poupada nas delações (a que preço?) do que sua finalidade, uma divergência mais de meios que de fins. Outro problema deve ser a concorrência: achavam que eram vocês, mídia golpista, que dominavam e instrumentalizavam o enredo e os personagens, e de repente, descobriram que foram vocês os instrumentalizados por eles, rs: se o jornaleco for convidado para a farra bilionária vai mudar de opinião? – todos sabemos que não se trata de ética ou de republicanismo mas apenas de “posicionamento” na mesa de negociações e na posse de ações. Tomaram uma volta dos espertalhões da Lesa-Pátria e estão humilhados, ofendidos e com medo de serem também desmascarados em sua estratégia de saque do país. Como diz o Criolo em uma de suas músicas, “quando o colarinho branco dá o Golpe no Estado”, hahahaha.
    2 – Sobre a jogada, gente, é o mesmo que esses fdp sempre fizeram, só que agora, como não tem o espantalho do antipetismo para servir de desvio de atenção, todo mundo parece que vê, descobre ou teme a identificação do “mecanismo” – e aí, vão fazer uma minissérie sobre o assunto, um filme, rs? – que está presente em todas as denúncias já feitas até aqui contra essa turma de saqueadores:
    outro dia o Sr. Nassif fez uma referência às operações abafadas pela imprensa, e valeria o trabalho de um/a bom/boa jornalista investigativo/a analisar todas elas e identificar cursos de ação, personagens envolvidos, citados ou protegidos, reações da imprensa, consequências jurídicas e penais. Uma sempre me intriga por seu potencial de estrago e por isso mesmo, completa indiferença: a operação “Câmbio, desligo”, que envolveu doleiros e advogados renomados e influentes e revelou que o esquema denunciado por Tacla Durán já existia desde a operação Banestado, salvo engano. Curitiba e Rio de Janeiro – este um estado tão envolvido em corrupção institucional que admira que apenas o judiciário lavajateiro esteja a salvo do revezamento de saqueadores – como cidades onde as principais ações se concentram, o que mais as une na disputa do espólio da corrupção na Petrobras? “Advocacia é a maneira legal de burlar a justiça.” (Autor desconhecido) – fonte https://correio-forense.jusbrasil.com.br/noticias/485219844/frases-de-pensadores-sobre-justica-juiz-advogado-lei-conselho-e-experiencias.
    Será coincidência que apenas meses antes da divulgação desse outro Acordo – quantos “grandes acordos nacionais”, e internacionais, fazem parte do Golpe em andamento? – o amigo e sócio do casal 171, os rábulas de Curitiba, o tal Zucolotto citado pelo Durán, oficializou sua profissão de lobista? Alguém duvida que o tal será sócio também da fundação bilionária?
    3 – Sobre o “direito” da Petrobras de criar fundações com dinheiro revertido de multa aplicada contra a empresa, citado pelo jornaleco, nunca ouvi dizer de alguém multado ter poder decisório sobre o destino da multa. Pode isso, STF? “Infeliz a geração cujos juízes merecem ser julgados. (Talmud)” – fonte: idem.
    Parece que na definição dos valores, tanto quanto na suspeita desistência da Petrobras sob a gestão Pedro Parente – outro que fará parte da fundação? – de se defender em processo e pagar outra multa bilionária nos USA – os acionistas de lá têm mais direitos que os daqui? os daqui vão fazer o quê? a empresa, não deve ser defendida dessa sangria pela AGU e pelo STF? – o mesmo jogo de negociação encenada proposto pelo tal Zucolotto foi feito, em que o cálculo da propina fazia parte dos atos de imposição e reversão de multas, valores e formas de pagamento. Como no futebol, jogo combinado, juiz comprado, eleição decidida no tapetão, torcida que paga para ser enganada, time que cobra barato para entregar o jogo, imprensa que leva o seu não importa o que aconteça.

    Beth Carvalho e Arlindo Cruz – Malandro sou eu
    https://www.youtube.com/watch?v=s251rHOtRB0

    Criolo – Subirusdoistiozin
    https://www.youtube.com/watch?v=rMVPwRGR2WA

    Criolo – Menino mimado
    https://www.youtube.com/watch?v=f28vdAn5TBU

    Sampa/SP, 11/03/2019 – 11:30 (envio original em 10/03/2019 às 16:11; esta versão com alterações.)

  6. Interessante: só agora que acordaram para o que efetivamente moveu, e continua movendo essa malsinada Lava a Jato. Embevecidos pela destruição de Lula e do PT, e por consequência o enfraquecimento da própria Esquerda, abafaram todos os pruridos morais e cívicos.
    JB Costa

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome