Família da Ministra de Direitos Humanos tem histórico de corrupção e violência

Damares é integrante de uma família destacada no baixo clero da Câmara. E sua escolha é indicativa da natureza do arco de alianças de Bolsonaro

Jornal GGN – Não se pense que Damares Alves, Ministra dos Direitos Humanos, Família e Direitos da Mulher foi escolhida meramente pelos seus sermões extravagantes, sobre pedofilia, zoofilia e outras fixações sexuais. Ela é integrante de uma família destacada no baixo clero da Câmara. E sua escolha é indicativa da natureza do arco de alianças de Bolsonaro.

Damares é sobrinha do pastor e deputado Josué Bengtson(clique aqui), até pouco tempo atrás um dos expoentes da bancada evangélica e dos ruralistas. Damares começou sua carreira de assessora parlamentar trabalhando para o  tio (clique aqui) e seguindo seus passos como pastor.

No dia 3 de maio de 2018, Josué Bengtson(PTB-PA) teve os direitos políticos suspensos por oito anos e foi condenado a devolver aos cofres públicos R$ 150 mil, por sua participação na máfia das ambulâncias (clique aqui).

A acusação do Ministério Público Feeral do Pará é explícita:

Josué Bengston, na sua condição de deputado federal, direcionava as emendas para os municípios de seu interesse, indicando o nome do prefeito, e posteriormente as licitações eram fraudadas para que o objeto fosse adjudicado pela empresa Planam, que previamente depositava contrapartidas indevidas na conta do deputado e da instituição religiosa [da qual Bengtsonfaz parte].

O depoimento de Luiz Antonio Trevisan Vedoin, sócio do grupo Planam, na ‘CPI das Ambulâncias’, foi categórico no sentido de que o réu tinha recebido propina do grupo Planam para direcionar emendas parlamentares com a finalidade de viabilizar economicamente licitações em municípios paraenses, as quais seriam (e efetivamente foram) vencidas pelas empresas do grupo Planam”, destacou. o juiz federal Henrique Jorge Dantas da Cruz na sentença.

Verbete do CPDOC, da Fundação Getúlio Vargas, diz o seguinte (clique aqui):

Leia também:  Fora de Pauta

Apontado como um dos principais responsáveis pelo comando político da organização responsável pela fraude das ambulâncias dentro do Congresso Nacional, Bengtsonfoi acusado de ter recebido mais de R$ 93 mil em propina pela apresentação de emendas, nos exercícios de 2001 e 2004, para aquisição de unidades móveis de saúde. Em novembro de 2006, apresentou ao Conselho de Ética da Câmara sua defesa, negando o envolvimento no caso e justificou-se caracterizando como ofertas e empréstimos para pagamentos de dívidas de campanha e doações em dinheiro feitas à Igreja Quadrangular os depósitos localizados em sua conta.

Com a desistência para as eleições em 2006, deixou a Câmara em Fevereiro de 2007, quando retomou sua dedicação à Igreja do Evangelho Quadrangular, no Pará.

Ainda em 2007, o Ministério Público Federal ofereceu denúncia à Justiça sobre o seu envolvimento no esquema citado. Em Outubro de 2010, voltou a concorrer para a Câmara dos Deputados. Foi eleito com 112.212 votos. Assumiu seu novo mandato em Fevereiro de 2011, quando voltou também a ser titular na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Foi Vice-líder do PTB na Câmara e integrou a chamada bancada ruralista, tendo defendido a aprovação do Novo Código Florestal, que suscitou polêmica e intensos debates com os ambientalistas, por promover alterações na legislação referente à preservação da fauna e da flora originais.

Em 2010, outro filho de Josué, Marcos Bengtson, foi preso, acusado pela morte de um Sem Terra (clique aqui).

Os trabalhadores Valmeristo e João Batista Galdino estavam indo até a cidade de Santa Luzia do Pará prestar um depoimento sobre a denúncia feita pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), de um despejo arbitrário. Antes de ser morto, Caribé foi espancado e torturado por um grupo de três pistoleiros armados. João Batista também foi torturado, mas conseguiu fugir.

De acordo com o integrante da coordenação estadual do MST, Ulisses Manaças, a milícia armada estava a serviço de Josué Bengtson, que se reivindica dono de 1.8 mil, dos quase 7 mil hectares de terras da gleba Pau de Remo.

Segundo nota da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (clique aqui):

Leia também:  Fora de Pauta

Caribé foi morto quando era liderança do acampamento na fazenda Cambará, a 28km da sede do município de Santa Luzia. Nas primeiras horas do dia 3 de setembro de 2010, Caribé e outro trabalhador chamado João Batista Galdino foram abordados por dois pistoleiros, sequestrados para um ramal onde seriam executados. Galdino conseguiu fugir e ouviu sete disparos que tiraram a vida de Caribé.

Os dois pistoleiros e o acusado de ser mandante do crime, Marcos Bengtson, filho do pastor evangélico e deputado federal Josué Bengtson (PTB), chegaram a ser presos, mas foram colocados em liberdade pela justiça e aguardam o andamento do processo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. O pessoal vota em quem é famoso, rico e poderoso. Bolsonaro, por exemplo, está trabalhado firme para se tornar conhecido como o mais indecente presidente do mundo. Ser o mais indecente também é um jeito de se destacar e ficar famoso, não é? E como fama quem faz são as firmas privadas de comunicação como “Globo” por exemplo, que lucram com esse circo – vide Doutrina do choque -, bem… podemos esperar que essas firmas continuem divulgando Bolsonaro, “o presidente que a gente ama odiar”, né?

  2. O Caso Eu Conto Como o Caso Eu Vi.
    Passei os anos de 2002/2003 no Sul do Pará,entre as Cidades de Xinguara,Rio Maria(o berço da pistolagem) e Redenção.Existia uma tabela de preços a depender do número de estrelas que a vítima detinha,no caso do Sindicato do Crime com Sede em Rio Maria, resolvesse elimina-la,algo copiado pelas milícias do Clã Bolsonaro & Cia Ltda.A de maior valor à época era a do Frei Henry Baron de Latiers,na ordem de $ 50 mil reais.Consegui a informação que a minha valia 30 mil reais.O repórter Jonas Campos,então na TV Liberal,hoje no Grupo RBS,me alertou sobre o perigo que eu corria.E daí meu? O então Deputado Estadual,Josué Bengston,Presidente Estadual do PTB à época,era figura comprovadamente ligada a pistolagem do Sul Pará.Quem esteve comigo à época para me ouvir sobre o assunto,foi o bravo jornalista Amaury Ribeiro Jr,então no Jornal do Brasil,que produziu uma série de reportagens sobre o assunto.Se for de interesse do Blog,ouça-o que ele trará informações presciosas sobre a figura sinistra de Josué Bengston.

    5
    2
  3. “Ide pois, anunciai o evangelho! Eis-me convosco sempre”
    E assim foram, pelos quatro cantos do mundo (quadrado), os crentes que fundamentam a existência da Igreja do Evangelho Quadrangular.
    Mundo de quatro cantos numa terra plana dá coisas como os ascendentes de Damares e seus “acepipes” fiéis.

  4. “Ide pois, anunciai o evangelho! Eis-me convosco sempre”
    E assim foram, pelos quatro cantos do mundo (quadrado), os crentes que fundamentam a existência da Igreja do Evangelho Quadrangular.
    Mundo de quatro cantos numa terra plana dá coisas como os ascendentes de Damares e seus “acepipes” fiéis.
    As vezes a gente se pergunta:
    quanto tempo um crente precisa estudar para ficar tão burro?
    Porque ignorantes todos nós nascemos, mas cultivar a ignorância ou mergulhar na burrice, é uma opção.

  5. Os dois pistoleiros e o mandante soltinhos, graças a uma justiça inconsequente, suja, rabo preso, enquanto o ex-presidente continua preso num processo todo fraudulento.

  6. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome