Fracassamos como Nação? Para Jessé Souza, apesar do obscurantismo atual, há otimismo quanto ao futuro

Sociólogo destaca o papel da elite sobre a sociedade desigual e miserável que marca o Brasil

Reprodução/TV GGN

Jornal GGN – O sociólogo Jessé de Souza explica as estranhas das fragilidades dos princípios morais da elite brasileira e suas consequências no cenário social e político atual em entrevista ao jornalista Luis Nassif, no episódio desta terça-feira, 21 de julho, da série “Fracassamos como Nação?”, exibida na TV GGN

Para Jessé, apesar do obscurantismo político e os retrocessos ocasionados pelo negacionismo que enfrentamos, há um otimismo sobre o futuro da nação, a partir de processos de aprendizagens que levam ao desmonte de organizações apresentadas como “salvadoras”, por exemplo, a Operação Lava Jato, que se utilizou de processos irregulares para levantar a bandeira “anticorrupção”. 

Questionado sobre a perda de valores da elite, Jessé destaca que a eficácia da “violência simbólica” própria deste nicho e a falta de controle das instituições são as marcas do desastre da sociedade brasileira.

O sociólogo também pontua a importância de compreender a distinção social como estímulo econômico e para a universalização dos direitos, os pactos sociais que dificultam o acesso as raízes dos problema políticos, o papel da esquerda, as influências da imprensa, a força irracional e as mascaras do racismo, a criminalização da política e as intenções do governo Bolsonaro. Confira.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora