TVGGN Justiça: O documento onde Geisel autorizou assassinato de opositores da ditadura

O documento que relata reunião de março de 1974 entre Geisel e três assessores foi endereçado a Henry Kissinger

Foto: Reprodução TVGGN

No programa TVGGN Justiça desta semana, o jornalista Luis Nassif conversa com a procuradora regional da República, Eugênia Gonzaga, o antropólogo Tomas Tarquínio e o advogado Luiz Greenhalgh sobre o documento divulgado pela Agência Central de Inteligência (CIA) que mostra que Ernesto Geisel, ex-presidente do Brasil durante o regime militar, autorizou o assassinato de opositores da ditadura.

O documento relata uma reunião de março de 1974 entre o General Ernesto Geisel e três assessores: o general que estava deixando o comando do Centro de Informações do Exército (CIE), o general que viria a sucedê-lo no comando e o General João Figueiredo, indicado por Geisel para o Serviço Nacional de Inteligência (SNI).

O relato da CIA foi endereçado a Henry Kissinger, então secretário de Estado. Kissinger montou uma política intensa de aproximação diplomática com Geisel.

Abaixo, você pode conferir a tradução do documento, em PDF.

Doc-CIA

Convidados

Eugênia Gonzaga é procuradora regional da República e ex-presidente da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos

Tomas Tarquínio é antropólogo, exilado, preso no Estádio Nacional do Chile, trabalha desde 1977 com ecologia política e meio ambiente.

Luiz Eduardo Greenhalgh é advogado criminalista que advogou para presos políticos no período da ditadura. Foi presidente do Comitê Brasileiro pela Anistia.

Assista ao programa clicando no link abaixo.

Para conferir os episódios anteriores da TVGGN Justiça, clique aqui.

Isadora Costa

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A besta humana, que se multiplica por onde passa, depois de mais de três séculos retornou ao Brasil, não mais como descobridor, invasor ou bandeirante.
    Depois de rodar o mundo retorna ao Brasil em 1964, na forma multiplicada de uma ditadura militar, deixou ovos de suas serpentes espalhados pelo território e que, possivelmente, estão bem guardados em chocadeiras civis militares.

  2. Quem foram os 104 executados sumariamente?
    E depois essa cambada de direitistas nojentos vêm dizer que os regimes comunistas é que executavam seus prisioneiros políticos…

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador