Gramática da manipulação: o jornalismo que esconde a motivação de atos contra o Carrefour

Setores da mídia brasileira seguem criando manchetes a partir de uma visão patrimonialista dos protestos sociais, ofuscando a pauta central: o racismo estrutural e suas consequências sobre a vida do povo negro

Da página Gramática da Manipulação (Facebook)

Na primeira manchete, temos um verbo (protestar) que virou substantivo para mocozar responsabilidades.

O agente da frase, aquele sujeito sintático q acionou o verbo protestar, sumiu.
Mesma coisa em “morte de negro”. O negro morreu (intransitivo) ou alguém matou (transitivo direto) o negro?

Agora observem a manchete de baixo. Não tem responsabilidade mocozada. Tem ordem direta (sujeito + verbo + objeto) e voz ativa, que deixa bem claras as responsabilidades.

Faltou a motivação da depredação, mas o sujeito que aciona o verbo depredar dispensa motivações: são vândalos. Ponto.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora