Hollywood também desconfia de golpe, por Nelson Barbosa

Em artigo, ex-ministro diz que documentário indicado ao Oscar apenas confirma aquilo que todos já desconfiavam mundo afora

Nelson Barbosa, ex-ministro da Fazenda e do Planejamento, Professor da FGV e da UnB. Foto: Reprodução

Jornal GGN – A indicação do documentário “Democracia em Vertigem” ao Oscar já é uma vitória para o cinema brasileiro, ao misturar o que aconteceu no Brasil entre os anos de 2015 e 2016 com a interpretação e a vida da diretora, Petra Costa.

Em artigo publicado no jornal Folha de São Paulo, o ex-ministro da Fazenda e do Planejamento, o economista Nelson Barbosa diz que a obra cinematográfica aponta aquilo que todos já desconfiavam mundo afora: houve golpe parlamentar no Brasil em 2016 (com impeachment sem crime de responsabilidade) e continuação em 2018 (com a prisão de Lula por ato indeterminado de ofício).

“Por maiores que os erros tenham sido, eles não justificam inventar crime fiscal, que nunca havia sido caracterizado como crime até então, para derrubar o governo por motivos políticos. Até (o ex-presidente Michel) Temer reconheceu isso, em ato falho”, pontua Barbosa.

Da mesma maneira, o ex-ministro explica que apontar o caráter político da condenação do ex-presidente Lula não implica defender a corrupção e, no mesmo sentido, apontar o caráter político da condenação de Lula não implica defender práticas escusas.

“Quer um exemplo? Compare os anos petistas com a situação atual. Sob Lula e Dilma houve liberdade e transparência na investigação de diversas autoridades do governo. E hoje? Da rachadinha de Queiroz ao assassinato de Marielle e Anderson, passando pela investigação de ministros de Bolsonaro, temos atrasos, lacunas e diversionismo”, pontua Barbosa.

Diante de tudo isso, Nelson Barbosa recomenda que se assista o documentário “antes que um juiz obscurantista decida suspender a exibição”. A sugestão vale até mesmo para quem odeia o PT.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome