Justiça do Rio nega prisão domiciliar para Queiroz

Nesta sexta-feira, a defesa de Queiroz entrou com habeas corpus solicitando a substituição da prisão preventiva

Jornal GGN – A desembargadora Suimei Cavaleiri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou nesta madrugada, 20 de junho, o pedido de prisão domiciliar para o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz.

Nesta sexta-feira, 19 de junho, a defesa de Queiroz, na figura do advogado Paulo Catta Preta, entrou com habeas corpus solicitando a substituição da prisão preventiva, sem tempo determinado, pela prisão domiciliar. 

A defesa argumentou que Queiroz faz tratamento de câncer no intestino e citou uma cirurgia de próstata feita há pouco tempo, além do “atual estágio da pandemia do coronavírus”.

A decisão da Justiça não está disponível na íntegra, já que a ação tramita em segredo de justiça. O mérito do habeas corpus ainda deve ser julgado pelo colegiado da 3ª Câmara Criminal.

Queiroz foi preso na quinta-feira, 18 de junho, em Atibaia, no interior de São Paulo, durante operação conjunta da Polícia Federal e do Ministério Público do Rio de Janeiro – São Paulo. O ex-assessor está preso em Bangu 8, no Complexo de Gericinó, no Rio.

Ele é investigado pelo suposto esquema de rachadinha no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), quando era deputado estadual.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome