Líderes do Congresso preferem Mourão a Bolsonaro, aponta pesquisa

Mesmo congressistas da base do governo atribuem notas medianas a Bolsonaro e preferem o vice ao presidente

Mourão e Bolsonaro se estranharam nos últimos dias e vice já se vê quase fora da chapa à reeleição em 2022. | Foto: Alessandro Dantas

do Congresso em Foco

vice-presidente Hamilton Mourão é mais bem avaliado por líderes do Congresso do que o presidente Jair Bolsonaro. Levantamento feito pelo Painel do Poder, ferramenta de pesquisa do Congresso em Foco, mostra preferência dos parlamentares pela atuação de Mourão. Em uma escala de 1 a 5, as 70 lideranças entrevistadas deram nota 2,9 ao vice-presidente. Já o presidente ficou com média de 2,4. Mesmo congressistas da base do governo atribuem notas medianas a Bolsonaro e preferem o vice ao presidente. Bolsonaro tem melhor desempenho entre deputados. Mourão, entre os senadores.

A divulgação da pesquisa, concluída em dezembro, ocorre na semana em que presidente e vice explicitaram problemas de relação. Mourão disse, em entrevista à CNN Brasil, que conversa cada vez menos com o presidente e que sente falta de maior diálogo entre os dois. Ele foi chamado de “palpiteiro” por Bolsonaro após sugerir a demissão do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Para completar, um assessor do vice foi flagrado em troca de mensagens com um deputado, defendendo que o impeachment do presidente e, por consequência, a ascensão do chefe seria o melhor para o país. Após a revelação do caso, Mourão demitiu o funcionário e disse que não tinha ciência de seus movimentos.

De acordo com o Painel do Poder, mesmo entre membros autodeclarados da base, há aqueles que atribuem nota 3 (mediana) ao presidente. Entre a oposição as notas se concentram exclusivamente em 2 e 1, ou seja, nenhum oposicionista avalia sequer medianamente o presidente da República.

Mourão é mais bem avaliado que Bolsonaro pelos principais líderes do Congresso desde a primeira rodada do Painel do Poder durante o atual governo. A média do vice oscilou entre 2,9 e 3,1 nesse período. Já o presidente alcançou sua melhor média em setembro de 2020 (2,6), enquanto se aproximava do Centrão e reduzia seus ataques ao Congresso. Nas demais pesquisas, ficou com nota entre 2,4 ou 2,5, na escala de 1 a 5.

A nova onda do Painel do Poder foi feita entre os dias 26 de novembro e 2 de dezembro. O Painel ouve a cada três meses as principais lideranças do Parlamento, como presidentes de comissões ou frentes parlamentares, líderes de bancada e formadores de opinião na Câmara e no Senado. Foram entrevistados nesta edição 70 deputados e senadores, considerando-se a proporcionalidade de partidos, posicionamento em relação ao governo e distribuição geográfica dos políticos entrevistados.

Como mostrou ontem o Congresso em Foco, Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, é considerado pelos líderes o pior ministro de Bolsonaro, seguido de Ricardo Salles, do Meio Ambiente. Já Tereza Cristina, da Agricultura, e Tarcísio Freitas, da Infraestrutura, aparecem empatados como os dois melhores integrantes do ministério.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora