Maior chacina da história de Itaboraí (RJ) teve ajuda de viatura oficial da PM

Polícia Civil que investiga a chacina encontrou imagens de câmeras de segurança e tem depoimentos de paramilitares que admitem o apoio da PM

Jornal GGN – Uma viatura do 35º Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro ajudou um grupo de milicianos a patrulhar áreas de Itaborái horas antes da maior chacina da história local. É o que afirma o jornal Extra, a partir de informações da Polícia Civil.

Segundo o jornal, imagens de câmeras de segurança mostram que uma Pajero prata utilizada por milicianos varreu as ruas de Itaboraí ao lado de uma viatura da PM. Horas depois, na noite de 20 de janeiro deste ano, a mesma Pajero com 4 ocupantes (entre eles, um PM) matou 10 pessoas em alguns bairros da região.

“Uma filmagem flagrou o momento em que um carro do batalhão para próximo ao Pajero, um policial desembarca do veículo e conversa com os paramilitares. A participação dos agentes na preparação dos assassinatos foi confirmada à Polícia Civil e ao Ministério Público por três milicianos que, após serem presos, aceitaram colaborar com as investigações da polícia.”

Dois milicianos admitiram que a viatura da PM caracterizada era usada para patrulhas em apoio aos milicianos. Um terceiro informou aos investigadores que soube que os policiais militares ajudariam na chacina para “cobrar a morte do cabo Marques”.

“Eles se referiam a Rodrigo Marques, policial lotado no 35º BPM que morava na região e havia sido executado a tiros três dias antes da chacina. Segundo a polícia, nenhum dos dez mortos tinha envolvimento no homicídio do cabo.”

Leia mais.

O GGN prepara uma série inédita de vídeos sobre a interferência dos Estados Unidos na Lava Jato e a indústria do compliance. Quer apoiar o projeto? Saiba como em www.catarse.me/LavaJatoLadoB

5 comentários

  1. O que deve se passar na cabeça dos policiais militares sérios, honestos e cumpridores da lei, da ordem e da autoridade policia, ao verem companheiros de farda mancharem e denegrirem, cada vez mais, a figura representativa do policial militar como modelo exemplar do heroísmo e do corajoso combate contra o crime? O que devem pensar os verdadeiros heróis da lei e da ordem, que seguem fielmente todos os preceitos constitucionais que regem os seus cargos, quando percebem que vários ninhos da delinquência estão brotando por todo corpo da instituição da PMERJ?

    • disse tudo…
      o lado bom é bem maior

      mas a jogada do outro lado é empresarial, particular

      visão sugere o outro lado como sendo empresas que têm o próprio Estado como seu principal fornecedor de clientes, pela sua ausência na maioria dos locais de grandes conflitos, zero em termos de políticas públicas, zero de suprimento de necessidades básicas, segurança, transporte, saúde, educação, merenda escolar de boa qualidade, esportes, cultura, etc, etc

      se considerar a nível nacional, a lado a que me refiro ganha mais do que muitas grandes empresas tradicionais, sem gerar um tostão furado de arrecadação para o Estado, para a melhoria profissional, melhoria salarial, etc etc

      é por isso que sobra para agradar os que topam trabalhar mal, que são poucos e só brotam quando o governador da vez quer

      1
      1
    • Pensam que neste mês, sem reforçar o salário, vai ser difícil… se não a escola das crianças, a prestação do carro. E ilegal por ilegal, quanto mais pagar o bico, melhor.

      Infelizmente enquanto durar esse negócio de “meu pirão primeiro”, competitividade e salve-se-quem-puder, vai ser assim. E bota terror na turma, que aterrorizada a turma faz a roda da economia girar mais rápido. E a cada volta dela, ricos ficam mais ricos e pobres, mais pobres.

      Não que não haja polianas e sérpicos mas sim que esses duram pouco na polícia. Heróis não existem na hora de contar dinheiro.

  2. Solução que salta aos olhos…
    extinguir a fonte de renda das milícias

    sem fonte de renda não pode haver agrados, simples assim

    e com melhores salários para policiais da linha de frente também não

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome