Moro foi parcial no julgamento de Lula para 97% dos professores de Direito, diz pesquisa

Somente no Paraná o índice ficou um pouco a baixo da média dos estados, mas ainda assim alto: 92% disseram que Moro não foi imparcial

Jornal GGN – Uma pesquisa realizada com 283 professores de Direito sobre o modo como Sergio Moro conduziu o caso triplex apontou que, para 97% deles, o ex-juiz de Curitiba não foi imparcial em relação ao ex-presidente Lula. A informação é da jornalista Mônica Bergamo.

Somente no Paraná o índice ficou um pouco a baixo da média dos estados, mas ainda assim alto: 92% disseram que Moro não foi imparcial.

A pesquisa foi coordenada pelos advogados Juarez Tavares, da UFRJ, Gisele Cittadino, da PUC-RJ, Pedro Serrano, da PUC-SP, e Carol Proner, do IJHF-AL.

A parcialidade de Moro é objeto de um habeas corpus que pede que a segunda turma do Supremo Tribunal Federal reconheça a sua suspeição.

Para a defesa de Lula, o simples fato do ex-juiz não parecer parcial já seria suficiente para que seus atos fossem anulados. Mas no caso de Moro, há muito mais do que aparências: as mensagens de Telegram divulgadas pelo Intercept Brasil mostra que Moro agiu em conluio com os procuradores da Lava Jato em Curitiba.

Em julgamento relacionado ao caso Banestado, o ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, apontou que Moro foi um juiz parcial. Confira mais aqui.

STF não precisaria substituir Celso de Mello em julgamento da suspeição de Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome