Moro, o grande inimigo da democracia, comentário de Eduardo Ramos

Moro, tendo tido uma educação normal que costumamos dar aos nossos filhos, ele ESCOLHEU ser esse ser prepotente, perverso, frio, traidor, calculista em suas maldades e objetivos de poder até a medula.

Por Eduardo Ramos
comentário no post Xadrez de Moro e a mídia no país dos arrivistas, por Luis Nassif

Duas características que foram se tornando nítidas em Sérgio Moro me assustam particularmente, inclusive causando perplexidade sobre a absoluta falta de cognição com a realidade de nossas classes médias, ao não perceberem isso ou, pior, perceberem e não darem importância…

São elas: a arrogância absurda de seu comportamento de “imperador”, que impõe ao Judiciário, ao MPF, à nação na verdade, a sua vontade pessoal, ao arrepio de toda e qualquer lei ou norma constitucional. Eventos como as prisões temporárias tornadas eternas como forma de torturar os investigados, a condução coercitiva do presidente Lula e o vazamento de uma gravação que envolvia a presidente da República revelam um homem não só sem caráter ou pudor algum, mas acima disso, UM HOMEM QUE NÃO TEM LIMITES na prepotência absoluta embutida em suas ações.

A segunda característica, a malignidade fria, calculista de sua personalidade, com cores psicóticas, narcísicas, sádicas, como o fato de massacrar a família de Lula implacavelmente, tomar os Ipads dos netos de Lula, soltar gravações de conversas íntimas entre dona Marisa e seu filho apenas para degradar e humilhar a família, instruir a juiza Lebbos que proibisse o que pudesse as visitas a Lula, a lista é interminável…..

Que um ser humano tão desprovido de um senso mínimo de humanidade e civilidade se torne o queridinho da mídia e de nossas elites e classes médias, é pavoroso! Porque torna-se revelador, ingênuos manipulados à parte, do rosto, da face, de como são as pessoas desse segmento social.

Em certos aspectos, Moro consegue ser pior do que Bolsonaro, porque se o segundo é certamente um demente bestial, que não conseguiria ser diferente do que é, Moro, ao contrário, tendo tido uma educação normal que costumamos dar aos nossos filhos, ele ESCOLHEU ser esse ser prepotente, perverso, frio, traidor, calculista em suas maldades e objetivos de poder até a medula. É isso que o torna mais perigoso para o Brasil que o próprio Bolsonaro, que acaba destruindo a si mesmo…. Moro, não, usa sua frieza para destruir o inimigo! Uma pessoa assim, tendo a “compulsão do imperador auto proclamado”, mas sabendo usar de um verniz que esconde sua verdadeira personalidade, pode causar estragos irreversíveis em nosso país, aliás, como tem feito nos últimos sete anos.

É o grande inimigo da democracia, da justiça e da civilidade, a ser batido antes que galgue mais poder para seguir sua rota de caos, maldades e destruição do Brasil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora