Na Alemanha, político defensor de refugiados é assassinado por neonazista

Segundo a imprensa internacional, o suposto assassino - que tem histórico de condenações por violência - teria confessado a autoria e confirmado a motivação política por trás do crime

Jornal GGN – Horst Seehofer, ministro do Interior da Alemanha, confirmou nesta quarta-feira (26) que o político Walter Lubcke, 65, membro do Partido União Democrata Cristã, de Angela Merkel, foi assassinado por Stephan Ernst, um neonazista seguidor da legenda de extrema-direita Alternativa Para Alemanha.

“O assassinato abalou profundamente a Alemanha e levantou dúvidas sobre se o país não levou a sério a ameaça crescente dos neonazistas”, apontou o The Guardian.

A motivação do crime, segundo informações da imprensa internacional, seria de ordem política: Lubcke defendia o acolhimento de refugiados pelo governo alemão. Desde 2015, a Alternativa Para Alemanha vem defendendo que políticos que sustentam essa agenda devem deixar o País.

Segundo o The Guardian, o suspeito do assassinato tem 45 anos e uma série de condenações por “crimes violentos contra migrantes”.

“Ele cumpriu uma sentença de prisão depois de tentar plantar uma bomba em frente a uma casa para requerentes de asilo em 1993. Ele foi preso há 10 anos em uma marcha neonazista em Dortmund e sentenciado a sete meses de liberdade condicional por violar a paz.”

Nos últimos anos, ainda de acordo com relatos do El País, a classe política defensora de refugiados passou a receber inúmeras ameaças. Lubcke estava entre essas lideranças. Ele foi encontrado morto, com um tiro na cabeça, em sua residência, no dia 2 de junho.

“(…) a imprensa alemã revelou que o suspeito mantém relações com o ambiente neonazista há anos” e está sendo investigado pelo Ministério Público da República, o que indica que há, de fato, “motivação política no crime”, anotou o El País.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome