No lugar de Bolsonaro, Lula teria prometido desmatamento zero e renda emergencial maior

Para Lula, Bolsonaro deveria ter prometido ouvir a ciência, manter os 600 reais de auxílio emergencial, retomar as obras públicas e ampliar crédito via bancos públicos

Jornal GGN – O ex-presidente Lula apresentou nesta terça (22), durante uma live no canal Meteoro Brasil, o discurso que faria na Assembleia Geral da ONU se estivesse no lugar de Jair Bolsonaro.

Segundo Lula, “o que se esperava ouvir” do presidente do Brasil em meio à crise econômica e sanitária “era uma coisa simples”: uma série de medidas para remediar a situação e assistir à população vulnerável.

Se fosse Bolsonaro, Lula teria prometido que o governo federal não mais iria se pautar pela negação da ciência que levou o Brasil a acumular 4,5 milhões de casos de coronavírus e mais de 136 mil mortos.

“Vamos anunciar testes em massa para conhecer a dimensão da pandemia; vamos investir em Saúde (…), o que for necessário. Vamos manter o auxílio de 600 reais e instituir o Mais Bolsa Família”, disse Lula. “Os bancos públicos abrirão imediatamente crédito para as pequenas empresas”, acrescentou. “Retomaremos as obras paradas para reativar a economia.”

“O governo nunca mais fará propaganda de remédio sem comprovação cientifica, nem voltará a desmoralizar medidas de prevenção”, disse Lula.

Sobre a questão ambiental, Lula apontou que o governo decretaria o “desmatamento zero” na Amazônia e convocaria os 4 mil soldados das Forças Armadas que estão na fronteira com a Venezuela hoje para enfrentar as queimadas no Pantanal.

Ao contrário de Bolsonaro, que culpou os “caboclos e povos indígenas” pelo desmatamento e queimadas, Lula os tratou como “guardiões do meio ambiente” e afirmou que eles teriam prioridade no atendimento à Saúde, e assistiram à retomada da demarcação de terras indígenas.

Leia também:  EUA receberão informações sigilosas da Petrobras graças à Lava Jato

Lula ainda falou de programas para garantir segurança alimentar, acabar com a política de liberação de agrotóxicos, reforma agrária, combate à desigualdade social com políticas para afrontar o racismo estrutural e o patriarcalismo.

“Era esse o discurso que Bolsonaro deveria ter feito se ele tivesse compromisso com o País”, concluiu Lula.

Em discurso na ONU, Bolsonaro afirmou que ele evitou o “mal maior” na pandemia de coronavírus, enquanto a imprensa disseminou o terror entre a população.

Bolsonaro também disse que sofreu uma bruta campanha de desinformação internacional e negou que a destruição ambiental na Amazônia e Pantanal seja motivo de alarde.

Confira mais sobre o discurso de Lula a seguir e o de Bolsonaro abaixo:

LULA DISCURSO ONU 22 09 20

Na ONU, Bolsonaro mente sobre destruição ambiental e pandemia

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Nada a comentar sobre a grotesca fala de um mentiroso além do fato de que o criminoso nem consegue ler,não sei se fico envergonhado ou revoltado com tão tosca ,fútil e inútil figura deter o comando do Brasil representando os nascidos na terra de um orador como Luiz Inácio.
    Verdade é que o mundo está estarrecido e perplexo diante de tanta cara de pau e jumentice.

  2. Nas palavras do Lula vejo um Brasil que poderia estar funcionando plenamente…
    bem definido, bem direcionado, e definitivo

    nas do Bolsonaro apenas um êxtase demoníaco

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome