O crescente desgaste entre Bolsonaro e Mourão

Presidente desautoriza declarações públicas do vice-presidente; deputados comparam quadro com a fase final do segundo mandato de Dilma

Presidente da República, Jair Bolsonaro e o Vice-Presidente Hamilton Mourão. Foto: Alan Santos/PR

Jornal GGN – O relacionamento entre o presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão tem mostrado um desgaste crescente, ao ponto de deputados compararem com a fase final do segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que passou a ignorar e desconfiar o então vice-presidente Michel Temer (MDB).

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, Bolsonaro sempre declarou de maneira reservada que nunca confiou totalmente em Mourão, mas que agora passou a considerar o militar uma espécie de adversário.

Bolsonaro tem evitado consultar Mourão a respeito de temas estratégicos, desautorizado indiretamente pronunciamentos públicos do vice-presidente e criticado, de forma reservada, a disposição em responder à imprensa sobre temas que muitas vezes não estão relacionados a suas atribuições dentro do governo.

Em conversas com militares, Mourão tem se mostrado ciente dessa piora e chegou a sinalizar a intenção de submergir neste final de ano e, no começo de 2021, iniciar um movimento de reaproximação com o presidente – o que seria estratégico inclusive para que Bolsonaro repensasse a decisão de não escalar o vice-presidente para representar o Brasil na COP-26, além de ser uma oportunidade para que Bolsonaro viabilizasse a participação de mais ministérios na preservação da floresta amazônica.

 

 

Leia Também
Desconfiança com governo Bolsonaro trava acordo com Mercosul, diz embaixador da União Europeia
Bolsonaro desautoriza Mourão sobre 5G
Mourão contradiz governo e fala em 150 milhões de brasileiros vacinados

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Mourão vai seguir falando , sendo a oposição dentro do governo , a mídia vai seguir fingindo que o que fala importa.
    Como estaria Dona Janaína se estivesse lá ?

    • PauloDantas: a pergunta dolorosíssima e real é — “QUE É PIOR, CÂNCER NO SEIO OU CÂNCER NO ÚTERO”! Pois este é o dilema político-social em Pindorama, no qual só se bate em algumas das malditas cabeças da Hidra de Lerna. A FeraFardada continua, sob os auspícios do Gringo dono do Quintal onde moramos, dando uma banana aos ribeirinhos locais. Qualquer substituição, neste cenário, é tipo trocar nada por coisa nenhuma.

  2. Nassif: a pergunta dolorosíssima e real é — ‘QUE É PIOR, CÂNCER NO SEIO OU CÂNCER NO ÚTERO”! Pois este é o dilema político-social em Pindorama, no qual só se bate em algumas das malditas cabeças da Hidra de Lerna. A FeraFardada continua, sob os auspícios do Gringo dono do Quintal onde moramos, dando uma banana aos ribeirinhos locais. Qualquer substituição, neste cenário, é tipo trocar nada por coisa nenhuma.

  3. Parece que vamos assistir a repetição do mesmo enredo do golpe contra a presidenta Dilma. A partir do primeiro dia de janeiro, Mourão vai iniciar um processo de desgaste do Bolsonaro e sua famigerada família. O impedimento está a caminho para entronar Mourão como presidente da nação. Estamos precisando de um norte e Mourão é o que temos no momento. E os maçons não brincam em serviço…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome