O feminino cultural de Inezita Barroso em 50 caricaturas no Memorial da América Latina, em São Paulo

No mês da mulher, a cantora e apresentadora referência da cultura sertaneja é homenageada por desenhistas do Brasil, Colômbia e Portugal, em mostra com abertura marcada para o dia 11

Inezita Barroso, por Mauricio de Sousa

Jornal GGN – Mulher símbolo da disseminação do folclore brasileiro, Inezita Barroso marca a história com suas expressões artísticas, seja na música ou na apresentação de programas da TV. Em 2015, no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, Inezita faleceu deixando sua marca feminina na cultura sertaneja e agora ganha uma exposição de 50 caricaturas no Memorial da América Latina, em São Paulo, com abertura marcado para 11 de março.

Mulher com 60 anos de carreira, títulos não faltam e vão desde professora, a  pesquisadora, até cantora. Seu legado ganha evidência na TV, apresentadora do programa Viola, Minha Viola, da TV Cultura, onde Inezita jogava luz sobre o sertanejo  semanalmente. 

Os feitos de Inezita não param por aí, documentários saíram do papel por meio de suas viagens pelo mundo com o repertório folclórico, que destacava as raízes da musicalidade popular brasileira. 

Agora, as expressões de Inezita, sempre contagiantes, são retratadas em 50 caricaturas, assinadas por desenhistas do Brasil, Colômbia e Portugal. O cartunista brasileiro Maurício de Sousa faz parte da exposição, além de artistas como Danilo Scarpa, Claudio Teixeira, entre outros.

No dia 11, a programação do Memorial ainda conta com uma edição especial do projeto “Choro, Chorinho, Chorões”, com apresentações dos grupos Chorinho Faceiro e Chorando em Trio, formados só por mulheres. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Periferia de São Paulo foi a mais atingida pela Covid-19

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome