Os diversos alertas do FMI para a economia brasileira

País deve considerar novo corte de juros, além de esticar auxílios financeiros à população e a adoção de novos estímulos para a economia

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A recuperação econômica do Brasil será diretamente afetada pelo fim dos estímulos econômicos, como o auxílio emergencial (gerando impacto direto no consumo das famílias), e a pandemia do coronavírus, segundo relatório elaborado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

O fundo internacional afirma que o país sofrerá com um corte abrupto das medidas de estímulo econômico adotadas pelo governo, já que os efeitos da crise gerada pela pandemia persistem.

Além disso, o FMI afirmou que o Banco Central deve considerar novos afrouxamentos na política monetária – ou seja, avaliar um novo ciclo de corte dos juros, caso a inflação e as expectativas de inflação continuem abaixo da meta mas com acompanhamento das implicações para o fluxo de capital e a estabilidade financeira.

O FMI também apontou a necessidade de aprovar uma reforma tributária abrangente, acelerar o ritmo de novas concessões e privatizações e finalizar acordos comerciais.

Ontem (01/12), o presidente Jair Bolsonaro voltou a negar a possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial, no valor atual de R$ 300, que vem sendo pago para aliviar o impacto da pandemia junto a população mais carente. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Ministério da Saúde deixou dados de todos os brasileiros expostos por 6 meses
Boulos, as esquerdas e a resistência, por Luis Felipe Miguel
Mais uma cidade sitiada: Cametá, no Pará, vive madrugada de horror
Consultoria que contratou Moro fez prova de que Lula nunca foi dono do triplex

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora