Os Golpes e o Método Passo a Passo de Gene Sharp

OS GOLPES E O MÉTODO PASSO A PASSO DE GENE SHARP – Saiba como derrubar um governo de modo “usave”. A receita tem sido aplicada mundo afora contra governos não submissos aos EUA. Saiba mais:

A teoria do filósofo é derrubar governos, através de métodos não violentos que substituem as bombas e rifles por mentiras e boicotes

 

Gene Sharp é professor emérito de ciência política da Universidade de Massachusetts, fundador do Albert Einstein Institution e autor de um ensaio polêmico chamado “da ditadura para a democracia”, que fornece uma análise política pragmática da ação violência como um método de usar o poder em um conflito.

A obra traduzida em mais de 30 idiomas e tem 198 métodos para derrubar governos, e está dividido em três grandes fases: protesto, não-cooperação e de intervenção, que são sempre aplicadas após as eleições.

No vídeo, estima-se que a direita venezuelana, liderada por Henrique Capriles e partido político Primero Justicia, a Sharp implementa o método de não reconhecer os resultados das eleições presidenciais de 14 de abril de 2013 e as ações subseqüentes.

 

Então, conhecer o método da Sharp:

http://www.correodelorinoco.gob.ve/politica/conozca-manual-golpe-suave-gene-sharp-video/

“(….) As etapas do “golpe suave”


De acordo com o politólogo estadunidense Gene Sharp, a estratégia do “golpe suave” pode ser desenvolvido por etapas hierarquizadas ou simultaneamente. No caso boliviano, mais ou menos se deu da seguinte maneira.

1ª etapa: abrandamento (empregando a guerra de IV geração):
• Desenvolvimento de matrizes de opinião centradas em déficits reais ou potenciais.
• Montagem nos conflitos e promoção do descontentamento.
• Promoção de fatores de mal estar, entre os que se destacam: desabastecimento, criminalidade, manipulação do dólar, greve patronal e outros.
• Denúncias de corrupção, promoção de intrigas sectárias e fratura da unidade.

2ª etapa: deslegitimação :
• Manipulação do anticomunismo.
• Impulsionamento de campanhas publicitárias em defesa da liberdade de imprensa, direitos humanos e liberdades públicas.
• Acusações de totalitarismo e pensamento único.
• Fratura ético-política.

3ª etapa: aquecimento das ruas:
• Montagem nos conflitos e fomento da mobilização nas ruas.
• Elaboração de uma plataforma de luta que globalize as demandas políticas e sociais.
• Geração de todo tipo de protestos, expondo falhas e erros governamentais.
• Organização de manifestações, fechamento e tomada de instituições públicas que radicalizam a confrontação.

4ª etapa: combinação de diversas formas de luta:
• Organização de marchas e tomada de instituições emblemáticas, com o objeto de cooptá-las e convertê-las em plataforma publicitária.
• Desenvolvimento de operações de guerra psicológica e ações armadas para justificar medidas repressivas e criar um clima de ingovernabilidade.
• Impulsionamento de campanha de rumores entre forças militares e tratar de desmoralizar os organismos de segurança

5ª etapa: fratura institucional:
Sobre a base das ações de rua, tomada de instituições e pronunciamentos militares, obrigando a renúncia do presidente.

Em caso de fracasso, se mantém a pressão de rua e se migra para a resistência armada.

Preparação do terreno para uma intervenção militar do império ou o desenvolvimento de uma guerra civil prolongada. Promoção do isolamento internacional e o cerco econômico.

*Hugo Moldiz Mercado é jornalista boliviano, mestre em Relações Internacionais 

(…)”

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=188485&id_secao=7

Leia também:  Comissão de Mortos e Desaparecidos pode acabar em 2020

 

Video

http://www.youtube.com/watch?v=8Hm_fsH3oWs&feature=youtu.be

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome