Paulo Preto é condenado a 27 anos de prisão por cartel em obras do Metrô e Rodoanel

Odebrecht mantinha duas planilhas: a do “amor”, que saia bem mais cara aos cofres públicos, e a da “briga” quando a disputa de preços entre as construtoras era real

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN – O ex-diretor da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), nos governos José Serra (PSDB) e Geraldo Alckmin (PSDB), Paulo Vieira Souza, conhecido como Paulo Preto, foi condenado nesta quinta-feira (28) a 27 anos de prisão, sendo os sete primeiros em regime fechado.

A decisão aconteceu no âmbito da Lava Jato em São Paulo. Vieira Souza está preso desde o dia 19 de fevereiro por conta da 60ª fase da Operação Lava Jato de Curitiba. Essa última, investiga um esquema de lavagem de dinheiro de corrupção praticada com a Odebrecht.

No processo movido na justiça de São Paulo, Vieira Souza foi condenado por fraude e formação de cartel nos processos de licitações ligados às obras do trecho sul do Rodoanel e do Sistema Viário Metropolitano de São Paulo. Os crimes aconteceram quando diretor de Engenharia da Dersa, entre 2007 e 2010, no governo Serra.

De acordo com a denúncia, a Odebrecht mantinha duas planilhas, uma chamada “amor” (conluio completo com as dez construtoras do cartel, mais as demais habilitadas) e outra chamada “briga”, para o caso de haver disputa real entre as empresas.

Os serviços prestados pela Odebrecht e as parceiras no cartel na planilha “amor” saíam bem mais caros ao Estado de São Paulo chegando a custar entre R$ 496 milhões e R$ 567 milhões cada lote. Enquanto os serviços disputados em caso de concorrência real, da planilha “briga”, custavam entre R$ 410 milhões a R$ 518 milhões cada lote.

Leia também:  A sinuca de bico na licitação da Zona Azul em São Paulo, por Luis Nassif

Paulo Preto é o primeiro condenado no esquema. O cartel foi delatado por executivos da Odebrecht por meio de acordos de leniência firmados com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), em 2017. O Ministério Público Federal também usou um acordo de leniência feito pela construtora e o depoimento espontâneo de dois executivos da Queiroz Galvão, que devem ter pena reduzida caso sejam condenados pela contribuição feita à justiça.

A juíza do caso, Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Criminal de São Paulo escreveu que o réu “tinha plena consciência da ilicitude de sua conduta” e que, “na qualidade de diretor de Engenharia da Dersa, Paulo Vieira de Souza se valeu das facilidades do cargo para o cometimento de diversos crimes como o descrito no presente feito, apresentando danos imensuráveis ao patrimônio público e à pessoa jurídica, em sistema sofisticado de fraudes a certames licitatórios”.

Segundo Prado, a defesa Vieira Souza “não trouxe aos autos nenhum elemento que colocasse em dúvida a forte contextura probatória em desfavor do acusado ou mesmo o depoimento de testemunhas do fato que corroborassem a versão declinada pelo acusado”.

Mais processos

O ex-diretor da Dersa é réu em outro processo que tramita na justiça de São Paulo, onde é suspeito de desvios de R$ 7,7 milhões em reassentamentos do Rodoanel Sul. Mas o processo deve prescrever após uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes do dia 15 de fevereiro.

Leia também:  Governo dos EUA usa dados confidenciais contra jovens imigrantes

Como relator, Gilmar concedeu uma liminar ao ex-diretor da Dersa que anulou a fase final do processo, obrigando a reabrir a possibilidade de produção de provas por parte da defesa de Vieira Souza. Como o réu completa 70 anos em março, idade para que um dos crimes que responde caduque e se reduza à metade da pena, as acusações contra ele devem prescrever.

Já o processo que responde na Lava Jato de Curitiba, e pelo qual está preso desde o dia 19, investiga a sua participação como operador da Odebrecht. Não entrará nesta investigação as suspeitas de desvios em obras de São Paulo.

A estratégia é limitar a investigação e evitar que o caso seja retirado do Paraná e enviado ao Supremo, caindo no colo do ministro Gilmar Mendes, pois envolveria ligação com políticos com foro privilegiado do PSDB, entre eles José Serra.

Leia também: Paulo Preto passou todo seu patrimônio para empresa de filhas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Bonito não…….ele assinava os contratos sozinho, aprovava as obras sozinho………recolhia a bufunfa aozinho…….

    os secretarios e governadores eram uns tontos, perfeitos idiotas pois não viram a roubalheira bilionaria, que persistiu por muito tempo? Segundo informações quase dez BILHÔES foram desviados só de obras da dersa, um volume mosntruoso que que tinham um imóvel só para guardar dinheiro…..sei…..e os orgãos de fiscalização de são paulo…zzzzzzzzz, estavam preocupados com o muquifo do Lula………..

  2. CURTO E GROSSO

    Nassif: essa de enquadrar PauloMoreninho (Preto, no bando, nem café) é pra aliviar a galera de KibeCoxinhas e SacadasGourmetizinhas (a laje de burguês urbano). EliotNessTupiniquim e sua galera vai ulular na ONU que a Lei (deles) alcança a todos, mesmo que lenta e corrupta. Enquanto isto, num palacete na Av. Foch, o Principe de Paris aguardará, anciosamente, a chegada do Carcamano da Moóca (à tiracolo o ProfetaMaldito) para brindarem com aquele “GrandCru” de Bordeaux, sobra da comemoração da prisão do SapoBarbudo. Depois vão a Barcelona para verificarem o andamento das contas.

    A essa altura o larápio em cana já havia desviado tudo. Deixou, enrustido numa parece falsa, umas quirerinhas, pros agentes do Príncipe não sairem de mãos vazias.

    A grande mídia fara o rotineiro estardalhaço, por dois dias.

    As milícia do Tanque voltam aos afazeres habituais, com recolhimentos periódicos ao daBalinha. Os VerdeSauvas insistirão em manter sigilosas as contas da administração da ItaipuBinacional. Os do pó, nas Alterosas, continuarão suas operações no EspiritoSantos e em Ipanema. FernandinhoBeiraMar e Marcola continuarão sendo culpados e o Congresso, se esparramando da Farra do Boi Bumbá, sob a batuta de Botafogo e do representante de Bibi, no Legislativo.

    Nem vou falar do Judiciário. Seria covardia. Agora, ouvi dizer que o maior crime do Meliante do Rodoanel foi pesar mais de 3,5 arrobas…

  3. Onde está Sérgio Moro? Onde está Dellagnol? Onde estão as Delações Premiadas? Onde estão as Conduções Coercitivas? Como em outros casos, por que não foram pedidos as prisões das Esposas. Filhos e Filhas deste sr.? Como podem ter Patrimônio Milionário sem ter comprovação desta renda? Por que Temer, Aécio, Serra, Aloísio, Loures, FHC, Alckmin, Richa ainda não foram presos? A Suíça já revelou as contas da Filha do Serra com alguns milhões. As contas do Tucanato com muito mais dinheiro. As Filhas de Paulo Preto tem patrimônio astronômico impraticável com suas rendas. O Poder Judiciário não fará o Espetáculo de Powerpoint’s? Das Profundas Convicções? Existe dois pesos e duas medidas? O Poder Judiciário funciona conforme o Personagem e o Partido? Paulo Preto é quem governava SP por 30 anos? Mas o melhor de tudo. Os tais AntiCapitalistas, os tais Socialistas Redemocráticos que fariam Política de outra forma. Os ‘Combatentes’ contra a corrupção dos Governos Militares. Combatentes contras Elites. Elites são os outros. Nepotismo e Déspotas? Jamais!!! As mesmas Empreiteiras que se tornaram donas das nossa Vidas, da nossa Soberania, da nossa Liberdade. Para quem Governos Tucanos e Petistas legislam, criminalizam, multam, prendem. O tempo é senhor da razão. E a Verdade é Libertadora. Conheceis a Verdade e ela revelará os Canalhas. País de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome