Plano de vacinação do governo foi entregue sem aval do corpo técnico

Trinta e um elaboradores divulgaram nota pública protestando contra falta de acesso à versão final do texto, entregue pelo governo neste sábado ao STF

Foto: Reprodução

Jornal GGN – A versão final Plano Nacional de Vacinação divulgado pelo governo de Jair Bolsonaro não foi acessada pelos 31 elaboradores do plano. O documento foi entregue este sábado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“Nos causou surpresa e estranheza que o documento no qual constam os nomes dos pesquisadores deste grupo técnico não nos foi apresentado anteriormente e não obteve nossa anuência”, ressaltam os cientistas. “Importante destacar que o grupo técnico havia solicitado reunião e manifestado preocupação pela retirada de grupos prioritários e pela não inclusão de todas as vacinas disponíveis que se mostrarem seguras e eficazes”.

Ethel Maciel, professora da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e uma das integrantes do corpo técnico responsável, chegou a usar suas redes sociais para falar a respeito:

Segundo o jornal O Globo, o Ministério da Saúde retirou os detentos do grupo de pessoas prioritárias para receber a vacina contra a Covid-19, e não apresentou respostas consistentes para a situação de outros grupos apontados como prioritários, como quilombolas e ribeirinhos.

O governo Bolsonaro também excluiu a CoronaVac – desenvolvida pelo Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac – dentre os imunizantes adotados. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende vacinar a população paulista a partir de 25 de janeiro, mas a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não deu seu aval.

 

Leia Também
Covid-19 – Balanço de momento: 71,3 milhões de casos, 1,6 milhão de mortes e 45,5 milhões de altas, por Felipe A. P. L. Costa
Covid: Salta de 9% para 22% a taxa de brasileiros que não pretendem se imunizar

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora