PMs que mataram jovens com mais de 20 tiros são absolvidos por legítima defesa

Os policiais estavam presos preventivamente desde junho do ano passado; ação foi gravada e viralizou

Fórum Criminal Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda, onde ocorreu o julgamento. Foto: Divulgação/TJ-SP
Fórum Criminal Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda, onde ocorreu o julgamento. Foto: Divulgação/TJ-SP

Na segunda-feira (1º), a Justiça absolveu o sargento André da Silva e o soldado Danilton da Silva. Eles eram acusados de homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que dificultou defesa da vítimas.

A maioria do júri do Fórum Criminal da Barra Funda, à oeste da capital paulista, inocentou os PMs.

A abordagem ocorreu no bairro de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, em junho de 2021. Vídeo que registrou a ação viralizou nas redes sociais. Assista:

Nele, é possível ver os dois oficiais atirando contra as vítimas, que eram suspeitas de roubo. Felipe Silva tinha 23 anos e foi alvejado por 27 disparos, enquanto Vinicius Procópio, de 19 anos, sofreu 23 tiros.

À época, os agentes tiveram prisão preventiva decretada pela Corregedoria da Polícia Militar por fraude processual. Os PMs teriam mentido no depoimento que deram ao Tribunal Militar.

Antes do julgamento, o Ministério Público havia denunciado os policiais por supostamente terem plantado duas armas na cena do crime. Porém, a acusação foi negada pela Justiça.

Novo documentário do Jornal GGN denuncia ameaça de golpe eleitoral de Bolsonaro e os esquemas da ultradireita mundial. Apoie o lançamento: WWW.CATARSE.ME/XADREZ-ULTRADIREITA

Após a decisão vinda do Fórum, os agentes foram soltos.

Versão da PM

Segundo André e Danilton, Felipe e Vinicius teriam roubado pertences indivíduos em um Peugeot Griffe. Assim, supostamente fugiram em um Chevrolet Ônix, que parou ao bater em um poste de iluminação e um Honda Fit. Esse seria o momento registrado no vídeo.

Na perseguição, os policiais alegam que receberam tiros e por isso reagiram, em legítima defesa. Porém, ambos não foram baleados nem feridos, enquanto os suspeitos receberam, ao todo, 50 perfurações.

Especialista critica decisão

Ariel Alves, membro do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana de São Paulo (Condepe)

O presidente do Grupo Tortura Nunca Mais, o advogado Ariel Alves criticou a decisão. Para ele, os membros do juri temem represálias em processos envolvendo policiais militares.

Essa absolvição é vergonhosa. Foi um verdadeiro fuzilamento realizado pelos PMs. A competência do Júri popular pra julgar esses casos precisa ser revista urgentemente. Os jurados, que em geral são comerciantes, profissionais liberais e funcionários públicos, temem retaliações dos policiais no caso de condená- los”, disse Ariel. “Ou atuam e julgam conforme o ‘senso comum’ de que ‘bandido bom é bandido morto’. E isso vira uma licença pra polícia matar. Que pode atingir suspeitos de crimes, mas também atinge inocentes. O papel dos policiais é de cumprirem as leis vigentes e não saírem matando como sádicos assassinos, fuzilando suspeitos de crime, como aparentemente ocorreu nesse caso.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AMBAR

- 2022-08-02 14:57:58

Andamos bem. Nosso aparato juridico penal é um dos mais vistosos do mundo. Dia destes, li no RT uma reportagem sobre um sujeito que manteve presos por 17 anos, dois filhos e a esposa no rio de janeiro. O cabra era conhecido na vizinhança como DJ, porque o som que vinha de sua casa era muito alto e incomodava os vizinhos. Nos comentários à reportagem, todos os falantes do fórum, ali de língua espanhola perguntavam por que diabos nenhum vizinho percebeu, em 17 anos que ninguém além do marido saia de casa, e por que ele ouvia um som tão alto, por que ninguém chamava a polícia pra ele. Malharam nosso amado país com essas críticas comezinhas. Dia seguinte, fui ver uma reportagem, pequena, no 247 onde esclarecia que o fulano, que mantinha refém a família por 17 anos, fora denunciado havia 2 ANOS, e que o caso se perdera nos meandros da polícia, ministério público e conselho tutelar - ninguém tinha tomado providência nenhuma. Aqui a reportagem do RT - https://actualidad.rt.com/actualidad/437088-mantiene-esposa-hijos-cautiverio-17-anos-brasil Foi esse conteúdo que o 247 republicou : https://revistaforum.com.br/brasil/2022/7/29/homem-preso-por-manter-esposa-dois-filhos-em-carcere-privado-por-17-anos-120890.html Agora perguntamos o que o brasil tem de menos selvagem e iníquo que os talibãs? Em que país vivem esses putos que se vestem de verde amarelo e vão dançar na avenida paulista com suas babás empurrando os carrinhos das suas crias? Ah! e ainda queriam que o sérgio moro impusesse a "lei impunidade policial" . Já não basta a alteração que tirou do juízo cível o poder de julgar crimes cometidos por policiais contra civis transferindo-o para o Juízo Militar, permitindo que meganha julgue meganha e um encoberte as safadezas do outro, ainda pretendiam que policiais que cometessem crimes contra a população contassem com o "amparo de uma lei de impunidade específica" Com supremo, com tudo, estamos como deus quer e o diabo gosta.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador