Porta-voz da China evita confronto com Bolsonaro sobre vacina

“China e Brasil têm colaborado nos testes de vacinas, e nós acreditamos que essa colaboração irá ajudar na vitória final", respondeu

Jornal GGN – Questionado sobre os ataques de Jair Bolsonaro contra a vacina da Sinovac, o porta-voz do governo chinês, Zhao Lijian, “exibiu um sorriso discreto, o único em toda a coletiva de mais de 40 minutos [em Pequim], e não fez referência direta a Bolsonaro.”

Ele respondeu, “calmamente”, mas de maneira limitada, que “China e Brasil têm colaborado nos testes de vacinas, e nós acreditamos que essa colaboração irá ajudar na vitória final sobre o vírus na China, no Brasil e ao redor do mundo.”

Entre quarta (21) e esta quinta (22), Bolsonaro desferiu ataques à vacina desenvolvida pela empresa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Na terça, o Ministério da Saúde chegou a anunciar a compra de 46 milhões de doses ao custo de R$ 1,9 bilhão, mas Bolsonaro desautorizou o acordo, alegando que a vacina é insegura, cara e uma vitória política de João Doria.

A manifestação do porta-voz da China ocorreu durante coletiva de imprensa do Ministério das Relações Exteriores. A informação é do jornal O Globo.

LEIA TAMBÉM:

 

Lula diz que boicote à Coronavac justifica impeachment de Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora