PSL fracassa nas urnas e ‘consolida’ candidaturas de fachada

Levantamento mostra que quase 200 candidatos do partido receberam pelo menos R$ 10 mil e registraram menos de 100 votos; mulheres e negros são maioria

Luciano Bivar, presidente do PSL. Foto: Reprodução/Câmara dos Deputados

Jornal GGN – Depois de eleger Jair Bolsonaro e registrar diversas candidaturas laranja em 2018, o balanço do PSL mostra que o partido não apresentou muito sucesso nas urnas nas eleições municipais.

Dados do Movimento Transparência Partidária mostram que o partido de Luciano Bivar (PE) direcionou a maior parte dos recursos recebidos do fundo eleitoral para candidatos que não foram eleitos: os dados apresentados pelos candidatos até o momento mostram que R$ 113,6 milhões dos R$ R$ 136 milhões do dinheiro público liberado pelo PSL (equivalente a 84%) foram para candidatos a prefeito e vereador não eleitos.

Outro dado também chama a atenção: quase 200 candidatos do PSL disse ter recebido pelo menos R$ 10 mil de verba, mas não registrou qualquer tipo de gasto de campanha, e cada um recebeu menos de 100 votos – o que é uma forte característica de candidaturas de fachada.

Dentre esses candidatos, 79% são mulheres e 59% são negros, percentuais que se mostram bem distantes da média geral de candidatos pelo país, com 33% de candidaturas femininas e 50% de negros. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

 

Leia Também
Nós temos Justiça Eleitoral?, por Álvaro Nascimento
Silvio Almeida, o intelectual da era pós-Bolsonaro
Laura Carvalho: “Auxílio emergencial foi ajuda significativa, mas seu fim deixará desigualdade como herança”
Justiça rejeita denúncia do “quadrilhão do PT” contra Lula

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Giro GGN: As notícias do Brasil e do Mundo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome