Reação de Moro a tortura em presídios não cabe numa democracia, diz jornal

"Infelizmente, é elevado o grau de verossimilhança nos relatos que descrevem os atos de barbárie", afirma editorial da Folha

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Editorial da Folha de S. Paulo desta terça (15) critica a resposta de Sergio Moro e de Jair Bolsonaro sobre a ação do Ministério Público Federal que denuncia tortura institucionalizada nos presídios do estado do Pará.

Na visão de jornal, a postura das duas autoridades, que negam que agentes públicos estejam agredindo física e psicologicamente os aprisionados durante as operações federais, não cabe numa “democracia que zela pelos direitos humanos”.

“Infelizmente, é elevado o grau de verossimilhança nos relatos que descrevem os atos de barbárie. A reação indiferente das autoridades é descabida em uma democracia que zela pelos direitos humanos.”

Há algumas semanas, o jornal O Globo e outros meios revelaram que, no Pará, a força-tarefa de intervenção nos presídios com detentos de baixa periculosidade, autorizada por Sergio Moro, foi denunciada por práticas desumanas.

Há relatos de empalamento pelo anos, espancamento, idosos sequelados por AVC impedidos de ter acesso a médicos, mulheres submetidas à nudez e obrigadas a ficar sentadas em formigueiros.

No Pará, onde também há intervenção federal em penitenciárias, há relatos de presos com os dedos quebrados para prevenir eventuais ataques aos agentes carcerários.

O coordenador da força-tarefa foi afastado pela Justiça, mas Moro nega que os relatos sejam reais e indica que só tomará providências se eles forem comprovados.

Leia mais:

Tortura nos presídios de Belém expõe sociopatia de Sérgio Moro, por Luis Nassif

“Banalização do mal”: Moro responde rebeliões em presídios com tortura institucionalizada

Leia também:  Moro recebeu pedido de proteção aos Guardiões da Floresta antes da morte de Paulo Guajajara

Tortura nos presídios do Ceará é revelada por grupo que Bolsonaro tentou encerrar

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Nassif: o ministro, talhado pelo cinzel das AgulhasNegras, polido pela mais fina areia da PraiaVermelha e doutrinado pelos ensinamentos da QuerênciaDeCruzAlta, esta apenas treinando a “tropa”, dentro do estrito princípio da DemocraciaDaBaioneta. Até o próximo ano, no mais tardar, esses meganhas estarão aptos a tratar diretamente com a população. Serão cabos eleitorais no pleito dos Estados e Municípios, onde se instalarão os votos de cabresto. As ListasTríplices de governadores e prefeitos das Metrópoles (com mais de 2 milhões de eleitores) estão sendo confeccionadas em Realengo e SantaCruz. Sob a supervisão do Queiroz e daBalinha-3. Trump já deu autorização a EliotNesseTupiniquim para executar o plano elaborado em Washington.

  2. O jornal do rato tenta passar uma imagem de preocupação com a democracia.
    Democracia, para eles,é uma palavra desconhecida.
    Onde estavam quando este mesmo sujeito praticava barbaridades em sua famigerada operação curitibana?
    Estavam,como agora,lucrando fortunas com a desgraça alheia.
    Covardes,sequer admitem isso é,agora, criticam a fera que ajudaram a criar por fazer aquilo que sempre fez: Justiçamento .

  3. Como pode, um ministro da Justiça incentivar abertamente a prática da delação?
    É uma figura que dá tratamento “vip” a réu colaborador e/ou delator premiado, um de outros mecanismos fascistas utilizados para promover justiçamentos. Na LavaJato, a quantidade de crimes cometidos por esta excrescência é extraordinária, e ainda faltam vir à tona diversos capítulos daquela tragédia.
    Sinto enorme desânimo quando vejo pessoas delatando à vontade, por diversas vezes delação mentirosa, considero o expediente da delação algo vergonhoso, e somente uma sociedade abaixo da crítica é capaz de assimilar tal comportamento expediente vergonhoso. Se alguém tiver conhecimento de algum lugar que tolere a prática da delação como matéria de noticiário televisivo, favor informar.
    Vamos e venhamos, em qualquer país sério o sociopata já estaria atrás das grades.
    E ainda tem a prisão em 2ª instância – E se o preso é considerado inocente, como é que fica, haverá alguma compensação por parte do Estado? É fácil compreender a dimensão da aberração, bastando pra isto refletir, e se acontecesse com o meu filho, ou com o meu pai, preso por nada?
    O tal ministro de araque, como o são todos ministros do governo deste louco varrido, é um caso a ser estudado pela psiquiatria.

  4. “CENORA ou PORRETE” a escolha básica que os presos têm de fazer, diz Moro em evento em que defende que o empresário precisa lucrar com o sistema prisional brasileiro.
    A DECLARAÇÃO “foi dada quando ele tratava da redução de benefícios de progressão de pena para presos que integram facções criminosas e faz parte do “pacote anticrime” enviado pelo Ministério da Justiça ao Congresso Nacional em janeiro deste ano”, em palestra no “Fórum de Investimentos Brasil, evento promovido pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos)”
    Fonte:
    CONJUR
    https://www.conjur.com.br/2019-out-11/moro-empresario-lucrar-sistema-prisional-brasileiro

  5. O marreco não cabe.em uma democracia….

    Nasceu com quinhentos anos de atraso e mesmo assim insiste em utilizar o malleus maleficarum, que dever ter um capítulo apócrifo, sobre um tal lullaam silllvam…..

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome