Sem Petrobras, governo vende mais 18 áreas para exploração de petróleo

Em leilão pouco disputado, vencedores pagarão R$ 56,7 milhões por 18 áreas de exploração; Eneva foi a maior vencedora, levando oito áreas

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro vendeu mais 18 áreas de exploração de petróleo e gás no Brasil, em uma disputa que contou com pouca concorrência e teve como destaque a ausência da Petrobras.

Sete empresas apresentaram oferta pelos campos, e as sete venceram. A única região que apresentou alguma disputa foi um campo de gás localizado na Amazônia, vencido pela Eneva com um ágio de 1650%.

Dentre as grandes corporações do setor de petróleo, apenas a Shell apresentou uma proposta – e levou com direito um bônus de R$ 12 milhões um bloco em águas profundas na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, com potencial para descobertas no pré-sal.

As empresas que participaram e levaram blocos de exploração nesse leilão (sozinhas ou em consórcio) foram Shell, Eneva, Imetame, e as empresas independentes Enauta, Petrorecôncavo, Petroborn e ENP Ecossistemas. Apenas a Shell investiu em blocos marítimos, o restante levou áreas em terra. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

 

Leia Também
Estrella: “Petrobras virou um fundo de investimento no cassino financeiro internacional”
Em pauta na Câmara Federal, ‘nova lei do gás’ aprofunda privatização do setor

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora