STJ confirma afastamento de Wilson Witzel do governo do RJ

Catorze dos 15 ministros da Corte Especial do STJ votaram a favor do afastamento; defesa do governador diz que não foi ouvida no processo

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro afastado pela Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Fotógrafo: André Gomes de Melo

Jornal GGN – Catorze dos 15 ministros da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram manter o afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

O relator do processo, ministro Benedito Gonçalves, deu liminar pelo afastamento do governador eleito do cargo. Nesta quarta-feira (02/09), o caso foi levado à análise do colegiado e obteve o apoio da maioria.

Segundo o jornal O Globo, os ministros que concordaram com o relator até o momento são Francisco Falcão, Nancy Andrighi, Laurita Vaz, Maria Thereza de Assis Moura, Og Fernandes, Luís Felipe Salomão, Mauro Campbell, Raul Araújo, Isabel Gallotti, Antonio Carlos Ferreira, Marco Buzzi e Sérgio Kukina, além do presidente do STJ, Humberto Martins. Por outro lado, o ministro Napoleão Nunes Maia divergiu do relator.

Não houve sustentação oral nem da defesa do governador, nem da Procuradoria-Geral da República (PGR). A defesa de Witzel reclamou que ele não foi ouvido no processo, enquanto a subprocuradora geral da República Lindôra Araújo – que foi acusada por Witzel de ter “relacionamento” com a família Bolsonaro, desafeta política do governador – disse que não era verdade, uma vez que “ele entrou com habeas corpus para não falar”.

 

 

Leia Também
À ONU, Governo Bolsonaro omite desmonte no combate à tortura
Cláudio Castro pode escolher novo procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro
A corrupção da família Bolsonaro, por Henrique Fontana
Ao investigar “rachadinha” de Flávio, MP encontra suspeita em gabinete de Carlos Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  GGN Covid Brasil: média de óbitos cai abaixo de mil

5 comentários

  1. O objetivo é botar um bucha pra governar o rj. E o bebe chorao vice, é o poste ideal.
    Nao esqueçam; laranja é a cor do psl e da turma do bozo.

  2. Acredito que o vice não vai durar muito não…
    faz de tudo para agradar a família, mas está tão firme como um prego cravado na areia

    acredito que só ficou para não tumultuar a coisa toda ou confirmar o que já se desconfiava

  3. O RJ definitivamente vive um histórico de péssimos governantes e políticos desde que Brizola com Darcy Ribeiro candidato em 86 perderam as eleições, graças as campanhas da Sra Globo e cia,dando lugar aos piores dos piores. O estado deveria se chamar Esgoto de Janeiro a Dezembro. As esquerdas fluminenses não falam a mesma língua, cada uma com sua visão, sempre dividida e enfraquecida. Quando se associa com outro mais ao centro, é uma decepção. Então, o espaço que ela deveria ocupar com força, grupos alinhados com o que se tem de pior na política cresce e domina. Querem os nomes? Acorda PT,PSOL,PCdoB,PDT,PSB,Rede. A hora não é para discutir RELAÇÃO é UNIÃO seus burros.

    • disse tudo…
      apenas permita-me acrescentar que a Globo aprendeu, ou ensinou, com os milicos, como dividir a esquerda

      quando sacaram da cartola o pluripartidarismo. Todo mundo na maior alegria e o povo só se ferrando desde então

      Na época foi defendido como sendo a força da plena liberdade de escolha. E hoje se juntam por dinheiro, como foi possível ver claramente nos preparativos do golpe em Dilma

      Na minha modesta opinião, que vai ao encontro da que você colocou, ideal é força total dos dois lados, tanto à direita como à esquerda. Centrão é só para fazer negócios com o governante da vez, seja ele de direita, seja de esquerda ou nem uma coisa nem outra, seja simplesmente uma besta fera entreguista

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome