TRF-4 mantém condenação de Lula no caso do sítio de Atibaia

Tribunal sediado em Porto Alegre recusa recursos encaminhados pela defesa, que ainda poderá recorrer às cortes superiores antes de prisão

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre) rejeitou os recursos encaminhados pela defesa do ex-presidente Lula em sessão virtual, e manteve a condenação dele a 17 anos e um mês de prisão no caso do sítio de Atibaia (SP).

Os advogados tentaram adiar a sessão virtual, argumentando que os direitos poderiam ser cerceados sem a presença das defesas no julgamento. A decisão desfavorável a Lula foi tomada de maneira unânime pelos três juízes responsáveis. Também foram condenados, entre outros, os empresários Léo Pinheiro, da OAS, e Emílio Odebrecht.

A defesa de Lula afirmou que a decisão tem “caráter injusto e arbitrário” e reclamou da realização da sessão de modo virtual. Também disse que a condenação se baseia em depoimentos de delatores e que vai recorrer da decisão.

O ex-presidente é acusado de receber propina das empreiteiras OAS e Odebrecht por meio de reformas e benfeitorias no imóvel em Atibaia como contrapartida a benefícios em contratos na Petrobras quando foi presidente. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Crimes da Lava Jato (I): acusações a quem investiga Bolsonaro, por Marcelo Auler
Como a democracia morre no Brasil, por Laurindo Lalo Leal Filho
Sergio Moro é a pauta do novo projeto jornalístico do GGN

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora