TV católica se manifesta sobre pedido de verba a Bolsonaro

Em nota publicada no domingo, 7 de junho, a emissora desautorizou proposta de padre Welinton e informou que "a TV Pai Eterno nunca fez e não faz barganhas"

Foto: Reprodução/TV Brasil

Jornal GGN – A TV Pai Eterno se manifestou contra e desautorizou pedido de verbas publicitárias em troca de “pauta positiva”, oferecido pelo apresentador e padre Welinton Silva a Jair Bolsonaro (sem partido), durante videoconferência em 21 de maio. 

Padre Welinton participou de reunião virtual, entre Bolsonaro, deputados de Frente Parlamentar Católica e representantes de emissoras, que não hesitaram em cobrar anúncios publicitários estatais e concessões do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e da Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom).

Na reunião, Padre Welinton dizia representar a TV Pai Eterno, do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, de Goias, e durante suas falas deixou claro que a emissora estava necessitando de verba pública e, em troca, ofereceu “pauta positiva das ações do governo” na pandemia do coronavírus.

“A nossa realidade é muito difícil e desafiante, porque trabalhamos com pequenas doações, com baixa comercialização. Dentro dessa dificuldade, estamos precisando mesmo de um apoio maior por parte do governo para que possamos continuar comunicando a boa notícia, levando ao conhecimento da população católica, ampla maioria desse país, aquilo de bom que o governo pode estar realizando e fazendo pelo nosso povo”, disse o padre na ocasião. “Precisamos ter mais atenção para que esses microfones não sejam desligados, para que essas câmeras não se fechem”, afirmou. 

Em nota publicada no domingo, 7 de junho, a emissora desautorizou a ação e informou que “a TV Pai Eterno nunca fez e não faz barganhas”, além de considerar a reunião informal, já que o padre havia recebido um convite pessoal do líder do governo na Câmara dos Deputados, major Vitor Hugo (PSL-GO). 

“Na ocasião, a participação do Pe. Welinton se deu, unicamente, enquanto religioso e comunicador, já que é jornalista e, atualmente, faz parte também do quadro de colaboradores da TV. Mesmo que ele tenha referenciado sua participação como representativa, afirmamos que ele não estava representando a emissora. A TV Pai Eterno não recebeu convite e nem enviou nenhum representante com pauta específica para a videoconferência”, disse a TV.

“Percebemos que o Pe. Welinton fez uso de seu livre direito de expressão não representativa, mesmo tendo afirmado de forma diferente, para manifestar seu pensamento do modo que considerou apropriado”. 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) também se manifestou contra e disse estar “indignada” com a reunião. 

Com informações do jornal Estado de S. Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora