TVs católicas oferecem apoio a Bolsonaro em troca de publicidade

Padres se reuniram em videoconferência com o mandatário e prometeram “mídia positiva” para ações da governo na pandemia do Covid-19

Foto: Reprodução/TV Brasil

Jornal GGN – Emissoras de televisão e rádio católicas ofereceram apoio a Jair Bolsonaro (sem partido), por meio de “mídia positiva” para ações do governo na pandemia da Covid-19, em troca de anúncios publicitários estatais e concessões. 

A informação é do jornal Estado de S. Paulo. Segundo reportagem a proposta foi feita no último dia 21, durante videoconferência entre Bolsonaro e sacerdotes contrários a ala crítica ao governo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

“Na ‘romaria virtual’, o grupo solicitou acesso ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e, principalmente, à Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom)”, diz matéria.

No encontro, o padre Welinton Silva, representante da TV Pai Eterno, do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, de Goias, deixou claro que a emissora necessita de verba pública e ofereceu “pauta positiva das ações do governo” na pandemia do coronavírus.

“A nossa realidade é muito difícil e desafiante, porque trabalhamos com pequenas doações, com baixa comercialização. Dentro dessa dificuldade, estamos precisando mesmo de um apoio maior por parte do governo para que possamos continuar comunicando a boa notícia, levando ao conhecimento da população católica, ampla maioria desse país, aquilo de bom que o governo pode estar realizando e fazendo pelo nosso povo”, disse o padre. “Precisamos ter mais atenção para que esses microfones não sejam desligados, para que essas câmeras não se fechem.”

Já o padre e cantor Reginaldo Manzotti, da Associação Evangelizar é Preciso, que abraça rádio e TV, cobrou mais rapidez e ampliação de outorgas . “Nós somos uma potência, queremos estar nos lares e ajudar a construir esse Brasil. E, mais do que nunca, o senhor sabe o peso que isso tem, quando se tem uma mídia negativa. E nós queremos estar juntos”, disse Manzotti. 

 A Secom é a responsável por administrar essas concessões e tem cerca de R$ 127,3 milhões destinados à publicidade. Na reunião, Bolsonaro afirmou que irá tratar pessoalmente do assunto.

19 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Eld

- 2020-06-08 15:46:25

Que a notícia sobre o evento se espalhe e que os fiéis enxerguem com os próprios olhos como estão enganados

JOSE ROBERTO PASSOS JORGE

- 2020-06-07 16:59:01

Se fossem mesmo católicos estariam ouvindo o Papa Francisco em vez do bozo! Pela primeira vez desde JoãoXXIII temos um Papa que tem uma visão Humanista da Igreja e estes idiotas vão mercadear com o bozo (verdadeiro satanás, no sincretismo religioso). Temos que denunciar à CNBB!

Sebastião Farias

- 2020-06-07 13:43:39

Correto, Eduardo e, a CNBB se posicionou sobre o assunto emitindo sua opinião. https://jornalggn.com.br/noticia/a-igreja-catolica-nao-faz-barganhas-afirma-cnbb/

Edson J

- 2020-06-06 22:28:23

Em nota oficial desta noite de 6 de junho, a CNBB desautoriza o grupelho que tentou fazer acordo sujo com o o programa genocida, tendo a ousadia de ser intitular "católico".

Sebastião Farias

- 2020-06-06 20:48:55

HC COELHO, Acho que a informação da Folha, citando, que se trata de padres contrários a linha de posições críticas da CNBB ao que contradiz o Evangelho de Cristo, já que a CNBB no Brasil, é que representa o pensamento e posicionamentos da Igreja Católica no Brasil. É bom lembrar também, que por isso, esses padres não representam, como muitos devem está pensando, a opinião da Igreja Católica Apostólica Romana do Brasil, nesse negócio.

Sebastião Farias

- 2020-06-06 20:42:18

Fiquei surpreso com essa notícia, principalmente, pela informação da Folha, citando que se trata de padres contrários a linha de posições críticas da CNBB ao que contradiz o Evangelho de Cristo, já que a CNBB no Brasil, é que representa o pensamento e posicionamentos da Igreja Católica no Brasil. É bom lembrar que por isso, esses padres não representam, como muitos devem está pensando, a posição da Igreja Católica Apostólica Romana do Brasil, nesse negócio. Isso, acho eu, que merece ser conhecido e debatido, com calma e sem pré-julgamento, pelos católicos brasileiros, conscientes e fiéis a Jesus Cristo e à sua Igreja Católica, para dicernirem se esse ato isolado de negociação desse grupo de padres, usando a imagem da Igreja Católica nesse e momento, é cristão, correto e justo. Também, como católico de batismo, gostaria de saber o pensamento da CNBB e sua opinião, sobre tudo isso.

Eduardo

- 2020-06-06 17:20:32

Com todo respeito à sua opinião, Neide, considero que quem tem que separar e eliminar o joio é o dono da fazenda. Os capatazes brasileiros não o farão, alguns até darão uma adubada na erva daninha. Então, Papa Francisco, rogai por nós, que recorremos a vós.

andre rs t

- 2020-06-06 13:16:42

A superestrutura (sistemas midiatico, penal, educacional e religioso) tem como função fazer a cabeça do povo de forma a manter a desigualdade e a injustiça : nada mais anti-Cristo Dá nojo desses enganadores do povão

c p silva

- 2020-06-06 12:19:04

Cadê a minha igreja, Deus do céu?!! Foi pra isso que fiz catequese, aprendi que devemos amor o próximo como a nós mesmos? Pra silenciar frente a um absurdo destes em que padres como reginaldo manzoti, que tem uma enorme influência sobre a comunidade e juventude católicas, virem a afirmar que quer construir junto com um genocida uma país? Jesus, meu senhor, onde chegamos? Será que ele tem noção do que significa esta afirmação? Se é pra mendicar ajuda financeira junto a um pscótico com o bolsonaro pra sobreviver, é melhor que a igreja fecha as portas. Isso é inconcebível, porque estamos chegando ao nível de um valdemiro santiago, um silas malafaia e demais trogloditas da fé que todos leitores deste blog conhece muito . Estou indignado mesmo!

Neide Higino da Silva

- 2020-06-06 12:07:58

Infelizmente, os catolibãs são um fato, mas a matéria tem um título de matéria de tabloide. Seria importante separar o joio do trigo.

Ugo

- 2020-06-06 12:05:29

PQP.

Edson J

- 2020-06-06 11:57:09

As TVs "católicas" brasileiras já não são lá essas coisas. Grande quantidade de propaganda consumista e programação muito voltada para um pieguismo alienado. Conteúdo primário. Agora, com essa, continuarão "católicas" mas menos cristãs.

ari couto

- 2020-06-06 11:44:27

No século passado, Pio XI dizia que Mussolini era um enviado da providência. O alto clero francês posicionou-se ao lado do governo de Vichy e Pio XII omitiu-se em relação aos crimes do nazismo. Quando Hitler invadiu a Polônia, a Rádio vaticano foi proibida de tocar no assunto. Aqui no Brasil, a igreja foi fundamental para a guerra de Canudos e Artur Oscar, comandante da quarta expedição, após o massacre, foi recebido em Salvador pelo Arcebispo com Te Deum solene. Ou seja, falamos da parte podre da Igreja, ligada ao latifúndio e à burguesia e que agora se oferece para defender Bolsonaro. Herança de João Paulo II, odeiam o Papa Francisco por suas posições

Eduardo

- 2020-06-06 11:42:03

Até bem pouco tempo atrás essas coisas eram resolvidas na penumbra, sem testemunha, sem celular ou qualquer tipo de câmera, às vezes na cama. Perderam de vez o receio e a compostura. Papa Francisco, rogai por nós.

Paulo Roberto Cequinel

- 2020-06-06 11:36:33

Nojo infinito e derramado dessa laia de padrecos safados, a começar por esse reginaldo manzotti, picareta aqui de Curitiba. Repito: nojo infinito.

HCCOELHO

- 2020-06-06 11:34:02

Não acredito.... Elegeram bolsonaro e cobram pela desgraça que fizeram. Igreja católica....?

Lúcio Vieira

- 2020-06-06 11:33:48

Se a verdade vos libertará, aliar-se a este governo para ajudar a divulgar as suas mentiras apenas ajudará a expor e acelerar a descrença, descrédito e desinteresse nas filosofias religiosas. Em meia década de crise, veremos a queda de diversos falsos profetas que ficarão sem ter o que prometer.

Eduardo BH

- 2020-06-06 11:23:30

O que estes falsos padres pedem não é muito... Creio que trinta dinheiros devem bastar.

Paulo

- 2020-06-06 10:36:59

É de embrulhar o estômago. Se eles realmente acreditassem em céu é inferno, nunca fariam isso. Quanto eles estão pedindo? 30 moedas?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador