Wassef diz guardar provas de relação com Bolsonaro

Além de se intitular defensor de Jair Bolsonaro, advogado afirma que todas as suas ações foram feitas com autorização dele

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Tudo indica que o advogado Frederick Wassef deve voltar aos holofotes da mídia muito em breve: interlocutores que conversaram com ele acreditam que ele não irá submergir, contrariando os conselhos dados nesse sentido.

Além de não se esquivar, Wassef diz que pretende dar uma entrevista à televisão muito em breve, onde pretende abordar sobre a morte do miliciano Adriano da Nóbrega – assim como Fabrício Queiroz, Nóbrega era um ex-policial e ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Tais interlocutores dizem que Wassef falou com Bolsonaro no dia em que Queiroz foi preso, e que o advogado não só faz questão de mostrar sua proximidade com o presidente como guarda provas de tais ligações. A revelação é do jornalista Lauro Jardim, em sua coluna no jornal O Globo.

 

Leia Também
Corrupção: cuidado para não errar o alvo, por Ricardo Cappelli
Governo Bolsonaro usa verba no combate à pandemia por apoio no Congresso
Caseiro de Wassef controlava rotina de Queiroz, diz empresário
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Vídeo: Movimento negro, candidatura coletiva e feminismo para os 99%, com Paula Nunes

4 comentários

  1. Mais um com medo de ser apagado. Os riscos de se meter com os segredos sujos da família miliciana. Seja ex-correligionário, ex-ministro, ex-advogado, ex-apoiador, ex-esposa, ex-assessor – são tantos ex-“amigos” de Bolsonaro, que é difícil imaginar que possa cumprir razoavelmente suas tarefas. O sujeito só tem tempo e pensamentos para malfeitos.

  2. Nassif: ou esse é o cara ou não passa de “aspônio”. Tome lá. Normalmente, esse tipo de partícipe vive nos subterrâneos e na calada da noite. Matam, roubam, chantageiam mas sempre “mineirinho comequeto”. Quando o caldo engrossa, bico calado, morrendo pela “causa”. Serginho, dos Telefones. PCFarias, das Alagoas. Aqueleoutro, do PT. Sem esquecer PauloMoreninho, no Rodoanel. E agora, Queiroz, com palacianos de Brasília. O único que tratou diretamente de seus “causos” foi o MordomoDeFilmeDeTerror. Portanto, WasWas, como GuéGué, é ponto fora da curva. Mas nem por isso desproblemático. Se jogar no ventilador o esparramo será grande. Merda pra tudo quelado. Pode chegar até ao pico das Agulhas, origem e continuidade da bagaça. Com um terço dos segredos que insinua ser detentor pode pedir metade do melhor campo do PreSal. De quebra leva a IlhaDosMarinhos. Mas, cá pra nós, acho que é balela. Parece que o fulano quer deixar marca na calçada da fama. Mal sabe que pode acabar numa calçada esburacada da EstradeDeSapopemba, com a boca cheia de formiga.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome