Weintraub silencia em depoimento à Polícia Federal

Ministro da Educação afirmou que botaria ‘vagabundos’ do STF na cadeia; governo Bolsonaro chegou a apresentar habeas corpus para evitar depoimento

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O ministro da Educação, Abraham Weintraub, permaneceu em silêncio durante depoimento à Polícia Federal, onde foi convocado para prestar esclarecimentos quanto a afirmação feita na reunião ministerial de 22 de abril – na ocasião, o ministro disse que botaria “esses vagabundos todos na cadeia, começando pelo STF”.

Weintraub atendeu à determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e recebeu integrantes da PF no Ministério da Educação. O ministro da Educação manteve-se calado durante a oitiva, citando o direito constitucional de não autoincriminação.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o governo chegou a apresentar um habeas corpus para evitar o interrogatório – o presidente Jair Bolsonaro chegou a declarar que ordem absurdas não deveriam ser atendidas, embora não tenha mencionado nenhum caso específico.

A ordem para que Weintraub fosse ouvido partiu de Moraes, que é o relator do inquérito que investiga a propagação em massa de fake news e ameaças aos magistrados do STF.

A decisão foi tomada após o vídeo da reunião ministerial ser divulgada pelo ministro Celso de Mello. Na ocasião, Weintraub declarou ter ojeriza de Brasília, e fez fortes críticas ao Supremo: “Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, afirmou.

 

Leia Também
Os passos para a cassação de Bolsonaro e uma nova eleição
Cercado por investigações, Bolsonaro diz que indicaria Aras ao Supremo
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Após a quarentena, me mostraram um vídeo em que um jovem desqualifica o isolamento social, dizendo que estão tolhendo a liberdade das pessoas e que ele não vai obedecer à quarentena. Enquanto ele está sendo gravado, um carro da polícia se aproxima dele pelas costas, chegando próximo a ele, a viatura pára e a polícia pergunta qual o problema e ele diz que está fazendo um vídeo conclamando as pessoas a ficarem em casa.
    Qualquer semelhança do sujeito no vídeo com o Ministro da Educação é mera coincidência.
    Quaquaqua

  2. A história é mesmo fantástica!
    Vamos conjecturar os fatos atuais permeando pela história e colocando uma pitada de ironia nisso tudo:
    O Regime não caiu. Ainda vivemos numa democracia tutelada por militares com um milico na presidencia.
    A esquerda com medo se amofina nos cantos das cidades. Um falastrão qualquer fala algumas impropriedades contra um dos tres poderes e é conduzido (chamado não!! Aí é democracia) para acareação e depoimento.
    Quem seria o responsável pelos questionamentos? Cel Brilhante Ustra!! O mais brilhante (desculpem o chiste) e empolgado detetive/torturador/liquidificador e opressor do regime.
    O cara faz até gago cantar!! Será que nestas condições o depoente(?) ficaria em silencio. seria lhe dao o direito de se silenciar para não se autoincriminar?
    Ainda bem que a história ficou na história!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome