Peça 1 – o governo Bolsonaro

Como tenho exposto aqui, as circunstâncias políticas atuais, de um presidente da República pesadamente envolvido com organizações criminosas, traz um grau de imprevisibilidade extrema. Ao contrário dos contos de Cortazar, não será possível manter indefinidamente na sala o cadáver de um presidente pesadamente envolto com milícias.

Além disso, o governo Bolsonaro se enredou em uma armadilha econômica ao conferir o poder absoluto da economia a um economista, Paulo Guedes, sem experiência nem conhecimento para tirar o país do atoleiro em que se meteu.

Os resultados do PIB do 1o trimestre, divulgados hoje,  são fruto direto da inoperância cia de Guedes, que não conseguiu sequer, aproveitar o bônus que sempre acompanha os primeiros meses de uma novo governo.

É incapaz de pensar qualquer ação coordenada, no super-ministério que recebeu para comandar. Escondeu-se atrás da bandeira única da reforma da Previdência, como se fosse questão de vida ou de morte. Não tem sequer uma estratégia adequada para escapar da armadilha da Lei do Teto.

A reforma da Previdência não vai acrescentar um centavo a mais na arrecadação. No máximo reduzirá os encargos futuros. Mas o governo continuará à míngua, contando apenas com a queima de estatais para se manter.Mesmo assim, há analistas que enxergam a possibilidade de Jair Bolsonaro ir até o fim de seu governo. E se ter eleições livres em 2022.

As apostas residem no papel que o Congresso tem assumido, de moderador dos abusos de Bolsonaro. As reformas sairão a conta-gotas com descontos variáveis.

Pelo sim, pelo não, as estratégias estão sendo montadas.

Leia também:  Evo Morales deixa Bolívia e vai para Argentina, diz Clarín

Peça 2 – os grupos políticos

Em princípio, há quatro grupos que entrarão no jogo em 2022

Grupo progressista- É o mais forte e o mais articulado. Junta PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, governadores nordestinos, de Rui Costa e Flávio Dino a Renan Filho em Alagoas, entre outros. É a aliança que caminha melhor, sujeita a alguns tropeços na intemperança de Ciro Gomes. Mas há maturidade suficiente do grupo para minimizar seus arroubos em nome da unidade.

Os autênticos do PMDB e PSDB- o grupo de centro-esquerda que preservou as raízes históricas dos respectivos partidos e que hoje estão sendo expulso do PSDB por João Doria Jr e o PMDB pelo desmanche. Entram aí quadros históricos do PSDB, expoentes do velho PMDB, como o ex-senador Roberto Requiao e outros. Mas é um grupo desarticulado, sem uma liderança unificadora, depois que Marina Silva e Ciro Gomes aparentemente perderam o poder aglutinador. E João Dória Jr não os atrai.

Os liberais- entram aí os liberais clássicos, mais os anarquistas de mercado, como o Novo, MBL e outros. Não tem ainda muita expressão nem no Congresso nem nas ruas. E, por vezes, aceitam as estultices bolsonarianas em nome das bandeiras liberalizantes.

Lideranças- individualmente, só existem Lula e Bolsonaro, com perto de 20% dos votos e com poder de mobilização. As manifestações de domingo passado demonstraram que efetivamente Bolsonaro empoderou politicamente seus eleitores, abrindo campo para um segmento selvagem, que deixou de ser civilizado pelos partidos tradicionais e pelos movimentos sociais.

 Peça 3 – juntando forças para 2022

Se Bolsonaro chegar inteiro até 2022, haverá a seguinte distribuição política.

Leia também:  Caso Marielle: tuíte que reforça história de porteiro que citou Bolsonaro não bate com horários de sessão na Câmara

O grupo mais liberal em tese teria dois cavalos para encilhar: Joao Dória Jr ou Luciano Huk. Dória definitivamente aposta na estratégia de bolsonarismo, apresentando-se como um bolsominion tão truculento quanto o original, mas que sabe comer com garfo e faca.

Será insuficiente. Não atrairá a direita civilizada, nem com a malta, que se identifica com o estilo coçando-o-saco-em-público de seu guru.

Daí a aposta maior em Luciano Huk. A avaliação de Fernando Henrique Cardoso é que, no quadro atual de redes sociais, a única alternativa é o personagem carismático, cinzelado no campo da mídia e das redes sociais. O clube dos bilionários trouxe paulo Hartung para ser o conselheiro de Huk e trabalha para prepará-lo para a arena de 2022.

Do lado progressista, o que se vislumbra é uma disputa entre o bolsonarismo e o lulismo. As alianças do 2o turno é que decidirão o jogo. Daí, a importância de buscar uma aproximação gradativa com o chamado centro democrático.

Mas há o fator Lula.

Peça 4 – o lulismo x antilulismo

Aí se entra na armadilha montada pela mídia contra o país: a estigmatização de Lula. Em qualquer democracia europeia, uma figura como Lula seria preservada por todos os lados, por se tratar de um ativo nacional, do político capaz de ser o coordenador ou o interlocutor dos grandes pactos nacionais.

Em uma democracia selvagem como a brasileira, esse ativo foi jogado fora, deixando o próprio Lula prisioneiro dessa armadilha. Ele ficou grande demais para participar do jogo, por falta de um interlocutor de sua dimensão política. E a correlação de forças atual o mantém como prisioneiro político. Mais que isso, o antilulismo como único elemento de agregação das forças do golpe.

Leia também:  Conferência do Clima segue com críticas ao governo Bolsonaro e desmonte ambiental

Compreensivelmente, Lula luta para voltar ao jogo. Mas insiste em uma aposta perigosa, de atrasar sua própria sucessão.

E aí entra-se em um dilema moral, entre o direito de Lula de voltar ao jogo, o único político brasileiro com dimensão internacional, cuja prisão política é a mancha maior no atual estágio da democracia brasileira, e o realismo de, sem sair do jogo, recolher-se à posição de estrategista.

Daqui até 2022 essa aliança será cada vez mais relevante para redução de danos do país.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

14 comentários

  1. Acredito que Lula não vá mais candidatar-se a cargo político, vai servir de cabo eleitoral para alguém mais novo ou mais afinado com o PT.
    O partido tem bons nomes mas sem a expressão nacional de Lula….e fora do PT tem nomes fortes como o Requião…..
    Se o abestado e seu sinistro bosta nova conseguirem destruir a aposentadoria dos brasileiros cai e os abutres começam a instrumentalizar as próximas eleições sem a necessidade de esfaquear alguém ou derrubar avião….tudo estorinha diversas vezes repetida…..

  2. Assim.. 2022 é daqui há 3 anos e 7 meses. O governo Bolsonaro só tem 5 meses e já é um pesadelo inviável. Só gente muito, muito irresponsável pode estar traçando estratégia eleitoral para 2022 (!) num momento desses. Temo que não exista mais oposição política no Brasil. Se diante do fascismo a esquerda se apalerma ao ponto de não ter política, não pressionar, não ser capaz de um mísero “Fora Bolsonaro” (quando encampou o “Fora FHC”) e ficar fazendo cálculo eleitoral, então realmente foda-se. Salve-se quem puder porque não existe mais política no Brasil.

  3. O problema da esquerda brasileira é que ela é incrivelmente covarde. Bolsonaro comete CRIMES praticamente de forma diária e o que acontece?

    Nada. Nenhuma reação concreta.

  4. Em maio de 16 quando já era claro.o desastre Levy ninguém imaginaria algo minimamente perto do que vivemos agora. De todas as possibilidades a que eu menos aposto é Bolsonaro chegar até 22.

  5. Bosta, truculência, ignorância, milícia, matança, balbúrdia, incompetência, etc. Esses são os termos associados a esse governo.
    Estou inventando alguma mentira?
    1 – quem chamou generais de bosta e foi condecorado pelo presidente? Seu guru Olavo de Carvalho
    2 – quem falou que o Brasil deveria ter bomba atômica? Seu filho
    3 – quem quer comprar briga com o mundo mulçumano transferindo a embaixada pra Palestina? Bolsonaro.
    4 – quem chamou os congressistas de bandidos? Bolsonaro
    5 – Quem falou que Universidade é pra elite intelectual? Seu ministro da educação.
    6 – quem chamou estudantes de idiotas? Bolsonaro
    7 – quem não sabe se comunicar e é agressivo? Min. da educação.
    8 – quem falou em invadir a Venezuela? Seu filho
    9 – quem falou em cabo e soldado pra fechar o STF? Seu filho
    10 – quem faz apologia à violência? Bolsonaro
    11 – quem quer armar a população? Bolsonaro
    12 – quem quer transferir a responsabilidade da segurança pública ao cidadão? Bolsonaro
    13 – quem pratica lobby por armas? Indústria de armas
    E Deus? E Jesus?
    14 – quem foi visitar os algozes de Jesus e não visitou as comunidades cristãs? Bolsonaro
    15 – quem segura uma arma na mão e o livro sagrado na outra? Bolsonaro
    16 – quem divulgou pornografia? Bolsonaro
    17 – quem prega nova política e fez acordo com o DEM antes de assumir? Bolsonaro
    18 – quem falou em aumentar imposto (05.01.19) e depois foi desmentido pelo Onix e Marcos Cintra? Bolsonaro
    19 – quem falou em tributar igrejas e depois desmentido por Bolsonaro? Marcos Cintra
    20 – qual partido há mais briga entre seus membros? PSL
    21 – quem falou que o Bolsonaro tem que parar de fazer drama e começar a trabalhar? Janaína Paschoal PSL
    22 – Quem falou pra não fazer manifestação pró Bolsonaro? Janaína Paschoal PSL
    23 – quem falou que as pessoas precisam de choque de realidade?Janaína Paschoal PSL
    24 – quem sugeriu acabar com as deduções do IR? Paulo Guedes
    25 – quem acusou Bebianno de mentiroso em público e depois comprovado que não era? Bolsonaro
    26 – quem provocou o grupo HAMAS? Seu filho
    27 – quem comparou uma arma de fogo com um liquidificador? Onyx
    28 – quem critica os fiscais do Ibama? Bolsonaro e ministro do meio-ambiente
    29 – posse de arma é a mesma coisa que posse de geladeira, tv ou aparelho de som? Gen. Augusto Heleno.
    30 – quem falou que a escravidão é um aspecto da natureza humana? dep. Luís Felipe de Orléans e Bragança PSL
    31 – quem falou “a saída é jogar o povo contra o congresso”? Waldir Ferraz amigo do bolsonaro
    32 – quem ignora que armar a população aumenta a insegurança? Moro
    33 – quem consente matar sob fortes emoções? Moro
    34 – 5.000 balas pra cada pessoa? Bolsonaro
    35 – quem disse que brasileiro não passa muita fome porque há muitas mangueiras no país? Tereza Cristina Ministra da Agricultura
    36 – quem votou à favor de Michel Temer e contra as denúncias criminais da lava-jato? Tereza Cristina Ministra da Agricultura
    37 – Quem liberou agrotóxicos proibidos ou banidos ou na União Europeia? Tereza Cristina Ministra da Agricultura
    38 – quem falou que os pais masturbam bebês na Holanda? Ministra Damares
    39 – quem mentiu dizendo que tinha Mestrado em Educação, Mestrado em Direito Constitucional e Mestrado em Direito de Família? Ministra Damares
    40 – etc, etc, etc….

    PREVIDÊNCIA
    41 – a do FHC perdeu por 1 voto. Bolsonaro votou contra.
    42 – a do Lula, Bolsonaro votou contra.
    43 – a da Dilma – Bolsonaro votou contra.
    44 – a do Temer – Bolsonaro votou contra.

  6. A Lula não resta nenhuma outra alternativa senão manter-se vivo,seja em que movimento fizer,se me entendem.Até por que uma outra estrategia não depende mais dele.Lula é o maior lider politico latino americano,quiçá do mundo,e foi por essa razão que o Papa Francisco lhe destinguiu com uma carta.Mesmo encarcerado,qualquer embate politico no campo da esquerda passa pelas masmorras de Curitiba.Em que ou qual(pior ou melhor) circustancias,eu não tenho como dizer.

  7. Lula nao sera solto e novamente estara fora do pareo em 2022

    Entre haddad e dino, ou dino com vice haddad, ou sera que haddad tentara suceder doria em sp?

    Ciro é carta fora do baralho. Os lulistas estão com ranço dele e são apenas 30% do eleitorado, e não 20% como diz o artigo, que aliás é muito generoso em comparar Bolsonaro a Lula. Bolsonaro tem 15% talvez, e só se elegeu pela facada e as mentiras (me recuso a usar o termo fake news) do whatsapp, que não vão colar em 2022 após 4 anos de crise e e crescimento da pobreza devido a má condução da economia

    Como disse a Janaina, a esquerda vai voltar. O que ela não disse é que a causa é a incapacidade da direita de governar. Sarney foi pessimo, collor também, FHC 2 foi uma eca, Temer foi outra eca e Bolsonaro a pior de todas. Os 3 primeiros elegeram lula…

    Agora minha aposta é que haverá endurecimento do regime face ao aumento das manifestações e com isso o cancelamento das eleições ou implantação de parlamentarismo para 2022, este último aliás já em curso com Maia.

  8. Quando cair a ficha de todos q o governo Bolsonaro é um GOVERNO BANDIDO aí meus amigos vai sobrar bonito pra militares/ditos evangélicos e até o judiciário,se analisarmos as práticas deles é só atropelo às leis,mentiras,disfarces,o povão tá pegando a dinâmica da luta agora e precisa ser mais incisivo,ir direto ao ponto,vejam os Bolsonaristas contra leis,foram encher o saco do Maia em uma festa,é preciso dar nomes aos bois ,ir nos lugares q frequentam, pressioná-los pessoalmente,este GOVERNO BANDIDO já era, não atrairá investimento nenhum,ninguém vai investir num país governado por pessoas q não respeitam Leis, não respeitam outros países e q por nada quer fazer guerra,o mundo já sabe quem é Bolsonaro e este seu governo bandido/fora da lei só se mantém com ajuda das Instituições ineptas e corruptas brasileiras,a bolha interna está sendo furada não tem como segurar o estouro dela,nem com uma nova ditadura pq o povo não aceitará,os militares/forças policiais responsáveis do nosso país já viram e sabem as más intenções do Bolsonaro & amigos,a base do Bolsonarismo já era e cresce muito o ANTIBOLSONARISMO, não adianta,Bolsonaro é uma fraude,um produto híbrido fruto de um estudo do FENÔMENO LULA e aplicado no Brasil,esta mentira Bolsonarista não se sustenta e quanto mais insistirem com ela será pior p as Instituições/pessoas/empresas/meio ambiente/galáxia/maçons!!

  9. Comentário sobre alguns trechos:
    “…Grupo progressista- É o mais forte e o mais articulado. Junta PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, governadores nordestinos, de Rui Costa e Flávio Dino a Renan Filho em Alagoas, entre outros. ”
    Eu queria saber baseado em que evidências que Nassif fala que o grupo progressista é o mais articulado. Sinceramente, não vi articulação nenhuma entre eles. Vejo Flávio Dino tentando ganhar uma projeção nacional mas ainda bem longe de conseguir se cacifar como um nome de relevância para a disputa.

    “…Do lado progressista, o que se vislumbra é uma disputa entre o bolsonarismo e o lulismo.”
    Sinceramente, eu acho que é o contrário. Interessa apenas ao lado conservador que se mantenha a disputa entre Bolsonarismo e Lulismo. Tanto é que toda manifestação que tem contra o governo, Bolsonaro tenta dizer que quem está lá está na verdade lutando pelo “lula-livre”. Ao campo progressista, interessa na verdade fugir dessa disputa e colocar em foco as questão centrais que impactam diariamente a população: desemprego principalmente.

    “…Lula luta para voltar ao jogo. Mas insiste em uma aposta perigosa, de atrasar sua própria sucessão.”
    Isso já ficou claro na eleição do ano passado, que Lula tem em si próprio como único plano e claramente não irá mudar até 2022. Possivelmente, permanecendo preso por mais três anos começará a perder relevância no cenário nacional e não terá mais a mesma “bala de prata” que usou na eleição passada de tentar causar uma comoção nacional para empurrar um novo poste. Isso abrirá brechas para novas lideranças e aquela que conseguir se firmar, não como a continuidade, mas como a novidade, provavelmente será o representante do campo progressista em 2022 (se houver eleições mesmo). Acho que Nassif se precipita um pouco em dizer que Ciro Gomes é carta fora do baralho de antemão. Isso seria verdade apenas se o campo progressista se resumisse ao Lulismo mas eu penso diferente. O Lulismo foi apenas uma manifestação do campo progressista em uma época específica, mais precisamente durante os governos do PT, e que pode muito bem ser “reciclado” para outra liderança, inclusive contra a vontade do próprio Lula dependendo de como as coisas acontecerem. A luta pela liderança da representação do campo progressista está em aberto e não está nem um pouco claro quem será o representante do progressismo brasileiro.

  10. pois é, sinuca de bico meus caros….
    mas nabifestações deontem
    talvez já tenham sido um indício de resposta….
    é a luta da vida – do bom humor de ontem –
    contra a política direitista que só
    apregoa a destruição,a morte…

  11. Numa das entrevistas, Lula afirmou categoricamente que o PT NÃO abre mão de liderar o processo político, por uma razão objetiva: é o partido que tem maior cacife eleitoral.
    Nassif revela que está sendo montada uma estratégia para 2022 em que o PT passaria ao segundo turno e teria o apoio de um “arco progressista”.
    Essa estratégia já foi efetivada em 2018 e sabemos o tamanho da derrota. Aí lembro-me de uma frase de Einstein: ” Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

  12. Andre Lameira, ótima observação, porém, como o próprio título da matéria coloca, é um jogo. E quando não foi? Já estamos no salve-se quem puder há muito, muito tempo, pelo menos desde 20 de Agosto de 1824, quando, a reboque da pecha da “independência” do Brasil, efetuamos o primeiro empréstimo junto a banca inglesa, como exigência de Portugal ao reconhecimento da mesma. De lá pra cá, somos escravos dos mesmos amos, ou seja, os bancos. Em nosso sistema eletivo, quem se elege sem a necessidade de gordas somas de dinheiro? Mesmo os ditos governos de esquerda, não tiveram banqueiros, ou associados, compondo seus ministérios, principalmente às áreas ligadas a economia? Quem foram os presidentes do Banco Central ao longo de todos esses anos? Já me envolvi com teatro e lhe digo, não há como você desenvolver um texto, por mais canhestro que seja, sem que aja antagonismo, algum tipo de dualidade que possa servir de energia cinética, para uma mera condução de um fim esperado.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome