Zanin diz que ainda vai revelar como membros da Lava Jato foram “indevidamente remunerados”

"Ainda vou mostrar muitas coisas sobre a Lava Jato, inclusive como seus membros foram indevidamente remunerados", afirmou o advogado

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN – Após virar alvo da Lava Jato no Rio de Janeiro, numa operação com cheiro de criminalização da advocacia, Cristiano Zanin foi ao Twitter demonstrar que não se sente intimidado. Segundo ele, a operação Esquema S, autorizada por Marcelo Bretas, é “retaliação” por seu trabalho que expôs os abusos do braço da operação em Curitiba.

Agora, Zanin promete revelar outros desvios, incluindo como membros da Lava Jato foram “indevidamente remunerados”.

Numa jogada curiosa, a Lava Jato do Rio de Janeiro casou o início do trâmite da ação penal contra Cristiano Zanin e Roberto Teixeira, advogados de Lula, entre outros investigados, com a midiática operação de busca e apreensão deflagrada pela Polícia Federal nesta quarta (9).

A denúncia da Lava Jato tem mais de 500 páginas. A força-tarefa afirma que Zanin, Teixeira e Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomercio, “capitanearam” uma organização criminosa que pode ter desviado, entre 2012 e 2018, 155 milhões de reais do Sistema S a título de honorários advocatícios para vários escritórios de advocacia.

A denúncia, que envolve tráfico de influência no STJ mas não implica nenhum ministro diretamente, é feita com base em delação premiada. Para o site Migalhas, isso ocorreu para que o caso avance na jurisdição de Marcelo Bretas.

A Fecomercio, que assinou os contratos com as bancas, é uma empresa privada, mas tem convênio com Sesc/Senai, do Sistema S – que é bancado com contribuições compulsórias de empresas privadas, recolhidas via Receita Federal.

Leia também:  Fora de Pauta

Em nota, Zanin e Roberto Teixeira informaram que têm provas de que os serviços foram prestados.

Leia mais:

Zanin denuncia “retaliação” e abusos de autoridade da Lava Jato no Rio

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. O PT já deveria ter criado uma ação integrada nas redes sociais para a desconstrução da lava-jato. Não sei se cabe ao advogado Zanin ações de denúncia contra a operação lava-jato, no meu entender isso deveria ser feito diariamente pelo PT.

    Não entendo, também, caso seja verdade, como o escritório de Zanin não fez cópias do HD que foi tomado pela PF no dia de ontem. Isso foi juvenil. Lembra-me o caso de Lula e Dilma falando pelo celular mesmo tendo sido alertados por Snowden para não fazê-lo.

    O PT precisa de uma equipe de segurança de dados para dar suporte ao partido, assim como precisa construir canais de comunicação seguros para a utilização no dia-a-dia.

  2. Mas ele deveria falar tudo já! É preciso que algo de concreto seja dito para que as devidas providências sejam tomadas.
    Não adianta ficar na ameaça e em comentários aleatórios.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome