Bolsonaro faz discurso de candidato na posse presidencial

‘Nossa bandeira, só será vermelha se for preciso o nosso sangue para mantê-la verde e amarela’, radicalizou
 
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
 
Jornal GGN – O novo presidente, Jair Bolsonaro (PSL), confundiu a posição de presidente com a de candidato. O destaque foi dado por Bernardo Mello Franco, na sua coluna desta quarta-feira (02), no jornal O Globo.
 
Já com a faixa presidencial, Bolsonaro se referiu aos seus rivais políticos como inimigos do país e prometeu “acabar com a ideologia que defende bandidos”, sugerindo que fará vista grossa para a violência policial, pontuou o articulista.
 
O discurso realizado no Parlatório, onde os presidentes se dirigem à nação, destoa de outro discurso, feito por Bolsonaro duas horas antes no Congresso, onde falou em união, preservação da democracia e em governar “sem discriminação ou divisão”. 
 
No segundo discurso, o militar da reserva ainda fez referências ao fantasma do socialismo: “Essa é nossa bandeira, que jamais será vermelha. Só será vermelha se for preciso o nosso sangue para mantê-la verde e amarela”, radicalizou.
 
“O discurso bélico sugere que a promessa de costurar um “pacto nacional”, recitada no Congresso, não passou de um palavrório sem substância. Só pode falar em pacto quem está disposto a negociar. E só pode negociar quem está disposto a fazer concessões”, analisa Mello Franco ponderando, nesse sentido, que o boicote a cerimônia de posse pelo PT contribui também para aumentar a divisão instalada no país.
 
“Brigar com o resultado das urnas não parece ser uma estratégia inteligente”, considera. Para ler sua coluna na íntegra, clique aqui. 
 

6 comentários

  1. Socialismo no Pais que tem os

    Socialismo no Pais que tem os tres mais lucrativos bancos privados do planeta e onde o maior banco da Europa, o Santander ,

    tem metade de seu lucro mundial, Pais que tem a maior concentração de renda entre todos os paises emergentes e Pais que

    tem o maior numero de aeroporto privados no mundo.

    • André, não é pra nós que esse

      André, não é pra nós que esse cara fala. Fala pra milhões de anti petistas, para os fundamentalistas manipulados pelas igrejas, para os milhões de leitores de whatsApp, etc etc. Ele tem base social, pode ser esta, mas tem.

  2. É interessante lembrar que na

    É interessante lembrar que na comunidade internacional o discurso de Bolsonaro foi tratado da mesma forma que se trata o discurso de Kin Jong-un (e os dois são bastante semelhantes para quem for mais observador).

  3. ” nossa bandeira não será
    ” nossa bandeira não será vermelha”
    Putz !
    O que mais se viu na posse foram bandeiras americanas, que tem o vermelho entre suas cores.
    Tinha até bandeira de Israel .

    A propósito, alguém sabe o significado das cores da bandeira Americana. Talvez o André Araújo saiba.

  4. Criar medo através da mentira, são práticas do charlatanismo.

    CRIAR MEDO, é o objetivo do discurso de Bolsonaro.

    É uma prática do charlatanismo.

    Após muito tempo consegui entender essa mistura, essa salada, desse discurso criado pelos golpistas e pela campanha de Bolsonaro.

    Essa prática, do charlatanismo, do embustimento que o Bolsonaro utiliza a todo momento é oriunda dos pastores evangélicos. E visa criar medo nas pessoas sem instruções, ou daqueles que precisam encaixar seu ódio e suas mentiras a algum discurso falso.

    A ORIGEM DESSE CHARLATANISMO? PASTORES EVANGÉLICOS QUE ACOMPANHAM BOLSONARO. Esses que utilizam do medo do demônio, do diabo, da macumba, do sofrimento. Medo, medo, medo, para simplesmente pedir ou exigir dinheiro aos fiéis em seus cultos em troca da fé, do aconchego do seu Jesus Cristo que exige pecunia para louvá-los.

    As pessoas que odeiam o PT, e precisam de um amparo moral pela prisão e perseguição injusta, encontram nesse charlatanismo cristão, no embustimento da verdade, no medo, um porto seguro para suas crenças e uma maneira para destruir a imagem dos adversários políticos.

    Eles colocam a culpa de seus crimes de perseguição e injustiça numa possível implantação do comunismo no Brasil, por exemplo, ou na preservação da moral e dos bons costumes, na xenofobia, e principalmente no combate à corrupção.

    O combate à corrupção é um detalhe anedotário, pois eles são corruptos.

    É esse o caminho para entender todo esse discurso de ódio do Bolsonaro. O CHARLATANISMO, para enganar as pessoas. Prática oriunda dos falsos evangélicos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome