Dúvidas sobre o episódio Bolsonaro, por Sylvia Moretzsohn

Dúvidas sobre o episódio Bolsonaro

por Sylvia Moretzsohn

Desde que eu deixei de acreditar em Papai Noel, e isso demorou mais do que o normal e me custou muito, porque eu relutava em aceitar que meus pais tivessem mentido pra mim, eu me tornei uma criança muito desconfiada. Fui crescendo sempre cheia de dúvidas. Era um comportamento intuitivo e quando comecei a ler sobre o iluminismo e soube que esta era a atitude de gente esclarecida, que não se deixava levar pela aparência das coisas, eu me senti uma pessoa inteligentíssima. 

Não que eu fosse, mas a sensação foi ótima.

Digo isso a propósito dessa história que concentra nossas atenções desde ontem à tarde. Não preciso repetir a pergunta que sempre se faz nessas horas, “a quem interessa?”, porque a resposta é óbvia mas isso não nos autoriza a concluir automaticamente que se trata de uma grande armação. E, como sempre, o que mais importa não são as intenções de quem age, e sim as consequências das ações. Mas é claro que esse episódio tem de ser apurado, e dificilmente será, diante dos tantos interesses envolvidos nesse momento tão tenso e delicado de nossa vida política e da ausência de uma imprensa minimamente comprometida com seus próprios princípios editoriais.

Seja como for, vou insistir na dúvida que me permito sustentar, e desde logo esclareço que não passa pela minha cabeça me meter a perita, porque pra isso, afinal de contas, temos o Molina. São dúvidas mesmo, que me parecem legítimas e justificadas.

Leia também:  O fantasma da fraude nas eleições dos EUA e do Brasil

Primeiro, a questão da ausência de sangue. Li informações de gente séria e qualificada para falar sobre isso e posso entender que, num caso desses, o sangramento seja principalmente interno, mas antes de atingir artérias internas a faca rasga a pele, ou não? E isso não sangra? Nem um pouquinho?

(O que li de mais curioso foi esta matéria da Jovem Pan com o diretor da Associação Médica Brasileira dizendo que “os sangramentos de cinema são de vasos mais superficiais” <https://jovempan.uol.com.br/…/ausencia-de-sangue-apos-facad…>. E eu que achava que sangramentos de cinema eram simulados). 

Outra coisa que me chamou a atenção foi que, em casos assim, a reação mais comum, exatamente pela surpresa e pela emoção que provoca, é a multidão furiosa exibir a camisa da pessoa atacada, como um estandarte, uma bandeira desfraldada a denunciar a violência. Mas não tinha sangue, então talvez não fosse muito verossímil… se bem que pelo menos um furo a camisa teria de ter, ou não? É só um detalhe, talvez não tenha importância, mas me causou espécie, como se dizia antigamente.

Finalmente: vi várias vezes o vídeo que circulou por aqui. Para atingir seu alvo, o agressor tem de vencer a barreira de pessoas à sua frente e precisa erguer o braço em arco para alcançar com a faca a barriga do homem, obliquamente, de cima para baixo, e de maneira muito rápida. Realmente não consigo entender como um golpe desferido dessa forma possa causar tamanho estrago. Mesmo que fosse o facão do Crocodilo Dundee.

Por fim: sempre duvidei da realização de eleições nesse contexto do golpe, a não ser que as forças que derrubaram o governo tivessem uma candidatura viável para continuar esse projeto de destruição do país. Não têm. Então, qualquer pretexto poderia ser utilizado para adiar ou cancelar as eleições. E um fato desses, que tumultua ainda mais um processo eleitoral cheio de vícios e incertezas, e que ocorre na véspera de um feriado tão caro aos militares, vem mesmo a calhar.

Leia também:  A carga da brigada lerda de jegues bolsonaristas, por Fábio de Oliveira Ribeiro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

42 comentários

  1. O medico

    que opera o boçal não usa luvas.

    dizem que perdeu 2,5 litros de sangue ou 40% 

    e na foto logo após a cirurgia o boçal está muito corado.

     

    O agressor não tem nenhuma mancha roxa …..

     

    Quem ganha com isso ???     General Mourão, o ladrão

      • Mas depois de perder 2,5

        Mas depois de perder 2,5 litros de sangue e passar por uma cirurgia grande, como os médicos descrevem, demora-se mais tempo para o rubor voltar, principalmente levando-se em conta a idade do Bolsonaro que tem 63 anos. A coisa não é tão rápida assim.

  2. A quem interessa?

    Ampliando alguns dos videos que mostram a faca numa posicao melhor, ela nao tem sangue, como tambem nao tem sangue na foto que a policia divulgou da faca sobre um saco plastico

    Na foto da cama de hospital, alem do medico estar sem luvas, nao tem sangue no chao nem na barriga do deputado. É de se esperar AO MENOS que espalhem aquele liquido parecido com mercurio cromo para limpar o local antes de suturar, ne? E o hospital está sem verba para LUVAS? Ah, mas tem uma toalha branca com uma pequena mancha de sangue por trás da maca. Tá certo, mas não tem 40% (2,5 litros e sangue) ali!

    Tudo isso ocorre apos o deputado ir conversar com a Globo e após a divulgação de pesquisa que ele perde para todo mundo, inclusive o vice daquele que não deixam ser candidato.

    É muita sincronicidade…

    Depois vem o filho dizer que agora ganha no 1o turno, e o vídeo dele dizendo que “nunca fez mal a ninguém”, apesar de frases como

    – “Bandido bom é bandido morto”

    – “Vamos metralhar…”

    – “Morrer 30 mil numa guerra civil”

    Quais foram as declarações dele mesmo quando houve o tiro na caravana? Ah, é invenção do partido. Então por essa lógica, o suposto ataque que sofreu também é culpa dele mesmo, por semear discurso de ódio e que o povo “limpe” a política com as próprias mãos.

    Desde que nao comece o limpa com ele mesmo, confere?

    Dai vem o general candidato a vice dizer que é culpa do partido tal com EVIDÊNCIA ZERO, vem a imprensa (marrom) colocar o suposto agressos como militante de não um mas de TRÊS partidos ao mesmo tempo (todos de esquerda, todos em condições de competir com o mico, digo, milico)

    E tudo APÓS conversa do deputado com o canal que ele dizia que era podre, vendido e corrupto…

     

    • Aqui, o surreal é o novo normal
      Nunca vi ninguém tão feliz com as possíveis consequências de um atentado como a família da vítima! Sendo eles quem são não seria o caso de terem feito ameaças e intimidado o agressor? Interessante que só muito depois da repercussão vieram lunáticos como o candidato a vice, o general de pijama, e a
      indubitável sociopata candidata a estadual em SP, a Janaína Bicuda, tentar fazer o que mais sabem, babar de ódio contra o PT. Mas o filho comemorar o fato como se fosse um gol enquanto seu pai estava hospitalizado é muito suspeito e dá a dimensão do que essas pessoas são, e do que não são, capazes.

      Ainda não vi a informação sobre a participação da PF como escolta na campanha eleitoral – é pra todos os candidatos, se não, o que justifica sua presença naquele dia? A péssima qualidade do jornalismo investigativo nacional tanto facilita a propagação de teorias conspiratórias injustificáveis como forma de preencher as lacunas de informação quanto dá a certeza de que pouco saberemos dessa história que seja confiável, pois a mídia corporativa parece ter aderido ao candidato e vai usar o caso para limpar a imagem dele, bancar a civilizada e criminalizar as esquerdas. Se não é motivo suficiente para acreditar no interesse dos golpistas em forjar um atentado, é impossível negar que ganharam o álibi de que precisavam para desviar a narrativa no sentido de seus interesses comuns – seja a popularização do Bozo, seja o cancelamento das eleições.

      Brasil, o país do realismo fantástico nunca pareceu tão aloprado. Quem ganha com a espetacularização da confusão?

      Sampa/SP, 07/09/2018 – 22:15 (alterado às 22:17).

  3. Reichstag, Lacerda, dentre outros: já ví este filme antes.
    Notei a ausência de sangue na camiseta e na toalha, branquíssima, colocada sobre o “ferimento”. Estranhei a presença de um carro a disposição ao local da agressão. E também, não houve “vazamento” de exames emergencias como houve no caso da esposa de Lula, Marisa Leticia, em um hospital de São Bernardo do Campo.

    E, para quem possa alegar a seriedade do pessoal do Hospital Einstein devo lembrar a quem possa interessar que os médicos que deram entrevista coletiva no famoso caso da “bolinha de papel” no José Serra garantiam terem feito até exames de imagem no então candidato. Deram a entender que ele teria levado uma bigorna na cabeça, e não uma mísera bolinha de papel.

    Criar “fake news” para tumultuar em seu favor o ambiente político é arma da direita desde o incêndio do Reichstag, passando pelo “atentado” contra Carlos Lacerda, a operação “false flag” contra o WTC, a bolinha de “bigorna” contra José Serra.

    Não ficaria nada surpreso se o “atentado” contra o “vamos metralhar a petralhada” fosse revelado como uma grande farsa.

  4. Se eu fosse o Bolsonaro
    Se eu fosse o Bolsonaro ficaria esperto.

    Bolsonaro se eleito, corre o risco de sofrer um acidente de avião. Ou um mal súbito.

    Seria a forma mais rápida dos militares chegar ao poder. Legal e sem precisar da golpe

    • Concordo plenamente, Bolsonaro é uma personalidade…….

      Concordo plenamente, Bolsonaro é uma personalidade meramente histriônica sem nem capacidade de auto-crítica, seria um desastre para a direita maior do que Temer.

      Se ele ganhasse as eleições, sofreria algum atentado de direita travestido de esquerda.

      • Pior que isso pode acontecer

        Pior que isso pode acontecer com Lula, pelo andar da carruagem. Há tempos estou preocupado com essa perspectiva. Só o tempo dirá. Espero estar exagerando.

  5. Bastou a Globélica encontrar o Bozo e acontece um reality show
    A hipótese de ser uma armação orientada pela Globélica é plausível porque teria a finalidade de comover a população e humanizar o fascista, e disputar com a comoção da prisão injusta de Lula.
    Se não foi, é uma situação que desmoraliza o discurso fascista de enfrentar a violência com mais violência: como ele vai explicar aos seus seguidores que o agressor não foi atacado por sua militância, como ele costuma pregar? Vai aceitar a pecha de frouxo que ele atribui a quem não age como ele e sua militância raivosa? Tem muita coisa estranha e inexplicável nesta história. Se ele foi tão facilmente atacado por alguém aparentemente passional e despreparado para cometer crimes ou qualquer tipo de violência, como vai dizer que tem condições de enfrentar o crime organizado, nos termos de militarização que ele oferece aos seus ogroboys?

    Qualquer que seja a resposta, ele perde credibilidade e não recebe o benefício da simpatia pública porque muitos vão enxergar neste fato ou a prova da farsa do seu discurso -”se não foi capaz de se defender como prega, como poderá defender os outros?” -, ou que recebeu o que desejou aos outros, e nesse caso, haverá um senso de “justiça” de senso comum, aparentada da “justiça com as próprias mãos”, que por ser o cerne do discurso de ódio, impõe ao candidato se explicar sobre o fato no contexto de sua proposta baseada no uso indiscriminado da violência física e simbólica.
    Aguardemos as cenas dos próximos capítulos

    Sampa/SP, 07/09/2018 – 17:20

    • Pois é! Depois de perder 2,5

      Pois é! Depois de perder 2,5 litros de sangue, que corresponde a 40% do seu volume sanguíneo, o que provoca um choque hipovolêmico, Bolsonaro deveria estar branco como um cadáver e não corado como está na foto. É por isso que eu acho que tem muita coisa esquisita nesse atentado e muito para se questionar. 

  6. Paciência.

    Vários comentaristas já tinham perdido e, agora, os próprios editores do GGN estão perdendo o senso do ridículo. De um lado o Nassif querendo que o Globonews entreviste o Haddad como o Mino Carta entrevistou (logo após lançando uma capa com apoio explícito) e, de outro, diversos posts achando possível que a turma do Bolsonaro tivesse capacidade de envolver tantas pessoas e profissionais sérios numa farsa monumental. Tá difícil!

     

  7. Também me chamou a atenção o

    Também me chamou a atenção o fato do agressor não ter sequer sofrido ameaça de linchamento pelos apoiadores e seguidores do candidato. E olha que, se tem uma coisa que esse candidato prega sistematicamente, isso é o linchamento, o “justiçamento”, coisa assim.

    É como se os seguranças, ao carregarem o agressor através daquele ajuntamento, mais o protegessem mesmo…

    De mais a mais, de doido estimulado por agentes já temos desde o Lee Harvey Oswald… Será que o agressor de Bolsonaro será assassinado por alguém que, ato contínuo, sumirá na multidão? Ou que também será misteriosamente assassinado, suicidado, algo assim?

    • Também me chamou a atenção

      Isso! Me lembrou o Lee Oswald também… Vínculos frouxxos com a esquerda, candidato a assassino com perfil de maluco e arma improvável de causar tanto estrago… Tá tudo aí. Assinado: CIA.

  8. Todo povo tem o governo que merece
    Esse é o momento em que nós vamos definir se nós somos uma nação ou só um bando de retardados.
    Sinceramente, se o Brasil cair em mais essa palhaçada da Globo, a essa altura do campeonato, tem mais é que se ferrar mesmo…

      • GloboNews

        Veremos hoje, Edison. A emissora, que tentou massacrar, sem sucesso, Haddad, ontem, vai hoje “sabatinar” o general vice de Bolsonaro. General que se apressou em condenar o PT pelo ataque a seu candidato, levianamente. Pela repercussão que a emissora central dos golpes está a dar ao acontecido, pode-se pensar tudo, menos que ela não esteja interessada em “empinar” a candidatura Bolsonaro.

  9. Falhas de segurança

    Posso acrescentar alguns dúvidas minhas a autora. Com medo da própria sombra eu duvido que este candidato sairia sem um colete a prova de balas, não tinha? não é uma medida de segurança óbvia?

    Cercado de seguranças, pms a paisana, e de um séquito de agentes da pf, sem um colete a prova de balas o candidato é golpeado por um cidadão que se aproximou com uma faca ?!!  Faziam parte do comício cantando a musiquinha?  Isto é como dizer que polícia na rua não evita nada.

    Para alcançar os órgãos internos é preciso vencer uma grossa camada de tecido adiposo, conseguiu fazer isto com a vítima, segura no alto, uma posição, acima do ombro,  isto não torna mais difícil desferir um único golpe com força?  Não permitiria  aos seguranças visualizar a arma e a intenção do ataque e imobilizar o agressor?

    Vi um único filme, destes de celular, e não vi o rebuliço que se forma para imobilizar o agressor, quem prendeu? Porque tão poucos filmes? Só vi a dor estampada na cara do agredido, mas não percebi a ação do agressor.

    • Colete à prova de balas não
      Colete à prova de balas não serve para armas brancas visto que o kevlar é um tecido e como tecido pode ser cortado por um objeto pontiagudo.

  10. De vilão a vítima em 24 hs
    Bozonaro sai da condição de vilão a vítima em 24 hs. Neste exato momento, o ataque ao Bozo é o único assunto do programa do Datena. A Marcha da Insensatez caminha agora a passos largos, com classe média, com mídia, com tudo. Neste momento, acho improvável que o Bozonaro não vá para o segundo turno. O fator imprevisibilidade entrou em jogo.

  11. Cara Sylvia
    Para mim é mais

    Cara Sylvia

    Para mim é mais uma armação.

    A direita sabe como ninguém armar uma farsa, vivem e sobrevivem disso.

    Já percebi no FB, manifestações pró bolsonaro. De pessoas golpistas, mas que ficaram em silêncio, enquanto se massacrava o PT.

    Essa era uma das intenções.

    O exército, e outros setores, como a PF, deve estar um vespeiro, querendo ir em cima dos “petralhas”. 

    Saudações

     

     

     

  12. Muito, muito estranho

    Realmente, é muito estranho o fato de não se perceber uma só gota de sangue, uma mancha sequer e a rapidez com que transportaram Bolsonaro para um carro. Interessante é que imediatamente uma pessoa coloca um pano branco sobre o que seria o local do ferimento e já havia um carro à disposição, para tranportá-lo para o hospital. No hospital, uma das fotos divulgadas é de Bolsonaro na mesa de cirurgia e de costas está um médico com jaleco verde mas sem luvas?????. Estranho, muito estranho. E outra coisa que se percebe é a falta de rubor facial de quem recebeu 4 bolsas de tranfusão de sangue. Acho que passada a comoção??? dos candidatos, poderia alguém mandar fazer uma perícia nas imagens, mas nos EUA, elas podem revelar que pode ter caroço nesse angu.

  13. já que a bola foi levantada…

    Eu estou querendo evitar a teoria da conspiração, mas já que a bola foi levantada…O  movimento bolsonaro é um movimento fascista, isso não resta dúvida alguma para quem conhece e estuda o fascismo. Quem estuda sabe que os movimentos dos fascistas são previsíveis, inclusive as surpresas. Sabe que a mentira e  a manipulação de emoções- que o movimento fascista pró-bolsonaro usa descaradamente – são parte da estratatégia para se chegar ao poder – quem duvida leia o Goeblles. Quem acha que ‘teria que mobilizar um mundo de gente’ sabe que esse movimento só mostra a cara quando os apoios estratégicos já foram garantidos, sabe que ele se articula nas sombras dos grupos fechados de Whatsapp ou da Deep Web nos dias de hoje. Quem estuda a história sabe que há inumeros episódios na ascenção de regimes fascistas de teatros farsescos com o objetivo de manipular a emoção – e muitos deles utilizando-se da manipulação  de pessoas com fragilidades psiquicas. Esses úlitmos casos  não são mentiras mas resultados de manipulações emocionais, algo produzido intencionalmente, uma espe´cie de ‘aposta’.E indo aqui para o Brasil, desde o caso ‘Abilio Diniz’ que praticamente toda eleição presidencial tem um caso que muda tudo, e que depois se revela uma farsa. Enfim, tirem suas conclusões…

  14. O anti-esquerdismo estúpido não pode se transformar ……

    O anti-esquerdismo estúpido não pode se transformar no antidireitismo idiota.

    Desde ontem após o evento da facada contra Bolsonaro parece claro para mim que ela ocorreu, e posso imaginar que uma facada no ventre, mesmo que penetre pouco, é algo bem traumático.

    A partir deste primeiro parágrafo a questão não é se houve ou não a facada, e acho ridículo comentários sobre sangramento ou não de uma facada e se ele estava ainda rosinha após a perda de sangue.

    A questão a ser discutida não é a facada e muito menos centralizar no discurso de ódio de Bolsonaro, pois o que vemos é que ele é uma das milhares de pessoas dentro e fora da política que adotam este discurso e inclusive alguns membros da esquerda.

    Se procurarem no meu Blog aqui no GGN verão que já fiz diversas análises sobre Bolsonaro, porém não as restringi a ficar dizendo as bobagens e violências verbais que o mesmo excreta pela boca de tempos em tempo.

    O que temos que questionar é que Bolsonaro foi sempre e é até hoje uma figura esperta, e não inteligente, que soube aproveitar muito bem um discurso chamado politicamente incorreto contra a alvos específicos que lhe deram fama, por exemplo, Maria do Rosário e Jean Willians.

    Bolsonaro é um subproduto do subdesenvolvimento político brasileiro, é uma figura histriônica, que está no limite de um transtorno de personalidade histriônica (TPH), que aproveita seus arroubos de canalhice para provocar pessoas suscetíveis a provocações.

    Ele também tem um certo grau de covardia, pois geralmente ele tenta atuar contra personalidades que aparentemente são mais fracas ou não tem capacidade de reagir fisicamente contra ele, ou que não são condicionadas a manter diálogos fortes sem perder a calma. A tendência de Bolsonaro procurar apoio nas polícias militares revela também a sua necessidade de compartilhar seu tempo com indivíduos que teoricamente lhe dão proteção.

    Quanto ao espetro político de Bolsonaro, o que se vê que o mesmo em termos de definição política ele não tem capacidade de desenvolver nada e trabalha simplesmente com seus bordões que devido o longo tempo que utiliza os mesmos consegue manobra-los com maestria, porém não se pode e não se deve confundi-lo com um líder fascista.

    A palavra fascista é utilizada de forma leviana e descontextualizada quando se faz referência ao deputado, pois se confunde truculência, violência, racismo e outros predicados nada civilizados com o fascismo. Utilizar a palavra fascismo para ele significa enquadrar uma série de governantes truculentos e violentos da antiguidade, época em que não se justificaria o emprego da palavra a estes governantes.

    Bolsonaro é muito menos do que realmente se atribuiu a ele e é uma figura montada inclusive mais por seus oposicionistas por ele mesmo.

    Num país normal, com um grau de educação política mínima, o deputado não passaria de um vereador, mas devido a distorção do sistema eleitoral, qualquer imbecil que levante num estado algo em torno de 1,5% dos votos, principalmente num estado com quase 50 deputados federais, está eleito, e isto que Jair Bolsonaro fez em todas as eleições antes de 2014 (1990 em torno de 1% dos votos (67.041), 1994 – 2,48%, 1998 – 1,45%, 2002 – 1,1%, 2006 – 1,25%, 2010 – 1,51%, 2014 – 6,1%).

    Conforme se vê nos resultados desde 1990 (primeira eleição a deputado federal) até 2010 ele não passa de 2,5% dos votos no Rio de Janeiro, baixando em 2002 no seu mínimo, e com a excepcionalidade das eleições de 2014 e com o ápice de suas discussões contra os opositores citados ele chega a 6,1% dos votos. Há uma verdadeira ilusão sobre o potencial de votos do mesmo, mas poucos param para enxergar que em 20 anos de deputado federal apoiando somente uma causa, não era de se esperar muito menos o que ele recebeu.

     

  15. Dúvidas sobre o episódio Bolsonaro

    -> Primeiro, a questão da ausência de sangue. 

    -> é a multidão furiosa exibir a camisa da pessoa atacada

    -> e bem que pelo menos um furo a camisa teria de ter, ou não?

    -> obliquamente, de cima para baixo, e de maneira muito rápida. Realmente não consigo entender como um golpe desferido dessa forma possa causar tamanho estrago. 

    agressor sem hematomas, escoriações…

    golpes. golpes dentro do golpe.

    teoria conspiratória por teoria conspiratória: Geronimo! e se o atentado que provocou tanto estrago aconteceu no carro no caminho do hospital?

    ainda assim, por que a ausência de sangue na foto com Bolsonaro de peito desnudo na maca?

    prazo de validade vencido: Teori, Eduardo Campos, Tancredo, Lacerda, Fleury, Baumgartem, PC Farias, Malhães.

    vídeo: Bolsonaro corte rápido – faca é Tramontina

    [video: https://www.youtube.com/watch?v=sPQJaCn9cKA%5D

    .

      • Dúvidas sobre o episódio Bolsonaro

        -> Mas até você, arkx?

        então: comprado ou vendido? o negócio é business… corte rápido.

        A segunda onda Bolsonaro

        03/09/2018

        Nos anos em que acompanhava mercado, e nos anos em que acompanho política, aprendi a identificar sinais para saber quando os personagens políticos estão “comprados” (isto é, com o mercado aguardando sua valorização) ou “vendidos”.

        Se a base de comparação for o mercado de capitais, Bolsonaro continua sendo comprado. Em breve as pesquisas indicarão a segunda onda.

        .

  16. A mim surpreendeu, também,

    A mim surpreendeu, também, a gentileza com que os seguranças do Rojas trataram o malvado agressor, quando seria esperado que o trucidassem, conforme a pregação usual da criatura.

  17. Transferência suspeita
    Tb não é normal se transferir no dia seguinte um paciente que sofreu operação vascular e está na UTI.

  18. Como no episodio da bolinha…

    A bolinha na cabeça do Serra aconteceu, mas foi uma bolinha e não um “tijolo” como se queria depois mostrar. A falta sobre Neymar contra Colômbia aconteceu, mas criaram uma farsa no hospital para liberar Neymar do jogo contra Alemanha, sabendo que “deviam” perder para estes (arrumação da FIFA). A facada aconteceu, mas, pelo visto e pelas primeiras reações dos filhos do Bolsonaro, foi algo superficial. O show veio depois, entre o local e o hospital, onde criaram uma perda de 2,5 litros de sangre e provavelmente maximizaram os estragos gerados. Graças a isso, Bolsonaro será poupado do restante da campanha (ele mesmo não queria nem participar de debates) e poderá passar de vitima ao invés de vilão.

  19. RIGOR, Rigor, rigor…

    Nassif: acrdito no rigor das apurações desse (suposto) atentado. Com toda isenção da Polícia do Príncipe de Paris. E a dureza desse Judiciário, como as Cortes Militares, no tempo da DitaBranda (segundo a Folha). Demorará um pouquinho. É só TSE diplomar seus candidatos. Ou quem sabe a PGR engavetar o crime até prescrever. Depois daquela noturna reunião da dona Dodge com o Mordomo de Filme de Terror, no Jaburu, tudo é possível.

    RioCenter neles…

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome