Maduro fortalece a direita na América do Sul, por André Araujo

Política exige inteligência, ideologia serve de apelo, mas a operação da política exige estratégia, uma trajetória de meios e fins

Maduro fortalece a direita na América do Sul

por André Araujo

Partidos de esquerda cometem suicídio político ao apoiar o afundamento de um regime inviável como o de Nicolás Maduro na Venezuela.

Política exige inteligência, ideologia serve de apelo, mas a operação da política exige estratégia, uma trajetória de meios e fins.

Com a morte de Chavez encerrou-se o chavismo, o seu sucedâneo sempre foi inviável, é raríssimo um líder carismático transferir o poder a um sucessor porque as características de um líder carismático são intransferíveis, sua biografia, força e imagem internacional.

Maduro é um indivíduo primário, tosco, sem nenhuma capacidade gerencial para um Estado complicado como a Venezuela, uma figura patética, um glutão engordando em país passando fome.

Lembrando que a Venezuela já teve duas ditaduras anteriores, a longeva de Juan Vicente Gomez no começo do Século passado, que durou com ele ou apaniguados 35 anos, e a do Coronel Marcos Perez Gimenez, nos anos 1950, de curta duração. Ambos ditadores foram apoiados pelos EUA.

Mas depois da última ditadura a Venezuela construiu uma vigora democracia liberal, com partidos sólidos, como a respeitada Accion Democratica e o COPEL, apeados por Chavéz em nome do combate à corrupção. Ironicamente, a corrupção do chavismo é infinitamente maior do que a dos antigos partidos, fazendo de Carlos Andrés Perez um modesto surripiador de supermercado.

ESTRATÉGIA DE UMA ESQUERDA OPERACIONAL

Stalin puxou a escada dos comunistas gregos em 1949, quando o ELAS estava a ponto de controlar Atenas. Na visão estratégica de Stalin se a Grécia caísse em mãos comunistas, as potências ocidentais iriam contestar o controle soviético sobre a Europa do Leste. Com esse cálculo, Stalin mandou desarmar o ELAS e impediu o movimento esquerdista de ganhar a guerra civil grega, porque do ponto de vista estratégico era mau negócio uma Grécia comunista.

Outros regimes bolivarianos na América do Sul, como Equador e Bolívia, não estão sendo contestados pela direita porque são razoavelmente eficientes. Já o governo da Venezuela é uma catástrofe gerencial, liquidou com a economia, o PIB caiu 50% em três anos e destruiu a indústria, a agricultura, a produção de petróleo, numa escala que lembra a Europa bombardeada da Segunda Guerra.

Como é possível apoiar esse regime, de onde fugiram 5 milhões de habitantes em uma população de 29 milhões? Abraçar afogado não acaba bem, a falta de comida e remédios é insustentátvel.

A insistência do PT em apoiar esse regime abominável só enfraquece o Partido e, no conjunto, a esquerda sul americana, reforçando a direita continental porque lhe dá argumentos para um discurso anti-esquerdista, exibindo a Venezuela como exemplo de mau governo de esquerda.

OS EUA NA CRISE VENEZUELANA

A posição dos EUA nessa situação é muito especial. A Venezuela tem, até 2017, os EUA como seu maior parceiro comercial. Os EUA são seu maior fornecedor, com 24% do total de importações e são mercado para 34,8% das exportações venezuelanas. Já a maior concessionária das novas reservas de petróleo do Orinoco é a americana CHEVRON, cuja subsidiária venezuelana é a principal empresa do país, depois da PDVSA.

A Venezuela sempre foi muito americanizada. O baseball é seu principal esporte. A ligação com os EUA é muito forte historicamente.

De modo geral, os EUA tem com a Venezuela uma atitude cuidadosa, que não tem com outros países da América Latina, tanto que tiveram ligações mais ou menos normais com esse regime que já dura 21 anos, só engrossaram nos últimos meses pelo estado calamitoso do País.

A situação do Brasil com a Venezuela é especial. É preciso cabeça fria. O Brasil se comprometeu demais com o madurismo e com isso perdeu espaço de negociação. Felizmente o núcleo militar do atual governo tem cabeça fria para lidar com essa situação explosiva. Não resta ao Brasil outra estratégia que não seja a de operar dentro dos mecanismos do Grupo de Lima como forma de limitação de perdas no continente.

Aparentemente todos os participantes do Grupo de Lima concordam que uma ação militar não deve ser cogitada e manter a pressão diplomática parece ser a única opção, na espera de um golpe militar interno, que tampouco parece viável. O Exército se comprometeu profundamente com o regime. No meu ponto de vista, o verdadeiro comando do Governo é dos militares. Maduro é apenas um títere desse grupo, o que torna as coisas mais complicadas na solução imprevisível da crise.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

92 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

- 2019-03-06 07:24:06

Faltaram algumas coisas que o articulista convenientemente esqueceu. 1) Maduro foi eleito numa eleição considerada legítima por observadores internacionais. 2) Trump só pensa naquilo: o petróleo da Venezuela. É por isso que quer derrubar Maduro. 3) A crise econômica venezuelana é causada pelo bloqueio econômico dos EUA. 4) O Brasil tem um governo fascista e servil aos EUA. 5) O tal "dia D" de invasão da Venezuela foi um fracasso retumbante. 6) O povo venezuelano, em peso, apoia o governo. Melhor cuidarmos para derrubar URGENTEMENTE o capitão Bozo, ao invés de meter o bedelho em países vizinhos.

- 2019-03-06 07:18:24

Assino embaixo de suas palavras.

PAKER

- 2019-03-05 12:29:10

Volte para a plataforma ou modelo anterior, do jeito que esta ficou muito ruim em todos os aspectos.

Belo Horizonte

- 2019-03-01 17:43:32

MENTIRA, a Venezuela convidou observadores da ONU, que não os enviou por articulações dos EUA.

Eliana

- 2019-03-01 16:25:16

Dá um certo alívio constatar que as "antipatias" e o preconceito podem fazer até os mais cultos pisarem na bola. Realmente, todo mundo erra...

Wendel

- 2019-03-01 11:46:51

Bem o André ltem aqui tecido alguns comentarios q nao podemos constentar mas...... ld fez neste artigo uma analise superficial a meu ver pois esqueceu de dizer que tudo gira em torno do petroleo e a influencia q a China e Russia teem na Venezuela Com o Irã, China e Russia cmerciando em suas proprias moedas, est cada ve mais dificil os EE:UU operarem naquelas regioes já dominadas quase que totalmente por eles. Ale´m de ter uma reserva enorme de petroleo em seu quintal com o pre-sal ja dominado e daqui a alguns anos do orinoco ficara com este potencial emseu quintl sem necessidade de sofrer algum bloqueio sobre a importação do petroleo do oriente. E tem mais as agruras pelas quais pssa a Venezuela tem muito a ver com o bloqueio. vide o que aconteceu nao muito temlo com Iraque , Afeganistão e Libia. Entao...... Uma análise mais profunda se torna necessaria !!!

mauro silva

- 2019-03-01 09:44:42

infelizmente, o autor não desenvolveu suas teses com o costumeiro acerto. cometeu erros, alguns até ingênuos: stalin teria cedido a grécia para não ver contestada sua influência na europa centro-oriental parece inspirada em astrólogos da estatura de um olavo de carvalho. esse caso, a coisa foi bem mais simples: trocaram a grécia pela polônia, este um dos paises mais carolas e anticomunistas da europa, mas posicionado a meio caminho entre urss e alemanha oriental. o misto de ator-papa veio de lá, e não foi de graça. aliás, no último filme da trilogia da guerra do kieslowski, tem-se a impressão de ver-se carol w. despir-se, sob escadarias escuras, do uniforme de colaboracionista nazi, trocando-o pela roupagem patriótica de partisan da hora. as esquerdas não podem deixar de apoiar maduro por um motivo muito simples: ele foi eleito presidente numa eleição mais limpa que a de trump (4 milhões de votos diretos a menos que a adversária) e do bozonaro, favorecido pelo conluio criminoso entre setores obscuros do judiciário, que afastaram lula da disputa ilegalmente. a coragem de maduro expôs o império, que teve de socorrer dos seus esbirros locais do sub-continente, mas revelou, em contrapartida, uma cisão dentro das forças armadas brasileiras, que desencorajou o assanhamento intervencionista geral, e levaram o presidente bozo e seu chanceler recuarem à coleira da moderação, impondo a ambos eloquente cala a boca. serviu também para um 'sai fora, trump' do lider da coreia do norte, pois mostrou ao mundo, mais uma vez, que os u.s.a. não cumprem acordos ou tratados.

valter

- 2019-02-28 23:56:05

admirável seu comentário. valeu mais a pena do que o próprio texto!

Bernardo Speller Trajano

- 2019-02-27 08:44:40

Maduro é feio, bobo e cabeça de melão, mas foi eleito democraticamente debaixo da vista de vários países à época. Estar contra ele é estar a favor de Guaidó q não é ninguém na Venezuela. Ademais, pq Maduro tem apoio incondicional na população ? O próprio Maduro ( tosco e truculento como vc quer pensar que ele é. Para mim, essa descrição encaixa-se muito bem em outras figuras bem diferentes - Trump, Coiso e filhos, etc.) já deve estar, em breve, trabalhando diplomaticamente a situação política. Com relação à economia, há outros atores: A Rússia já avisou que vai ajudar economicamente como ajudou a Síria militarmente. A peitada do Maduro nos EUA mina a confiança nos grandes centros onde ele tentou sacar riquezas do Estado para ajudar a economia (Londres e EUA). Essas sanções aprofundam muito mais o estado de calamidade com o qual os EUA estão, segundo o senhor, muito preocupados e, atrapalha os states também pois obriga o resto do mundo a trabalhar com a Venezuela em outras moedas. Por último, "glutão onde se passa fome" entregou seu preconceito. Até os mais bem informados e inteligentes têm preconceitos. LULALIVRE

Edson Dias

- 2019-02-27 01:11:42

Nassif, pelo amor de Deus, volte com o blog para a antiga plataforma! Essa está ruim DEMAIS!!

ERNESTO GETULIO MICHIELIN VIEIRA

- 2019-02-26 16:28:40

"só engrossaram nos últimos meses pelo estado calamitoso do País." O Trump não está preocupado com o estado calamitoso do país, ou sairia derrubando os governos da Guatemala, Honduras, El Salvador, que também estão em estado calamitoso, mas não tem petróleo.

- 2019-02-26 14:21:59

Renato Rovai está em Caracas. Segue a visão (cautelosa) dele: https://www.revistaforum.com.br/blog-do-rovai-direto-de-caracas-maduro-nao-cai-tao-cedo/ "É quase impossível reverter a atual crise econômica enfrentando um bloqueio americano. Por isso, passando este momento mais duro, provavelmente o próprio Maduro vai buscar a negociação. Contando com apoio dos militares, de boa parte do sistema jurídico e político e agora com a determinação do povo em não aceitar uma ocupação americana, que seria a única forma de tirá-lo do poder no momento, Maduro não cairá de podre (com o perdão do trocadilho) como previram alguns desavisados."

Marco A.

- 2019-02-26 13:28:16

Para fugir de opiniões rasteiras sobre a seriíssima crise que afeta a Venezuela e a América do Sul, essa infeliz região em que a classe média, principalmente a que tira seu sustento da exploração dos bens minerais e que se acha que é a melhor do mundo, como os antigos empregados da PDVSA o eram, repasso uma análise criteriosa sobre a situação a cargo do professor David Emanuel Coelho. Nelas não há ofensas, cachaças etc. VENEZUELA, UMA REVOLUÇÃO ESGOTADA – 1: https://naufrago-da-utopia.blogspot.com/2019/02/venezuela-uma-revolucao-esgotada-1.html VENEZUELA, UMA REVOLUÇÃO ESGOTADA – 2: https://naufrago-da-utopia.blogspot.com/2019/02/venezuela-uma-revolucao-esgotada-2.html E o documentário da tv estatal irlandesa "A revolução não será televisionada", que mostra quem eram os beneficiários a antiga PDVSA, esses que o sr. André "Razão" Araújo acha uma maravilha: https://www.youtube.com/watch?v=MTui69j4XvQ. Acho que o respeitável comentarista se perdeu, mas não foi avisado.

Plinio C A Junior

- 2019-02-26 11:54:21

Quando lê-se um comentário sempre lucido e cristalino como o de Andre Araújo, fica difícil replica-lo. É uma autoridade em assuntos de geopolítica como poucos. Obrigado André Araújo por mais esse portentoso artigo esclarecedor

Jorge Moraes

- 2019-02-26 11:48:47

É lamentável que o articulista refira-se a (pretensos) substitutos de (pretensos, de novo) "9.600 engenheiros de petróleo, os melhores do mundo", como "pinguços dos botecos de Caracas", ainda que se tome a depreciativa qualificação por exagero retórico, para efeito de contraste, e ironia jornalística. Do texto principal, em si, sobressai a absurda caracterização do tipo de relação que os EUA teriam para com a Venezuela Bolivariana, "ligações mais ou menos normais", somente engrossadas a partir dos últimos meses pelo "estado calamitoso do país". Ao propósito, pergunto ao respeitável articulista se o descarado apoio dos EUA ao golpe de 2002, "Carmona, etc", felizmente frustrado por quem tinha (e ainda tem) mandato válido a tanto: as instituições cujos titulares, direta ou indiretamente, foram eleitas democraticamente pela população.

andre araujo

- 2019-02-25 20:35:24

Se Trump, Grupo de Lima, Juan Guiadó, nada disso existisse, mesmo assim Maduro levou a Venezuela a uma destruição da economia que jamais aconteceu um Pais em tempos de paz, como um Pais produtor de petroleo conseguiu em 20 anos reduzir a produção a UM TERÇO do que era antes de Chavez? Eu sei como, despediram 9.600 engenheiros de petroleo, os melhores do mundo e colocaeam no lugar pinguços dos botecos de Caracas, isso nada tem a ver com Trump.

andre araujo

- 2019-02-25 14:29:00

A eleição foi viciada, todos os candidatos da oposição foram proibidos de se candidatar ou estão presos, a esmagadora maioria dos paises importantes não reconhece a eleição de Maduro.

Adolfo Silva Rego

- 2019-02-25 13:59:55

"Mas depois da última ditadura a Venezuela construiu uma vigora democracia liberal, com partidos sólidos, como a respeitada Accion Democratica e o COPEL, apeados por Chavéz em nome do combate à corrupção. Ironicamente, a corrupção do chavismo é infinitamente maior do que a dos antigos partidos, fazendo de Carlos Andrés Perez um modesto surripiador de supermercado." O texto do articulista é todo imprestável, com argumentação tosca e sem fundamentação fática alguma. Escolhi o trecho acima apenas para ilustrar. Primeiro, não há evidência alguma de corrupção desenfreada após a ascensão do chavismo. O que há é a reiteração de mentiras pela mídia pró-imprerialista. A mídia que acusa a corrupção do chavismo é a mesma que fala que o PT inventou a corrupção no Brasil, ou seja, a porta-voz da direita reacionária, que se posiciona contra tudo que vem da esquerda. Segundo, a democracia liberal sustentada por "partidos sólidos" (AD e COPEI) é o período conhecido como Pacto de Punto Fijo. Em qualquer consulta ao Google, sabe-se fácil que o "punto fujismo" foi uma total traição aos movimentos populares e democráticos que derrocaram Pérez Jimenez. Esses dois partidos traíram um movimento democrático-nacionalista, aliaram-se com o imperialismo e fizeram um pacto de revezamento no poder (Pacto de Punto Fijo). Durante quatro décadas, venderam combustível barato para os EUA, exacerbaram a desigualdade social e causaram diversos períodos de fome e escassez que redundaram em convulsões sociais, debeladas à bala pela polícia (pesquisem sobre o "Caracazo"). A Caracas desse período tinha a maior concentração de aviões de pequeno porte e helicópteros por habitante. Havia uma restrita elite que vivia da exploração da renda petroleira (com muita corrupção, por óbvio) e uma gigantesca pobreza. O chavismo é resultado disso e sua sobrevivência também.

Paulo Chico

- 2019-02-25 10:45:45

"Importante constatar que as eleições que deram vitória a Maduro foram feitas com o acompanhamento de inúmeras representações internacionais, sendo que todas atestaram a lisura do pleito." --------------------------------------------------------------------------------------- De onde vc tirou isto? Maduro não aceitou observadores externos, barrou ONU e OEA.

WAGNER MORENO AGUILAR

- 2019-02-25 09:58:19

Beleza, não sabia que a Venezuela se podia tirar um presidente com um golpe só porque não achamos que ele esteja fazendo um bom governo. O que eu sei é que no Brasil pode!

Garibaldi

- 2019-02-25 09:21:28

Já concordo em parte com o raciocínio. Concordo que Chavez foi muito mais forte que Maduro, mas quem sustenta o Maduro são as Forças Armadas da Venezuela. Se não fosse por eles Maduro já teria caído. Além do que, me parece que agora Maduro conta com grande apoio popular, pois está mais que evidente que o objetivo não é nem nunca foi ajudar a Venezuela, e sim tomar posse dela. EUA e Brasil agora agem como aloprados, viram uma oportunidade única para tentar intervir, olho maior que a barriga. Não sei como será a reação a essa vergonheira. Pode ser que o governo do Maduro seja mais ineficiente, mas não é por isso que se pode apoiar um golpe contra o país. Vide Dilma. E pode ser que ele tenha manipulado as eleições, mas nós aqui também fizemos algo parecido, quando se instalou o Estado Novo de Getúlio Vargas, ou não? Com os mesmos objetivos. Por isso que lamento profundamente a atitude de nossas forças armadas.

Zeca Teixeira

- 2019-02-25 03:16:55

Nassif, podia nos poupar de um articulista alinhado com yankee!!Fala sério !!!

IZIDRO MORAES

- 2019-02-24 21:37:43

Falta algumas leituras de Moniz Bandeira, Pepe, Stgltz e outros ao Andre Araujo. Sua versao nao corresponde a historia real e a geopolitica do mundo domininada pelo imperio americano, saqueador do mundo.

gusfoca

- 2019-02-24 21:00:09

O "articulista" finalmente mostra suas razões: é um anti-chavista envergonhado. Parece que o "sistema chavista" causou prejuízo a "amigos seus". Não só generaliza ao afirmar que os apoiadores de tal "sistema" são incompetentes (duvido que tenha base para sustentar essa posição), mas associa a ruína dos empreendimentos à "incompetência" gerencial de seus novos donos - num pais com a economia em declínio. Por que não o contrário? Talvez os donos BRANCOS dos negócios não sejam muito afeitos ao chavismo, num país radicalmente racista que promoveu melhorias reconhecidas internacionalmente para sua população mais pobre e PRETA. Numa coisa você tem razão: há causas endógenas para a derrocada econômica da Venezuela - como o boicote INTERNO do empresariado opositor, concorda?!? Por fim, mostra seu desprezo não só em relação aos chavistas, mas a todo o povo em Caracas, considerando-os como inveterados pinguços (deveria acrescentar "vagabundos"? Talvez "esquerdopatas"?). O "articulista" preenche todos os requisitos para ser analista da Globonews, onde certamente terá audiência cativa. Preposto de Olavo também é uma opção.

gusfoca

- 2019-02-24 20:59:37

O "articulista" finalmente mostra suas razões: é um anti-chavista envergonhado. Parece que o "sistema chavista" causou prejuízo a "amigos seus". Não só generaliza ao afirmar que os apoiadores de tal "sistema" são incompetentes (duvido que tenha base para sustentar essa posição), mas associa a ruína dos empreendimentos à "incompetência" gerencial de seus novos donos - num pais com a economia em declínio. Por que não o contrário? Talvez os donos BRANCOS dos negócios não sejam muito afeitos ao chavismo, num país radicalmente racista que promoveu melhorias reconhecidas internacionalmente para sua população mais pobre e PRETA. Numa coisa você tem razão: há causas endógenas para a derrocada econômica da Venezuela - como o boicote INTERNO do empresariado opositor, concorda?!? Por fim, mostra seu desprezo não só em relação aos chavistas, mas a todo o povo em Caracas, considerando-os como inveterados pinguços (deveria acrescentar "vagabundos"? Talvez "esquerdopatas"?) O "articulista" preenche todos os requisitos para ser analista da Globonews, onde certamente terá audiência cativa. Preposto de Olavo também é uma opção.

gusfoca

- 2019-02-24 20:35:09

Quem é a Smartwatch? Uma empresa americana? Saiu PORQUE as eleições foram fraudadas? Ou isso foi só o que alegou? Quais são os opositores presos? Quais os motivos? Ou você só assume que o foram injustamente para reforçar sua tese? Por que Guaidó não foi preso também? Não conheço a legislação Venezuelana mas, se segue o padrão de regimes democráticos, é quase certo que pode (ou deve!) fazê-lo. A esquerda mais radical está pedindo sua prisão, inclusive. Qual a fonte de informação de onde tirou o valor de 70% de abstenção? E de que os outros candidatos não tem tempo de TV? O que não tem sido limpo é o monte de mentiras e informações distorcidas e sem provas sobre a Venezuela, seu governo e o atual presidente divulgadas pela mídia corporativa e repetida por incautos! Nem ponho minha mão no fogo por Maduro, nem por Lula ou qualquer pessoa em particular que não conheça pessoalmente. Mas afirmações, principalmente acusações, devem ser embasadas! Do contrário, será o SEU caráter a estar posto em questão! Em uma palavra: calúnia!

gusfoca

- 2019-02-24 20:13:47

Ok, você falou de Maduro, O Glutão e sua trupe. Agora fale de Bruxelas, ou mesmo de Guaidó e sua "representatividade"... Então a "União Europeia reconheceu Guaidó como Presidente" PORQUE os candidatos da oposição foram proibidos de se candidatar?!? Ela poderiam simplesmente evitar o vexame de aponhar o "Random Dude", para me apropriar do epíteto conferido a tal sujeito por Pepe Escobar (esse sim, alguém que tem MUITO a dizer e com bases sólidas). Não há relação de implicação aí. Aliás, de onde você tirou que a oposição foi PROIBIDA de participar? O fato é que ela não participou. Mas essa forte afirmação é fato ou conclusão sua (ui!)? Você ignora toda a conjuntura e a história, inclusive recente, atendo-se a uma linha de raciocínio típica da mídia corporativa: as ações dos países se orientam por motivações puramente diplomáticas ou mesmo morais, isto é, permanece na superfície dos acontecimentos e do funcionamento da máquina burocrática do sistema. Os norte americanos "engrossaram" por causa das "condições calamitosas do país"; a UE reconheceu Guaidó como presidente porque a oposição foi proibida de se candidatar, etc. Recomendo a leitura do livro "A desordem mundial", do recém-falecido Moniz Bandeira (outro que tinha MUITO a dizer). Talvez você veja que as relações entre Washington e Caracas só estavam "normais" na superfície, e olhe lá...

J.Marcelo

- 2019-02-24 18:36:21

André mas o "ditador"não foi eleito?Os EUA têm moral.pra ir lá e tirar o Maduro!,Aqui vc acha q os EUA não teve nada haver com o golpe?

jef m

- 2019-02-24 17:31:57

https://twitter.com/rogerwaters/status/1099435542259945474?s=12

andre araujo

- 2019-02-24 15:58:00

https://jornalggn.com.br/historia/dos-herois-da-guerra-civil-espanhola/2/ Será besteira um artigo, escrevi tres aqui no blog, sobre ENRIQUE LISTER, o mais importante General da esquerda mundial no Seculo XX? Lister foi General da Republica Espanhola contra os fascistas de Franco, depois General do Exercito Soviético contra as tropas nazistas no cerco de Leningrado, depois General do exercito de Tito contra os alemães, depois General de Fidel Castro na luta contra o ditador Batista. Tentei encontra-lo em Madrid, onde voltou a residir depois da morte de Franco e não consegui. Um personagem ícone do socialismo no Seculo XX, que besteira hem?

Marco A.

- 2019-02-24 14:35:58

Cada um tem o Olavo de Carvalho que merece...

Esclarecedor

- 2019-02-24 13:34:45

A informação é base do conhecimento. Não confunda o comentarista André Araújo com o presidente brasileiro da Shell Brasil André (Lopes) Araújo. Ingenuidade supor que o "CEO da Shell" estaria comentando ou batendo boca por aqui.

Marco A.

- 2019-02-24 13:03:50

Para fugir do simplismo adotado pelo respeitabilíssimo André Araujo na questão da Venezuela, seguem trechos de artigos do professor Carlos Eduardo Martins e do jornalista Fernando Brito. "Essa estratégia se manifesta ainda no projeto de conversão dos Estados Unidos em potência industrial petroleira, em implementação a partir de 2008, eliminando o seu déficit na conta petróleo, transformando a periferia latino-americana em exportadora de óleo cru a baixo preço e anulando a política de nacionalização e industrialização de recursos naturais dos últimos 20 anos. Para isso torna-se fundamental o desmonte da PEMEX, imposto durante os governos neoliberais, da Petrobrás, em curso após o golpe de Estado no Brasil, e da PDVSA, com o cerco financeiro à Venezuela e a deposição do governo Maduro." Carlos Eduardo Martins, em "Trump e a Venezuela", 20/2/2019 (https://blogdaboitempo.com.br/2019/02/20/trump-e-a-venezuela/?fbclid=IwAR0EBZty4HLTLsVeQfzE2FHchcgR0ugYgpHnvLeAj91mJAMDNcH2_9gD6OE). "O país, durante a República Bolivariana, introduziu a democracia participativa e realizou 24 eleições, tornando-se referência regional e mundial de legitimidade até as eleições legislativas de 2016. Destacou-se como líder da cooperação internacional, dedicando-lhe 1,5% do PIB no período dourado do chavismo, e estabeleceu uma agenda de integração regional que desafiou os esquemas neoliberais, impulsionando a ALBA, a Petrocaribe e a Telesur, que confrontou o monopólio midiático do grande capital. Aprofundou relações comerciais e financeiras com a China e a Rússia, destinado parte expressiva da produção de petróleo à primeira e comprando armas, principalmente, da segunda, com quem tem aprofundado a cooperação militar. Tal cenário torna-se alarmante para os Estados Unidos quando se toma em consideração o forte avanço dos gastos militares russos e chineses em relação aos seus no século XXI." Idem, ibidem. "Oriundo dos protestos estudantis de 2007, protegido de Luiz Enrique Berrizbetia, ex-diretor do FMI, Guaidó estudou em Washington após se formar em Caracas e recebeu treinamento de agências internacionais especializadas em desestabilização, como a CANVAS e Otpor, havendo participado ativamente das Guarimbas." Idem, ibidem. "Se Nicolás Maduro fosse saudita, usasse turbante, mandasse degolar pessoas a espada em praça pública, ordenasse a execução de um jornalista em plena embaixada do país no exterior e depois dissolvesse seu corpo em ácido isso não seria motivo para derrubá-lo, como lá na península árabe não é (sic)." Fernando Brito, em "Sem o “maldito” pré-sal, como estaríamos hoje?", 23/2/2019 (http://www.tijolaco.net/blog/sem-o-maldito-pre-sal-como-estariamos-hoje/).

Edna Baker

- 2019-02-24 12:59:53

Se o Trump e o Bolsonaro são contra o Maduro alguma coisa de bom ele tem.

Marco A.

- 2019-02-24 12:55:57

Exatamente, os EUA não precisam invadir. Basta congelar os bens do país nos bancos ocidentais, bloquear o comércio, financiar mercenários brasileiros e colombianos, insuflar com mentiras a revolta da população, praticar atos de sabotagem e espionagem etc. etc. etc. Invadir pra quê? Está liquidada a fatura. Por que então não fazer o mesmo contra os racistas e assassinos encastelados em Israel? São tão safados glutões e corruptos quanto o Maduro! Ou não?

Marco A.

- 2019-02-24 12:44:53

E qual o risco que há em ser DONO de uma reserva??!! Nenhum. Ela está lá, sob a superfície, e lá ficará. É exatamente isso o que as tais "majors" querem! Não querem mais ser meros contratados! Querem, na marra, apropriar-se de TODAS AS RESERVAS que lhes sejam possíveis. Não querem mais intermediários, sejam estes santos ou demônios, como se acredita ser o Maduro. Mas que ingenuidade, meu senhor! Tenha santa paciência! Onde está a sua razão??!! Não ponha sua credibilidade a perder! Mais importante que esta ou aquela opinião é a credibilidade!

ari couto

- 2019-02-24 11:03:11

Parabéns por seu apoio ao imperialismo norte americano. Cara, não se trata de você gostar ou não do Maduro mas sim de apoiar um povo que ameaça ser invadido pelo imperialismo norte-americano, com as consequências que todos conhecem. Há uns 3 anos venho acompanhando o tema Venezuela, dispondo hoje de um arquivo respeitável a respeito e não posso de forma alguma concordar com você. Seus comentários acima parecem mais aqueles encontrados aos milhares nos blogs de direita.

andre araujo

- 2019-02-24 10:06:38

As "majors" de petroleo NÃO tem mais reservas ha muito tempo, Hoje 91% das reservas mundiais de petroleo são de estatais ou de governos (segundo a Cambridge Energy Research) , as petroleiras preferem contratos de serviços onde há muito menor risco sem investimento.

Antonio

- 2019-02-24 02:54:59

Maduro foi apadrinhado pelo Chavez.

Antonio

- 2019-02-24 02:51:32

''derrocada em tão pouco espaço de tempo'' ??? A derrocada da Venezuela, começou logo no primeiro dia de mandato de Chavez. Tudo isso que acontece hoje, são frutos de uma bola de neve que se formou há tempos. Ou, acha que um governo bolivariano conseguiria cooptar as forças armadas, e etc, em pouco tempo?

Renato Lazzari

- 2019-02-24 01:36:15

Não é "se os EUA quisessem invadir..." Os EUA já estão invadindo a Venezuela. Não há outro nome para intervenção não solicitada além de "invasão". E a violência dessa invasão contra a Venezuela não é menor nem menos nefasta do que as outras todas que esse país norte americano de primitivos bárbaros e incivilizados tem levado a cabo há uns 100, 150 anos, no máximo. Sabotadores, fracos e covardes, piratas saqueadores, ladrões mesmo, não há eufemismo que disface o que os EUA são. E o que estão fazendo contra a Venezuela, André.

Marco A.

- 2019-02-23 23:18:48

Até parece que a eleição do Macron foi muito limpa. Nem por isso a França deixou de ser um dos baluartes da Democracia.

Daytona

- 2019-02-23 22:34:50

Por que eles querem pagar com dólares podres, e a Venezuela quer dinheiro de verdade.

Daytona

- 2019-02-23 22:29:48

"Maduro hoje é apenas lider aparente de uma milicia de ladrões e traficantes" Aliás, falando em narco-estados, e a Colômbia? Já está sob sanções e embargos dos EUA? E Israel? Já estão a postos os caminhões de ajuda humanitária para os Palestinos confinados no gueto de Gaza? Vamos aguardar ansiosamente suas explicações!

Daytona

- 2019-02-23 22:28:09

"Maduro hoje é apenas lider aparente de uma milicia de ladrões e traficantes" Bolsonaro é o que? Podemos aguardar sanções, embargos e caminhões com "ajuda humanitária" em nossas fronteiras?

mathaus

- 2019-02-23 22:16:17

O aprofundamento da participação popular na venezuela foi diminuindo antes da morte do chavez, a crise alimenticia é resultado do não investimento do próprio "governo bolivariano" em produção agricola e infraestrutura no interior do país. Maduro o nunca teve a capacidade de ser chefe de estado, e o destino dele está na mão dos militares que dejesam apenas marter os próprios privilegios, ele é uma marionete igual o boçalnaro. é dificil convencer o pête que a crise da venezuela tem meritos próprios em quanto a crise no brasil (muito mais urgente) foi instrumentalizada e é completamente artificial.

Renato Lazzari

- 2019-02-23 21:28:27

No atual estágio de barbárie e selvageria a que estamos submetidos, em que leis são instrumentos a serem torcidos e desvirtuados para que os EUA e os alinhados ao dólar se imponham, em que qualquer desculpa, pretexto mentiroso ou até nenhum arrazoado expliquem as ações terroristas do dólar - exceto a acumulação de poder entre os endinheirados -, tanto faz quem foi eleito. O importante é resistir ao empobrecimento geral (para o enriquecimento de poucos) que o Capital quer aprofundar. Assim, pouco importam as habilidades de Maduro ou de qualquer outro defensor da prosperidade e da soberania nacionais, o que vale é resistir. E não se resiste às armas - de fogo ou morais - com firulas diplomáticas e sim com pelo menos a mesma força das agressões. Viva Maduro! (O resto é conversa para boi dormir.)

Luis Henrique Mello

- 2019-02-23 21:04:21

Os dois comentários acima mentem descaradamente. Foram QUATORZE canditados. O "chavista desconhecido" seria o segundo colocado, o Sr. Henry Falcón? A acusação do CEO da Shell apenas ecoa o dos setores mais radicais da direita venezuelana, o candidato foi ameaçado por não concordar com o boicote (https://uk.reuters.com/article/uk-venezuela-politics-election-analysis/maduro-challenger-shakes-up-venezuelas-presidential-vote-idUKKCN1GU04B). Washington e este setor radical e golpista da direita fez de tudo para que as Nações Unidas não enviassem observadores internacionais para esta eleição (https://fair.org/home/resistance-media-side-with-trump-to-promote-coup-in-venezuela/), mas mesmo assim o pleito foi considerado legítimo por quem de fato estava lá (https://www.commonfrontiers.ca/wp-content/uploads/2019/02/Venezuela-report_8.pdf) (https://fair.org/home/media-delegitimize-venezuelan-elections-amid-complete-unanimity-of-outlook/) e não de fez de papagaio do Departamento de Estado dos EUA. A direita golpista é patética e mimada, aqui no Brasil e lá na Venezuela. São iguaizinhas, submissas aos interesses da metrópole da vez e possuidoras de um ódio velado a pretos e pobres. Parecem aquele garoto dono da bola que, quando perde o jogo, pega a pelota e sai correndo pro colo da mãe. A mãe, no caso, é o Tio Sam. Os interesses do CEO da Shell são claros como as águas das praias caribenhas.

Marco A.

- 2019-02-23 20:11:02

Manchete no DCM de hoje, 23/2 (https://www.diariodocentrodomundo.com.br/): Maduro dá recado para o Brasil: “Querem trazer leite em pó, arroz e carne? Eu compro, pago agora” Basta deixá-los em PAZ! SEM BLOQUEIOS!

marco

- 2019-02-23 19:26:42

A Sèrvia, Iemen, Haiti. A lista é longa.

marco

- 2019-02-23 19:23:36

Precisa melhorar suas fontes de informação .

marco

- 2019-02-23 19:21:57

Verdade !

Li de Brusque

- 2019-02-23 18:59:36

Não houve lisura nenhuma. A smartwatch saiu da Venezuela acusando as eleições de 2017 de fraudadas. 2 dos principais opositores estão presos. O índice de abstenção foi acima de 70%. O maduro tem tempo livre na tv contra nenhum tempo dos outros candidatos. Chamar essas eleições de limpas e escárnio.

Izaias Almada

- 2019-02-23 18:54:59

"Os EUA não precisa(m) invadir a Venezuela para ter petróleo do Orinoco, a maior concessionaria desde 2009 é a CHEVRON" Se não precisam por qual razão estão tentando invadir com a desculpa da "ajuda humanitária?" E quem disse que Maduro e seus títeres são ladrões? Pelo visto a nossa Rosa Weber fez escola... E o Steve Bannon também...

Marco A.

- 2019-02-23 18:09:37

Exatamente: a Chevron é uma mera concessionária, sujeita às leis do país. O que ela quer é ser a DONA DAS RESERVAS, sem intermediários. E o governo Maduro, queira-se ou não, é um empecilho a mais essa apropriação. E aqui era ou é diferente?! E nem por isso se desejou a derrubada de um governo legitimamente constituído. Bandidos também os há em Israel. Por que os EUA não derrubam os de lá? Por que não tiram do poder a canalha racista encastelada em Tel Aviv e Jerusalém? São tão bandidos e facínoras quanto os da Venezuela. É lamentável que você diga tais absurdos! Uma lástima! Não combina com os valores humanistas e democráticos que você pretende e se esforça demonstrar ter. A Venezuela é uma nação SOBERANA, capaz de resolver seus problemas tanto quanto os EUA ou qualquer outro o é.

andre araujo

- 2019-02-23 17:56:00

A ultima eleição de Maduro em 2018 teve dois candidatos, ele e um chavista desconhecido, os candidatos da oposição foram PROIBIDOS de se candidatar, nenhum organismo internacional respeitado considerou legitima essa eleição, razão pela qual a União Europeia reconheceu Guaidó como Presidente.

andre araujo

- 2019-02-23 17:38:59

Tem bastante no Equador e muito gás na Bolivia, o Equador ja é um exportador médio de petroleo.

andre araujo

- 2019-02-23 17:38:03

Tem bastante no Equador e muito gás na Bolivia, o Equador ja é um exportador médio de petroleo.

andre araujo

- 2019-02-23 17:35:01

As ultimas eleições presidenciais só tiveram dois candidatos, Maduro e um outro chavista desconhecido, nenhum candidato da oposição foi permitido se candidatar. Nenhum organismo internacionalmente reconhecido acompanhou ou deu como legitima essa eleição, tanto que a União Europeia não reconhece Maduro como Presidente, onde vc viu "aprovação"?

andre araujo

- 2019-02-23 17:29:31

Meu caro,tenho mais de 1.200 comentarios no blog numa linha progressista mas não irrealista ou burra e cega. Um governo como o de Maduro é PESSIMO para a esquerda mundial, eles NÃO são progressistas, são uma milicia de trombadinhas, mas será que isso não está claro? Eles se apresentam como socialistas, ficaram bilionarios, vivem como nababos, Maduro não para de engordar, há tres meses na Turquia ficou horas comendo no restaurante mais caro de Istambil e um dos mais caros do mundo se empaturrando de comida, como as pessoas podem ser tão enganadas?

Dedé

- 2019-02-23 17:29:20

Ah, tá, os EUA não estão tentando derrubar o governo da Venezuela desde que Chávez chegou ao Poder e não estão promovendo uma ILEGAL guerra econômica contra a Venezuela, até bloquearam ativos venezuelanos, mais uma vez de forma completamente ilegal. Só não invadiram a Venezuela militarmente (porque atos de guerra eles praticam diariamente)ainda porque falta um pretexto, porque estavam ocupados demais invadindo outros países, e, talvez, porque se deram conta da força militar russa.

andre araujo

- 2019-02-23 17:20:13

A derrocada se deu porque se DILAPIDOU os recursos da exportação de petroleona , de 1998 a 2918 entraram na Venezuela US$ 2,179 trilhões de dolares, parte foi roubado, parte gasto em estatizações inuteis, que tal estatizar uma rede de lojas para jardinagem, a Agro Isleña, de amigos meus,estatizou, quintuplicou o numero de empregado e não pagou nada aos ex-donos, foram estatizadas 2.170 firmas, até padarias e mercadinhos, fabricas de sabonetes, de papel higienico, de fraldas, de camisinhas, com o mesmo roteiro, multiplica por 5 o numero de empregados, a maioria absolutamente incompetente mas apoiadores do sistema chavista, pinguços dos botecos de Carecas, cidade campeã mundial de botecos e depois de um ano as firmas não produzem mais nada e viram uma ruina. Não tem nada de fator exogeno.

andre araujo

- 2019-02-23 17:09:22

Caia na real. Seos EUA quisessem invadir a Venezuela já teriam feito há dez anos, não fizeram porque os EUA foram até 2018 o MAIOR parceiro comercial da Venezuela e a CHEVRON VENEZUELA é concessionaria das reservas gigantescas do Orinoco. Mas agora o pais está tão ruim que não dá nem para extrair petroleo, nada mais funciona e os empregados da Chevron não encontram comida para comprar, a Venezuela entrou em colapso.

Aquino

- 2019-02-23 17:08:54

Veja TB no YouTube o documentário Confissões de um Assassino Econômico

andre araujo

- 2019-02-23 16:37:21

Muitos comentaristas partem do principio de que há um governo normal na Venezuela. Até Chavez isso era possivel defender. Chavez era um lider legitimo e legitimado, conhecio-o pessoalmente em duas ocasiões, na esatatização de uma empresa para a qual eu trabalhava e ele foi correto e pagou o preço justo e na apresentação da ideia de uma refinaria no Brasil na qual a PDVSA seria acionista, hoje é a Refinaria Abreu e Lima no Recife, nome de um pernambucano que lutou ao lado de Simon Bolivaar na independencia da Venezuela, a ideia da refinaria foi minha e ele a comprou, já contei aqui essa passagem varias vezes, quem marcou a agenda foi o Jorge Serpa. Maduro hoje é apenas lider aparente de uma milicia de ladrões e traficantes, cujo lider real é Diosdado Cabello, usam a bandeira do socialismo como capa e disfarce. Os EUA não precisa invadir a Venezuela para ter petroleo do Orinoco, a maior concessionaria desde 2009 é a CHEVRON

andre araujo

- 2019-02-23 16:19:16

A concessionaria principal das reservas do Orinoco, concessão dada por Chavez, é a CHEVRON. Portanto os EUA não precisam invadir a Venezuela para explorar seu petroleo. .http://careers.chevron.com /find-a-job/venezuela

Arlei Benedito Macedo

- 2019-02-23 16:12:08

Todo mundo gosta de descer o malho em Maduro. Gostaria de ver esses valentes enfrentarem anos de bloqueio comercial e bancário, sem poder vender seu produto nem acessar o produto das vendas anteriores. Teriam um grande sucesso econômico? Além disso, a oposição tem sido alimentada e estimulada pelos inimigos da Venezuela há anos. Vejam o filme South of the Border, que mostra até algumas ações do tipo em que o democrata Guaidós é mestre, fazer violências para atribuir ao governo.

João Bosco Coelho Costa

- 2019-02-23 15:39:59

O analista ficou devendo um aprofundamento acerca das razões objetivas que levaram ao colapso econômico e social da Venezuela. Por mais inapto que seja um regime(ou um governante), é impossível, salvo em caso de guerra ou grandes catástrofes, uma derrocada em tão pouco espaço de tempo. É de se esperar que fatores exógenos também dado seu quinhão de ajuda. Faltou também explicar porque só para a Venezuela não é aplicável um dos estatutos mais avançados no plano do Direito Internacional que é o Princípio da Autonomia dos Povos. Onde estão a OEA e a ONU nesse contencioso? Quem, qual instância, outorgou aos EUA ou mais quem for, mandato para intervir nos assuntos internos dessa nação soberana? Inclusive, já colocando a ação militar como alternativa? Problemas complexos demandam soluções também complexas. Caso se concretize essa suposta intervenção, nenhum país do continente estará infenso de receber tal tratamento.

Dona Odete

- 2019-02-23 15:36:18

Líbia, Iraque e Síria, exemplo de "vítimas" da ajuda humanitária dos Estados Unidos!

Daytona

- 2019-02-23 15:33:35

Importante constatar que as eleições que deram vitória a Maduro foram feitas com o acompanhamento de inúmeras representações internacionais, sendo que todas atestaram a lisura do pleito. Curiosa a atuação dos EUA em impedir que representantes da ONU acompanhassem as eleições. Se estavam tão preocupados assim, por que não encorajar o acompanhamento do pleito por representantes da ONU? Simples, pelo mesmo motivo que os EUA agiram para desacreditar o trabalho da Agência de Controle da Armas Químicas da ONU quando pretendiam invadir o Iraque sob o pretexto de Saddam estar desenvolvendo armas de destruição em massa. Já, no artigo de André Araújo(admirador da ditadura brasileira, sempre bom lembrar), é a Democracia que precisa ser mais "inteligente" e fazer com que o povo vote apenas em candidatos apoiados pelos EUA, setor financeiro internacional, em suma, representantes que costumam promover políticas que causam o empobrecimento e piora na qualidade de vida dessas populações, como o governo brasileiro atual, "eleito" graças a prisão de Lula. O que Araújo defende é a "Democracia tutelada", tese aventada pela ditadura brasileira, que ele tanto admira. Aliás, vale lembrar também da defesa que Araújo já fez em outros comentários do "eleitor superior de São Paulo", o qual, ao contrário dos nordestinos, é composto de um povo educado, leitor de Folha de SP e Estadão. Acho que não precisa dizer mais nada, não é mesmo?

Dedé

- 2019-02-23 15:25:57

Chama o Zé Eduardo! Na opinião do André Araújo, o governo venezuelano deveria contratar a assistência do Zé Eduardo Cardoso, ex-ministro da Dilma. Assim, enquanto os tanques americanos invadem a Venezuela, o seu Zé fica fazendo discursinhos sobre "valores republicanos".

Naldo

- 2019-02-23 15:03:01

A única diferença entre o Brasil e a Venezuela é que lá os estadunidenses tiverem que mostrar a cara, diferente daqui que bastou mandar uns zeruela desconhecidos e comprados pra agitar a massa com algumas manifestações, o congresso podre terminou o trabalho..... Os estadunidenses adoram um governo tosco, sao amicissimos do nosso presidente e seus filtro, que são mil vezes mais toscos que o maduro nos seus piores dias, gente toscs é manipulável..... Quanto aos bolivianos e outros povos, podem ficar sossegados, os estadunidenses estão correnfo de encrenca, so querem saber do black oil.......podem implantar ditaduras e o povo morrer de inanição, como acredito que já ocorra com uma parte de um povo que abandona seu país, pra trabalhar como escravos em oficinas de costura de fundo de quintal por aqui........os estadunidenses darão de ombros......

Octavio Pires'

- 2019-02-23 14:55:09

Só falta o articulista dizer para os USA bombardearem a Venezuela por 78 horas ininterruptas, como fizeram no Kosovo, e depois fuzilar todos os que lá se identificam com a tal esquerda, tudo com apoio dos bondosos americanos. Só falta dizer que Johnny Guaydó está certo e que de fato é o presidente eleito dos Venezuelanos. Também só falta dizer que os States querem somente implantar uma amorosa democracia na Venezuela. A uma, se a Venezuela fosse a maior plantadora de bananas no mundo, alguém estaria interessado no regime que a governa? Não vivemos no Brasil, nem de perto algo parecido com uma democracia de fato e, no entanto, não vejo críticas contra isso, muito ao contrário vi somente a realização de um golpe apoiado por grande massa acéfala, para tirar uma presidente eleita- e honesta-, e que afinal não governava pior que os golpistas, que estão dizimando o país. A duas, recebi hoje um panfleto de uma organização que cuida de crianças com câncer. Eles dizem que se não houver ajuda (humanitária?) urgente, terão que fechar por falta de medicamentos. Alguém diz que vai enviar ajuda humanitária a eles? A saber nossa ajuda humanitária precisa ser realizada em nossos esquinas, e não mais tão longe e muito menos provocar e tentar se imiscuir em países vizinhos seja com que propósito for. Por fim, não só a Venezuela e dona das maiores jazidas ou poços de petróleo do mundo, mas também a Guiana Inglesa( tem outro nome agora) e como reservas de óleo muito melhores e mais fáceis de extrair que o venezuelano. Pior, é que está sendo explorado pela China e mais uma empresa americana (sempre eles). E quanto a Maduro,tem tido um bom comportamento até o momento. Tem sido cauteloso e prudente e não responde apressadamente às centenas de infames provocação que são feitas ao país dele. Imaturo, imprudente, leviano, energúmeno, tem sido o nosso querido (do articulista) presidente Por fim, lembro que a Venezuela realizou eleições para governador ou seja lá que nome tenha, somente quando Chaves passou a administrar aquele país. É bom lembrar também, que Chaves era constantemente atacado por articulistas, que o chamavam de "bufão"!!!!

[email protected]!r [email protected]+3$

- 2019-02-23 14:46:01

O que enfraquece e sempre enfraqueceu o PT foi capitular com a direita e achar que ia mudar o país sem mudar as estruturas. Ou Requião mente ou o Zé Dirceu disse que ia usar a Globo pra governar. Deu no que deu. Se a direita apoia Maduro, pra quê serve a esquerda? As pessoas e partidos precisam parar de se iludir achando que um dia serão aceitos de braços abertos após a terra arrasada pela direita. Basta conversar com qualquer cidadão de classe média do ABC e vai entender como funciona o ódio ao PT. Antes ele funcionava só no ABC e agora é no país todo. Esse ódio jamais vai ser refreado por mais que o PT se ajoelhe perante o que a opinião publicada acredita que seja o certo.

EDUARDO DEBACO

- 2019-02-23 14:31:30

Posso até concordar com parte de sua análise. Da mesma forma, se peneirar bem, nem tudo que sai da boca do Paulo Guedes é lixo. Toda boa mentira é construída com base em uma boa dose de verdades. O meu problema com o senhor Araújo é que, a exemplo do Ciro, do Miguel do Rosário e dos minions, sempre atribuem as mazelas da humanidade ao Lula e ao PT. Tudo bem que temos nossos erros, mas nunca vejo esses senhores enumerarem nossos acertos e, quando o fazem, atribuem os acertos a Providência Divina.

Marco A.

- 2019-02-23 14:13:25

Alto lá, André! Que alarmismo é esse?! A maioria dos partidos de esquerda não apoia Maduro. Apoia, sim, o direito de a Venezuela resolver SOBERANAMENTE seus assuntos internos. Lamento ter que dizer isso: Não seja ingênuo.! Ou você acha que estamos isentos de uma intervenção covarde e canalha como esta que se faz contra o povo venezuelano?! Não há escolha, meu chapa. Ou se é CONTRA a intervenção, com ou sem Maduro, ou se é a FAVOR dela. Não há outra alternativa. Esta é a que se põe por ora. Este é o dilema. Não há outro, feliz ou infelizmente. O resto é idealismo.

Under_Siege

- 2019-02-23 14:06:22

falar mal do governo venezuelano de Maduro é facil. Dificil é achar, entre tantas linhas, uma ÚNICA tratando do fato mais importante das dificulldades venezolanas: O EMBARGO DOS EEUU e ASSECLAS!!! Tás de brincadeira, querido e outrora admirado A.Araujo...

Wellerson Souza

- 2019-02-23 13:01:34

Realmente, uma análise que só seria vista com seriedade se fosse veiculada em O Globo ou Estadão. O articulista parece desconhecer uma boa parte da história recente da Venezuela, ao ponto de afirmar que os EUA mantiveram com aquele país relações “mais ou menos normais… só engrossaram nos últimos meses pelo estado calamitoso do país”. Ora, então não houve um golpe de estado contra Chavez em 2002, cujo governo golpista foi imediatamente reconhecido pelos EUA algumas horas depois daquela tentativa frustrada? E a crise econômica venezuelana é fruto apenas dos erros do chavismo, nada tendo a ver com os seguidos boicotes e sanções dos EUA? Adere o articulista, ao discurso golpista que atenta contra a soberania do povo venezuelano, legitimando o Grupo de Lima -e não a OEA-, como espaço de relação dos demais países americanos com a Venezuela. Vai além e sugere uma stalinista solução, que seria a esquerda jogar a experiência de autodeterminação venezuelana aos leões ou na lata do lixo, sabe-se lá em nome de que tipo de pragmatismo. O GGN costuma publicar artigos quase sempre muito equilibrados, mas publicações como essa ficariam melhor em O Globo ou em O Antagonista.

Sergio Navas

- 2019-02-23 12:21:43

André, quanto petróleo tem no Equador e na Bolívia?

AMORAIZA

- 2019-02-23 11:52:16

André, inegavelmente imperialista. Os países periféricos, se quiserem ser felizes, deverão ter o comportamento da esposa dondoca? Come, bebe, veste e dorme onde, quando, como e se o império permite. Serve o império quando e como ele quer. Tudo o que ela tem é dele. Esse negócio de independência, patriotismo, autodeterminação é idealismo e estupidez? Acho que minha inteligência não alcança esse nível de compreensão e nem de subserviência. Sofro de falta de elitismo.

Daytona

- 2019-02-23 11:46:57

Muito ruim o artigo de André Araújo, quer dizer que, qualquer governo, ainda mais na América Latina, que não seja de agrado dos EUA, não é viável. Com essa visão, qualquer governo de esquerda ou que se guie pelo interesse nacional seria inviável. O exemplo estratégico de Stalin ilustra bem isso, pela lógica, toda a América ao sul do rio Grande deve ser composta por governos fantoches de Washington, ou seriam inviáveis. Análise precária e incorreta, ainda mais quando até a Rússia já começa a contestar a hegemonia americana na América do Sul. Em relação à Venezuela, grande parte de sua crise se deve à intervenção dos EUA em assuntos internos - que, desde a ascensão de Chávez, adota a estratégia de mudança de regime na Venezuela - e da guerra econômica promovida contra o governo Maduro. É parecido com o ocorrido no Brasil, onde o governo Dilma, por não ser lacaio dos interesses norte-americanos, também foi considerado "inviável", assim como a candidatura de Lula, político hábil e carismático, impedido de ser eleito presidente por sua prisão política, seguindo a estratégia adotada pelos EUA para a América Latina de obter mudança de regime via golpes legislativos e judiciários contra políticos de esquerda, como Kichner, Rafael Correa, etc. John Bolton já ameaçou prender Maduro em Guantánamo, ou seja, nenhum político - carismático ou não - seria aceito pelos EUA. Nenhum governo que vise o desenvolvimento da América Latina será aceito por Washington, assim, qualquer estratégia de desenvolvimento nacional sofrerá a ferrenha oposição dos EUA, o que caracteriza a condição neo-colonial da América Latina. Cuba resistiu décadas de embargos e campanhas de desestabilização por parte dos EUA, assim, os países latino-americanos só possuem duas opções: resistir, e buscar seu desenvolvimento enfrentando a oposição dos EUA ou se submeter sem resistência, agindo apenas segundo os interesses dos EUA e se conformando em ser eternamente uma colônia subdesenvolvida.

Cambará

- 2019-02-23 11:37:24

Concordo, está faltando racionalizar um pouco. Isso não significa que se esteja apoiando a derrubada forçada do atual mandatário. O caminho do meio hoje está enfraquecido. Pensar um pouco como o Getulinho talvez.

Aquino

- 2019-02-23 11:35:35

Qto preconceito!!!!..e como fica a questão da soberania????? Já viu no YouTube o documentário Confissões de um Assassino Econômico?????? Pobres venezuelanos....e brasileiros....

Orlando Fogaça Filho

- 2019-02-23 11:33:32

O André Araújo mostra bem sua ‘intelectualidade’ pró sistema capitalista de exploração contínua. Disfarçou, por algum tempo, fingindo-se nacionalista, defensor dos interesses brasileiros, apesar de ser diretor da Shell do Brasil. “A ligação com os EUA é muito forte historicamente.”: quer dizer, a dominação econômica, cultural de um país por outro é explicada como um caso de amor… O fato da crise venezuelana ser fruto das imposições imperialistas e do bloqueio norte-americano não têm a menor importância. Eles estão na miséria e precisam da ajuda “humanitária” do império, mas, apenas, se essa ajuda for dirigida ao golpista que se diz presidente e que foi indicado pelos EUA. “A situação do Brasil com a Venezuela é especial. É preciso cabeça fria. O Brasil se comprometeu demais com o madurismo e com isso perdeu espaço de negociação. Felizmente o núcleo militar do atual governo tem cabeça fria para lidar com essa situação explosiva. Não resta ao Brasil outra estratégia que não seja a de operar dentro dos mecanismos do Grupo de Lima como forma de limitação de perdas no continente.” : apoio aberto aos golpistas fardados e submissos aos EUA. Postura de um sujeitinho bem pequenininho. Defende a tomada do poder na Venezuela, derrubar o presidente eleito (aliás, esse golpe foi dado no Brasil) para que os interesses norte americanos, e da SHELL off course, sejam preservados. Cara, o cinismo, a falta de caráter, é prerrogativa da direita.

VALDIR CARRASCO

- 2019-02-23 11:20:34

Confesso minha ignorância quanto às verdades no caso venezuelano. Mas tenho sérias dúvidas quanto aos motivos que inspiram EUA e países sul americanos a quererem impor o fim do governo Maduro. Afinal, se a Venezuela não tivesse tamanha reserva petrolífera, estariam interessados em depor um ditador, já que outros ditadores pelo mundo afora são até venerados pelos EUA e pelo países sul americanos cuja marca maior costuma ser a hipocrisia? E se a ideologia de extrema direita não estivesse conquistando espaços mundo afora, estariam tão interessados em derrubar um governo esquerdista? Ou seja, parece que o viés petrolífero/direitista é que está por traz disso tudo. Daí, se esta é uma das verdades,só nos restaria mesmo apoiar Maduro, com detalhe importante, aliás, de que precisamos considerar todo o boicote interno e externo que fazem contra a economia venezuelana, isto sim impedindo que Maduro consiga melhorar as condições gerais para seu povo. Aliás, acho que cabe ao PT uma resposta, já que foi citado pelo articulista que, no mínimo, me deixa com dúvidas sobre sua postura ideológica.

Jef

- 2019-02-23 11:11:46

https://jornalggn.com.br/opiniao/venezuela-hoje-cuba-ontem-e-o-comportamento-das-esquerdas-no-brasil-por-roberto-bitencourt-da-silva/

Jorge L F Couto

- 2019-02-23 10:58:42

Parece que para o sr. André Araujo, nos casos de estupro, a culpa é da vítima.

Lindolfo

- 2019-02-23 10:16:39

Quem fortalece a direita é a dubiedade de quem acende vela para Deus e o Diabo na terra do Sol. Esse comentarista que Nassif elevou a categoria de articulista escreve cada viagem ao lado escuro da lua... putzgrila. "Inclassificável". Por isso que gente que nem Olavo de Carvalho se fortalece... kkkkkkkkkkkkkk

Sérgiio Rodrigues

- 2019-02-23 10:06:19

De um verdadeiro agente da CIA!...putzzzz...

joel lima

- 2019-02-23 09:42:45

O trágico da idade de Gleisi a posse de Maduro é que ela deu seu apoio explícito a um regime que, pelos fatores que temos hoje, pode ser o futuro do Brasil. Afinal, o que Chaves fez foi colocar gente do exército nos pontos estratégicos da economia venezuelana. Ou seja, quem tem poder real são os militares. E seja quem for que presidir o país, certamente os militares não vão pegar suas coisas e voltar à caserna. E essa política é a mesma que Bolsonaro vem fazendo. E vai ser intressante ver o momento em que haverá o embate PG e Militares na venda ou não da petróbras - que o chicago old defende pra ontem e os militares não. E essa presença de militares do governo do boçal é o que dá o mínimo de estabilidade quando se compara com a parte civil, que deveria estar, na melhor das hipóteses, como sugeriu o Marcelo Freixo, na praça da alegria. Se Mourão não estivesse a frente desse impasse, eu diria que o Brasil já estaria hoje em guerra contra a Venezuela. Diria mais = Mourão comparado a outros líderes latinoamericanos nesse momento - principalmente o atual presidente da Colômbia - é a voz mais sensata pra evitar que risquem o fósforo no paiol.

Fábio maia

- 2019-02-23 09:40:11

Mais um limpinho tagarelando besteira!!!

Josa

- 2019-02-23 09:23:15

Realmente ,da espaço a declaração como a sua

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador