Mais do que ninguém, eles vivem da corrupção, por Gilberto Maringoni

Se todos vivessem num mundo em que existisse justiça, democracia e bem-estar, com renda dividida e comida na mesa, Moro, Dallagnol e os caçadores de recompensas dos data vênia seriam zés-ruelas.

Mais do que ninguém, eles vivem da corrupção

por Gilberto Maringoni

Mais do que ninguém, Moro, Dallagnol e os jagunços togados de Curitiba vivem da corrupção. Precisam dela como o ar que respiram, como a água que lhes mata a sede e como o prato de comida que acaba com suas fomes. É a corrupção grossa e farta que lhes dá sentido à vida.

Sem corrupção, grossa, farta e porca, Moro, Dallagnol e seus pistoleiros dos tribunais seriam nada, ninguém, zero. Seriam farrapos humanos tristes, perdidos e infelizes.

Todos os dias, Moro, Dallagnol e os milicianos judiciais despertam, levantam e se ajoelham ao pé da cama, agradecendo ao Papai do Céu a graça alcançada por viverem em meio à corrupção grossa, farta e nauseabunda.

Se todos vivessem num mundo em que existisse justiça, democracia e bem-estar, com renda dividida e comida na mesa, Moro, Dallagnol e os caçadores de recompensas dos data vênia seriam zés-ruelas. Passariam despercebidos como fiapos de gente medíocre, sem metafísica e sem ideias.

Moro, Dallagnol e os abutres de terninhos e pretinhos básicos provincianos tentaram transformar pessoas, reputações, empregos, projetos e sonhos em carniça bichada a pavimentar a boa fama de suas carreiras, negócios e esticadas a Cancún, Las Vegas e Miami, sonho dourado de todo moralista de arrabalde.

Moro, Dallagnol e a quadrilha das primeiras, segundas e terceiras instâncias acordam, almoçam, jantam e dormem corrupção. Estão tão entranhados, que secretamente torcem para que ela aumente. Sempre.

Salve Moro, Dallagnol e a equipe de capitães do mato que brandem todos os códigos legais como pastores picaretas chacoalham a Bíblia para conspurcá-la. Eles viveram momentos de plena felicidade e êxtase ao longo dos últimos anos.

Leia também:  Roberto Leonel: o homem de confiança da Lava Jato dentro da Receita Federal

Salve Moro, Dallagnol e o rebotalho juramentado que os acompanha! Eles agora estão no palco nus, com as partes de fora, sem maquiagem, sem disfarces e sem mais nada, na inteireza de sua repugnância moral.

Que a merda em que afundam não lhes seja leve.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

15 comentários

  1. Se os criminosos do PCC pudessem se autoconceder auxílio-moradia de R$ 5 mil por mês, como fizeram Moros, Dallagnóis, Fux e outros milicianos, certamente a imensa maioria dos integrantes do Primeiro Comando da Capital abandonaria a vida de “foras da lei”. Se, além dos “auxílios” e “atrasados” que juízes e promotores milicianos se autoconcedem para duplicar seus salários superlativos, os integrantes do PCC pudessem usar dinheiro público para remunerar regiamente suas palestras-chantagem a empresários sonegadores e compradores de influência, com absoluta certeza TODO o PCC deixaria de existir como organização criminosa e se constituiria em um novo “poder” da República. Melhor do que traficar drogas, melhor do que cobrar as taxas de juros mais altas do planeta, melhor do que explorar o povo humilde com quinquilharias compradas na China por centavos e vendidas no Brasil a milhares de reais, como faz o véio b. da Havan, é viver da corrupção legalizada e protegida pelo corporativismo da classe e de conselhos criados para fiscalizar as categorias! Acorda, PCC!

    9
    1
  2. Nossa! Nem sei se este comentário vai ser Publicado, mas vamos lá. Dá pra ver que muita gente, especialmente o autor do artigo acima, guardam muita mágoa da Lava Jato. Não sei de onde vêm a fantasia de que o Brasil estava indo de vento em polpa no governo anterior, acho que quem pensa isso, não conhece realmente a realidade do Brasil. De fato, é muito fácil ficar ressentido com o Ministro Moro e os Procuradores que fizeram uma verdadeira limpeza no país. Afinal, quando não se é afetado diretamente pela falta de recursos, recursos roubados dos cofres públicos, é difícil ver a realidade. Mas aqueles que dependem dos hospitais públicos, das escolas públicas e de outros serviços sabem o que estou falando. O brasil está longe de ser o país ideal, mas por causa da lava jato se tornou um pouco melhor, então que os críticos dela, abram mais os olhos e vejam o que realmente acontece. Terão uma visão melhor se andarem mais a pé pelas ruas nos bairros mais pobres das cidades, em vez de apenas ficarem olhando da janela de um prédio.

    14
    • 1) o GGN é democrático, publicou se ponto de vista, diferentrmente dos sites que defendem a política atual;
      2) vá ao dicionário e veja a diferença de POLPA e POPA;
      3) para os pobres que dependem dos remédios para pressão alta, distribuídos pelo SUS, eles ficarão sem os mesmos. Procure se informar;
      4) vivo numa cidade do interior, com pouco mais de 500 mil habitantes. De 3 anos para cá, começaram a aparecer crianças malabaristas no sinal de trânsito e mulheres com seus filhos na porta dos supermercados pedindo ajuda para seus filhos que estão com fome.
      Preste atenção na vida, Sr. Josiel.

    • Josiel: o que vc quis dizer com “Terão uma visão melhor se andarem mais a pé pelas ruas nos bairros mais pobres das cidades”?
      Pq eu, onde moro(uma das melhores capitais para se viver do país), só vi: aumento da pobreza, de mendingos e pedintes em geral (mães, crianças, idosos, pne, etc), mais pessoas bêbadas e sobre efeito de drogas (para aguentarem a existência), mais animais abandonados na rua, mais tristeza e desesperança.
      Quando em bairros de classe média, pessoas com vergonha do país e adolescentes achando, denovo, que a solução é ir pra fora… pois a violência, a falta de emprego decente e a falta de perspectiva no geral que se encontram já está alta e a que se avizinha tende a piorar…
      O que você tem visto?
      Um abraço

    • Curiosamente, enquanto professor, eu, às vezes, alertava os alunos de que um político da estirpe de um José Serra, Aécio, Renan, Juca’ , FHC causava mais mal ao povo e ao país do que quase todos os traficantes juntos. É há uma grande diferença entre essas duas espécies: para o traficante atrapalhar sua vida, você precisa aproximar-se dele e do produto que ele vende, enquanto que o político corrupto, como os citados acima, entra na sua vida, quer vc queira ou não, eleito e reeleito pela ignorância popular.

    • Gostei do comentário.
      Gostaria de andar pelo seu Brasil de vento em polpa e ver essas maravilhas.
      Deve ser polpa de fruta, suponho.
      Deixe o endereço, talvez até a gente se mude pra lá.
      Sobre as “morovilhas” que se têm operado no país pela ação da lava-jato, não se negue jamais a verdade de sua percepção. Afinal, ela vem sendo fortalecida todos os dias pela ação pirotécnica da mídia tradicional.
      Se o brasil que não tem mais ensino, nem direitos trabalhistas, nem seguridade social, nem grandes empresas, nem indústrias de base, nem pesquisa científica nem autonomia em petróleo, entre outras novidades, é uma maravilha;
      Se o moro e o dallagnol apesar das evidências trazidas pelo Intercept e percebidas há muito tempo pelas pessoas mais conscientes, são os paladinos da justiça e da moralidade ;
      Se neste brasil maravilhoso de legisladores cheios de virtudes se vive bem graças à lava-jato e você, como milhões de pessoas acham legal, é porque vocês foram favorecidos, mas só vocês.
      Parabéns embevecidos, Josiel!

  3. OK, O GGN e extremamente democrático mais e duro ler tanta imbecilidade como estas escritas pelo leitor Josiel, fico aqui pensando onde estas pessoas vivem e o que elas assistem. Dizer que estamos melhores agora após a Lava jato e ser morador de um outro planeta ou ser um tremendo idiota.

    • Minha aposta é no “tremendo idiota”. E, com certeza, esse Josiel é mais um encostado nos cofres públicos.

  4. Josiel e os demais que apoiam esses criminosos de toga fingem não ver a realidade.
    É verdadeiro tudo o que o articulista descreveu nesse excelente texto sobre a atuação da lavajato.
    O marreco de Maringá e sua gangue não pouparam esforços para enganar o país, em nome de um falso combate a corrupção, para tirar proveiro próprio. Comparo essa quadrilha formada por Moro, Dallagnol e seus asseclas a um falso moralista qualquer que diz combater o tráfico mas vende drogas para enriquecer.

  5. Não sou partidário ideológico nem de um lado, nem de outro, aliás, acho que a disputa ideológica e irracional é o que nos impede de sermos um país realmente democrático, pois para isso é preciso que haja a supremacia do diálogo frente às convicções fanáticas dos dois espectros ideológicos que tomaram conta do país. Analisando o texto acima, verifica-se que, ao contrário do que afirmam os seus seguidores, de democrático não tem nada, é um discurso altamente tendencioso e afinado ideologicamente com quem sofreu as consequências da lava-jato. Faz uma crítica contundente às atuações dos agentes envolvidos, mas com base em quê? Pura e tão somente no ranso ideológico, na discordância das investigações e, pasmem, no conteúdo de gravações cujo a autoria é atribuída aos agentes da lava-jato, pouco importa se a veracidade e credibilidade desse material foram ou não apuradas ou ainda como foram adquiridas, pois os “defensores do devido processo legal” ignoram que neste não são admitidas provas ilícitas. E antes que alguns incautos e apaixonados pela grande “liberdade jornalística” afirmem, a “verificação” feita pelo “The intercept” e pela Folha de São Paulo não têm respaldo legal, ou seja, é inválido juridicamente e, portanto, o que se escreve contra este ou aquele agente pode perfeitamente ser alvo de questionamentos judiciais ou investigativos, já que, como gostam de afirmar os “grandes jornalistas e reporteres que se comportam como os verdadeiros arautos do Estado Democrático de Direito”, ninguém está acima da lei. É muito fácil, por trás de um veículo de comunicação, tendo como base um material adquirido não se sabe como, nem de onde e sem a devida credibilidade apurada por um órgão oficial e se protegendo sob o manto constitucional da tal “liberdade de imprensa” desvirtuar, deslegitimar, desqualificar e destruir a reputação de toda uma estrutura cujo objetivo é proteger o Estado e a sociedade, note-se, não me refiro à lava-jato, mas ao Poder Judiciário e ao MP. Todas essas “revelações” precisam passar pelo crivo da justiça, tem que ser anexadas aos autos processuais, mas não serão simplesmente porque o intercept disse que não vai entregar o material à justiça porque, com certeza, foi adquirido de forma ilícita, pois se fosse diferente por que não entregar, não é mesmo? Desta forma, poderia colaborar com a justiça e até contribuir para corrigir os excessos dos procuradores e, quem sabe, até libertar alguns condenados injustamente, mas ao que tudo indica, não é esta a preocupação dos ilustres articulistas. Portanto, caros amigos, enquanto esse material não for devidamente analisado e periciado pela justiça, tudo o que vir a público não passa de reportagem e ninguém sai ou vai para a cadeia com base em matéria jornalística, é preciso muito mais, inclusive acesso à fonte da informação e diferentemente do que afirmam os jornalistas, a sua “liberdade de exercício da profissão e proteção de suas respectivas fontes” não são, de forma alguma, direitos invioláveis”, aliás, em um Estado Democrático de Direito, a premissa fundamental é a de que não há direito absoluto.

  6. Ao comentário do José Marques
    que talvez não conheça a fundo ou de processo e procedimento, ou especificamente dos processos da lava-jato que, diferentemente do que ele defende, VALE-SE de vazamentos ilegais, fontes falsas e cria narrativas incriminatórias QUANDO NÃO HÁ CONDUTA CRIMINOSA DOS ACUSADOS, tenho a dizer que a análise superficial que ele faz sobre as descobertas trazidas a público, demonstram que ele, talvez por ingenuidade, preocupa-se mais com a defesa de sua crença na lisura da lava-jato do que com A VERDADE DO CONTEÚDO DAS DENÚNCIAS TRAZIDAS PELO INTERCEPT, que no caso, É INEGÁVEL.
    O modo como nos chega a informação, neste caso, ainda que fosse discutível, não tem o condão de desmentir a VERDADE DA INFORMAÇÃO.
    Lembremos, outrossim, ao comentarista, que o vazamento pode ser oriundo das próprias entranhas da lava-jato.

  7. Nassif: nos ajude, os sans-culotte tipiniquim —

    ORAÇÃO DE CIRCUNSTÂNCIA

    “A mão está suja. Não adianta lavá-la. O sabão é ruim. A água tá podre. Temos que cortá-la” — Drummond

    Senhor, dono das coisas desse Universo sem fim,
    O barro que deixastes por aqui
    Tem qualidade duvidosa e
    O Homem que moldastes
    Para cuidar do Jardim corrompeu-se
    De forma tal que nem dez Dilúvios
    Lavaria tanta lama impura
    Que agora existe em Pindorama.

    Manda, pois, teu Anjo Gabriel,
    Com sua justa Espada de Fogo
    Para conter esses filhos do Mal…
    Rápido, Pai Celeste,
    Antes que as Milícias do Tanque,
    Com dindim proveniente dos Laranjais,
    Se instalem na casa dos teus filhos.

    Socorra-nos, rapidinho, Pai Celeste,
    Pois este Messias que mandates,
    Pelas mãos dos avivados do Bras,
    Dos VerdeSauvas
    E daquela corja costumeira de empresários,
    Parece tão corrupto quanto aqueles
    Que diz combater.

    Rogai por nos, pecadores. Amém!

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome