Otimismo sobre ações de Bolsonaro expõe conduta ‘esquizofrênica’ do brasileiro, por Tiago Barbosa

Otimismo sobre ações de Bolsonaro expõe conduta ‘esquizofrênica’ do brasileiro

por Tiago Barbosa

Pesquisa da CNI/Ibope identificou 64% dos brasileiros otimistas com o futuro governo Jair Bolsonaro e apoio de 75% às ações durante a transição.

Os entrevistados apontaram como principais problemas do país a saúde (46%) e o desemprego (45%).

Pois bem.

O futuro ministro da Saúde, Henrique Mandetta, é investigado por fraude em licitação, tráfico de influência e caixa dois.

À ficha corrida se soma o desafio de garantir a atenção básica depois do vácuo sanitário deixado pela saída dos médicos cubanos.
Os brasileiros não parecem tão dispostos a encarar o espírito da medicina em áreas pobres, distantes e indígenas afetadas pelo coice diplomático bolsonarista.

O cargo de ministro do Trabalho não existirá porque Bolsonaro extinguiu a pasta e esquartejou as atribuições entre outros ministérios.

O presidente eleito defendeu os patrões, criticou as leis trabalhistas e elogiou a informalidade – emprego bom é emprego com menos direitos, ele defende.

Integrantes do governo defendem o fim da estabilidade do serviço público.

Tudo caminha para a precariedade total da terceirização: menos direitos, menos impostos pagos, menos recolhimento previdenciário.

E, aí, o desfecho do otimismo: menos dinheiro público na saúde, menos aposentadoria, menos grana para férias, décimo terceiro e quinquilharias de países atrasados.

O lema perfeito para esse Brasil esquizofrênico bem poderia ser “Sorria, você está sendo enganado”.

33 comentários

  1. Desinformação……
    Se
    Desinformação……

    Se alguém assistir a um telejornal vai acreditar que o país está uma maravilha…..

    Isso é fruto do trabalho sujo da mídia quadrilheira e corrupta, sedenta de sangue…..

    Não a toa Mefistófeles foi dar abraços no homem do baú…..aquele que devia estar em cana por sumir com 5 bi…..

    Sabujos se unem.pra f….o povo, e mantê-lo na ignorância……

    Ou querem que acreditemos que trabalhadores apoiam a ideia de informalidade de toda a legislação trabalhista? Com o fim do terço de férias ou o décimo terceiro?

    E esses institutos de pesquisas hein…… ninguém merece……

  2. Junte doses cavalares de PSDB

    Junte doses cavalares de PSDB no ensino, quantidades tóxicas de Globo na mídia e misture tudo no liquidificador do neoliberalismo, pronto, assim se produz uma massa esquizofrênica.

  3. Esquizofrênico?
    Discordo.
    Totalmente desinformado e manipulado.
    Essa pesquisa é completamente desintonizada ao monte de decisões esdrúxulas tomadas pelo coiso, de suas falas sem noção, das trapalhadas protagonizadas pela prole incluindo um verdadeiro caso de polícia do pseudo motorista coletor de dizimo de funcionários contratados cono fonte de grana pra grande família.
    Essa pesquisa segue a linha do absurdo que tomou conta de um país que está sendo motivo de piada.

  4. As motivaçoes são diversas.
    A
    As motivaçoes são diversas.

    A fascistada ainda está festejando a vitoria. Uma parte da trouxinhada esta mais é na torcida para que “dê certo”.

    Outra parte nao vai “dar o braço a torcer” tao cedo.

      • Para ver aqui
          

         

        CNI/Ibope: a lacrosfera ainda não entendeu Bolsonaro

        Por Miguel do Rosário

        13 de dezembro de 2018 : 14p6 | Inscreva-se na TV Cafezinho  10 comentários

         

        Lacrosfera é um neologismo derivado de outra palavra inventada: lacrobolha, que por sua vez mescla “lacre” e “bolha’.

        “Lacre”, ou “lacrar” é o termo usado para uma maneira específica de se portar nas redes sociais, característica sobretudo em setores progressistas. A figura “lacrou”, ou seja, proferiu uma frase, ou pensamento, que enterraria qualquer contestação. É típico do pensamento lacrador frases do tipo: “agora não há o que discutir, né?”

         

        A lacrobolha é o universo fechado, asfixiante e medíocre em que vivem os lacradores. O sujeito passa os dias proferindo platitudes e clichês politicamente corretos, de preferência associados a algum tipo de gracinha, sempre com uma postura triunfante e definitiva. Aos seguidores cabem concordar. O próprio tom com que a frase é dita já deixa claro que o discordante não pertence sequer à raça humana; é um “anti ser humano”, como já disse alguém.

        O mal que a lacrobolha faz ao campo progressista é incomensurável. Ela cria um mundo paralelo, em que tudo vai às mil maravilhas, os nossos representantes nunca são derrotados. Ou então, o que me parece o cúmulo do ridículo, somos derrotados aqui mas vencedores na “história”, seja lá o que isso queira dizer. Nem vou me referir às pesquisas e pesquisadores próprios da lacrobolha.

         

        A crítica, a autocrítica, uma abordagem incômoda, diferente, de um problema político complexo, são inimigos mortais da lacrosfera, que é o universo das lacrobolhas (sim, há várias lacrobolhas dentro da lacrosfera), porque a lacrosfera é ancorada em certezas absolutas.

        A pesquisa CNI/Ibope, divulgada hoje, confirma, no entanto, que a lacrosfera continua falhando miseravelmente em sua avaliação de Jair Bolsonaro.

         

        O presidente eleito iniciará seu mandato com uma avaliação muito boa, com 75% dos entrevistados afirmando que ele está no caminho certo.

        Os percentuais são maiores entre os segmentos que as pesquisas mostravam que formavam o núcleo duro de seu eleitorado: homens, classe média, do sul, sudeste e centro-oeste.

         

        Entre brasileiros com renda familiar de 2 a 5 salários e acima de 5 salários, por exemplo, 79% e 82%, respectivamente, afirmam que ele está “no caminho certo”, e 68% e 72% consideram que seu governo deverá ser bom ou ótimo.

        Mas Bolsonaro também está forte no Nordeste, onde 67% afirmaram que ele está “no caminho certo”. 64% dos dois mil entrevistados pelo Ibope esperam que o novo governo seja ótimo ou bom.

         

        Entre mais pobres, que ganham até 1 salário de renda familiar, entre os quais Bolsonaro perdeu no segundo turno para o candidato do PT, também nota-se um voto de confiança no governo eleito: 70% acham que Bolsonaro está no caminho certo.

        Essa situação é a razão pela qual políticos experientes entendem que é preciso muita inteligência e estratégia para construir uma oposição eficaz a Jair Bolsonaro, uma oposição que consiga sair das “lacrobolhas” e atingir parcelas maiores da população.

        Quando um político de oposição deseja “boa sorte” e “sucesso” ao governo de Jair Bolsonaro não é porque pretende deixar de fazer oposição, ou não necessariamente por causa disso, e sim porque a vitória política e eleitoral de Bolsonaro é um fato.

        Os questionamentos de “fraude eleitoral”, por exemplo, embora tenham alguma repercussão dentro das lacrobolhas, soam como choro de derrotado aos olhos da imensa maioria da população e acaba por enfraquecer a oposição.

        As grandes maiorias não podem se dar ao luxo de desejar o fracasso do governo Bolsonaro, por razões muito práticas. Mesmo que tenham votado e feito campanha para outro candidato, entendem que agora a coordenação das políticas econômicas do país estarão à cargo do presidente eleito, e como precisam de empregos, serviços de saúde e segurança, alimentam esperanças que essas demandas possam ser atendidas.

        Cabe à oposição duas estratégias paralelas: de um lado, montar uma vigilância crítica, atenta, servindo de intermediário e intérprete das ações de governo, cobrando transparência e informação, para que a população possa julgar por si mesma o que está sendo feito e seus resultados; de outro, estimular a auto-organização da sociedade, ajudando-a a criar estruturas e ferramentas de ação e inteligência, de preferência independentes de burocracias sindicais e partidárias, ao mesmo tempo em que cuida de aperfeiçoar e fortalecer as instâncias partidárias e sindicais, como quem prepara um exército para futuras batalhas.

        Os pontos fracos de Bolsonaro vão aparecer. É preciso ter paciência e não cair nas armadilhas udenistas montadas pelo consórcio mídia e justiça.

        Setores progressistas devem tomar cuidado com posturas de linchamento e acusação que, depois, se voltam contra o campo popular, o qual está particularmente desprotegido quando se trata de sua relação com uma máquina judicial quase inteiramente em mãos se setores reacionários e elitistas.

        A pesquisa CNI/Ibope mencionada neste post deixa bem claro que a população irá cobrar duramente do governo a promoção de políticas de geração de emprego, investimentos em saúde pública e combate aos problemas de segurança e corrupção.

        A medida em que seu governo começar a enfrentar os problemas reais, e a população se dar conta de que estes não serão resolvidos com rapidez, é muito provável que a avaliação de Bolsonaro comece a declinar. A oposição, neste momento, precisa estar bem estruturada, prestigiada, respeitada pelas maiorias, inclusive por aquelas que votaram em Bolsonaro, para ser um porta-voz confiável das insatisfações populares.

         

         

         

        Miguel do Rosário

        Miguel do Rosário é jornalista e editor do blog O Cafezinho. Nasceu em 1975, no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha até hoje.

        Apoie O Cafezinho

        Crowdfunding

        Ajude o Cafezinho a continuar forte e independente, faça uma assinatura! Você pode contribuir mensalmente ou fazer uma doação de qualquer valor.

        Veja como nos apoiar »  

        Artigo anterior

        «

        Próximo artigo

        » 

        10 comentários

        Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site O CAFEZINHO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

        Escrever comentário »

        Frederico Shultz

        13 de dezembro de 2018 às 19p0

        75%?!
        Brasileiro é tão bonzinho!…

        Responder

        wladimir

        13 de dezembro de 2018 às 17p5

        Estranho que o articulista não faça, nunca, críticas a esses institutos de pesquisas, particularmente, o da pesquisa, ora divulgada – Ibope -, que, como é de conhecimento público, vem perdendo credibilidade, desde á época que Leonel Brizola era candidato, por suas MANIPULAÇÕES – afinal, se pesquisa tivesse a credibilidade que elas se auto elogiam em possuir(95%), não seriam pagas por poderosos grupos políticos e econômicos; que, muito mais, que a população têm grande interesse nelas, óbvio. Lembremo-nos que as pesquisas das eleições que acabaram de terminar trouxeram erros comprometedores de diferença entre umas e outras, levando a processos junto ao TSE – que claro, óbvio e ululante não vai se meter nessa seara “porque não vem ao caso”, visto que o candidato do consórcio golpista – da qual o tribunal faz parte – tinha que, a qualquer custo, ganhá-las. Fico pasmo em ver que o blogueiro para defender a sua simpatia política, parte pra o ataque àqueles que causam empecilho a esta, usando de adjetivações como “setor progressista”, “lacrobolhas” e “os derrotados”. Tudo isso, pelo fato desse seguimento se colocar como OPOSIÇÃO RADICAL E SISTEMÁTICA ao governo GOLPISTA que se inicia, que é um DIREITO que cabe a qualquer partido ou cidadão que não aceita conciliar e nem conciliábulos com FASCISTAS! Conclamar a oposição de fato e de direito para servir de “(…)intermediário e intérprete das ações de governo, cobrando transparência e informação” é, no mínimo, de uma ENORME INGENUIDADE para não dizer CAPITULAÇÃO aos golpistas! Desde quando, companheiro, o fascismo permite que aspectos democráticos como transparência e informação á sociedade sejam intermediadas pela oposição?! Tá de brincadeirinha, né?! Essa pesquisa, tá claro, é uma marca do que será esse desgoverno: falácias e mentiras, manipulações. Talvez, o blogueiro não tenha atentado para a data da mesma – quem sabe, assustado (ou encantado!) com os 75%(!), que por pouco não chega aos 95%, né?! – que foi realizada logo após o término das eleições. E, foi divulgada, no exato momento, que outra pesquisa, com o mesmo percentual (pasmem!) foi amplamente divulgada nos blogues esquerdistas, e não na mídia tradicional e familiar, dando enorme desaprovação para o ímpio na AMÉRICA LATINA; e, com o seu clã todo envolvido em CORRUPÇÃO! Como relevar, minimizar e fazer oposição BRANDA a isso e enfatizar que temos que dá um voto de confiança a essa MALTA de aloprados, vendilhões e corruptos, amigo blogueiro?! O buraco é mais embaixo!

        Responder

        Pedro Wicks

        13 de dezembro de 2018 às 18p7

        Ai, nossa!

        Lacrou!!!

        Responder

        João Pinto

        13 de dezembro de 2018 às 19p0

        Prezado Wladimir, eu ia apenas elogiar seu comentário, com o qual concordo de cabo a rabo. Mas só de sacanagem: lacrou, companheiro!

        Responder

        Justiceiro

        13 de dezembro de 2018 às 16p3

        E tem, Miguel, muitos lacrobolha idiotas que falam pra muitos idiotas que acreditam no que aqueles falam.

        Logo após a primeiro debate na Band, sem Lula, por estar preso e sem Addad, que ainda era vice, Assisti Leonardo Attuch dizer, na TV-247, que Lula tinha ganho o debate.

        Veja quanta asneira. Lula ganhou m debate onde não compareceu. E teve muita gente aplaudindo a asneira que Attuch falou.
        ***********

        Porém, eu ressalto essa parte do seu artigo. Foi no fígado dos petistas que aqui comentam.

        “Os questionamentos de “fraude eleitoral”, por exemplo, embora tenham alguma repercussão dentro das lacrobolhas, soam como choro de derrotado aos olhos da imensa maioria da população e acaba por enfraquecer a oposição.”

        Cjap,clap.clap.

        Responder

        Alan Cepile

        13 de dezembro de 2018 às 17p9

        Brasil 171, CUT e MST são meros puxadinhos do PT, portanto não tem opinião própria, por isso ninguém mais leva a sério.

        Responder

        Rubens de Oliveira freitas

        13 de dezembro de 2018 às 16h04

        Nao e dificil a explicação desses numeros. A população ve o presidente como um salvador da patria. Acredito que outro no lugar dele teria os mesmo resultados apresentados. Estamos vindo de 14 anos de profundo desastre nesse pais onde a corrupçao imperou. O lider da esquerda esta preso desde 7 de abril. Janeiro ele terá mais condenações. Claro que o outro lado esta de mocinho na historia

        Responder

        Rodrigo

        13 de dezembro de 2018 às 20p2

        Nao sou petista, mas… 14 anos de desastre? Aonde vc esteve nesse período? No Congo? Brasil tava voando na década passada, amigo…

        Responder

        Alan Cepile

        13 de dezembro de 2018 às 15p1

        Miguel, muito interessante e reflexiva sua matéria, que, em parte, vai de encontro aquilo que eu passei a chamar de “futebolização da política”.
        Na primeira eleição da Dilma parecia que o eleitorado tinha começado a compreender as nuances de uma campanha política e o que nela deveria ser analisada.
        A partir da reeleição da Dilma a polarização odienta (usando um termo muito utilizado por Ciro Gomes) de certa forma fez com que o povo passasse a ver a rivalidade política da mesma forma como um torcedor se relaciona com a rivalidade futebolística, ou seja, não há mais raciocínio e análise, só paixão cega.
        O povo precisa ser chamado a voltar a ser mais racional politicamente e notar que, para o torcedor, a rivalidade no futebol é apenas uma grande brincadeira, para o eleitor a rivalidade na política é coisa séria.

        Responder

        Paulo

        13 de dezembro de 2018 às 15h00

        Difícil um esquerdista sair da lacrobolha, pois, nas normas não escritas da esquerda, quem se dissociar da “hegemonia cultural” de Gramsci deixará, automaticamente, de ser esquerdista. Sugiro a leitura de um livro em particular, que pode representar um marco inicial, para os esquerdistas, nesse processo de libertação intelectual: “Tolos, Fraudes e Militantes – Pensadores da Nova Esquerda”, de Roger Scruton, Editora Record. Nele, o autor faz uma crítica devastadora de pensadores como Hobsbawm, Galbraith, Sartre, Foucalt, Adorno, Lukács, Habermas, Althusser, etc, incluindo, é claro, o próprio Antonio Gramsci, dentre outros ícones da intelectualidade de esquerda do século XX. Pressupõe certo conhecimento histórico e político, e gosto pela leitura (são quase 400 páginas). Mas vale a pena. Até para quem quiser criticar o autor.

        Responder

         

        • Seria interessante uma tabela
          Seria interessante uma tabela cruzada com as declaraçoes de votos no primeiro e segundo turno (se é que perguntaram). Eu nao ficaria surpeso se até mesmo uma parte dos que nao votaram em ninguem esteja entre esses 75%.

  5. #

    Pesquisa recente diz que 75% da população acha que “Bolsonaro está no caminho certo”.

    Será que ao menos metade dessa gente sabe que ele pretende acabar com as leis trabalhistas?

    Essa semana ele declarou que o Art. 7º da CF está engessando as mudanças que ele pretende fazer nas leis trabalhistas. O Art. 7º é exatamente o que trata dos direitos do trabalhador: Férias proporcionais, 13º salário proporcional, fundo de garantia, seguro desemprego etc.

    Declarou também que as leis trabalhistas “devem se aproximar da informalidade”.

    Não acredito que a população sabe dessas intenções do Bozo. Ou então estamos num país com mais empregadores do que empregados.

     

  6. #

    Tô cheio de vizinhos que têm os filhos em escola pública, usa o SUS, trabalha sob o regime da CLT, recebe seguro desemprego toda vez que fica desempregado etc.

    Pergunta em quem eles votaram. É… isso mesmo, no Boçalnaro.

    Eu nem vou perguntar nada pra eles, que é pra não me estressar.

    Mas que dá vontade de dizer a eles “bem feito, trouxa”, dá.

     

     

    • Continue a falar para os mesmos que não é bem assim, mas….

      Continue a falar para os mesmos que não é bem assim, mas somente com o tempo que eles mudarão de opinião.

      Importante: de apoio passarão a raiva.

      • O problema é que só criam raiva das moscas
        Temos que demonstrar a essas pessoas que não tiveram nem tem a mesma oportuninade nem o mesmo conhecimento que nós temos, que o problema não são as moscas, mas a bosta.
        Onde e enquanto houver capitalismo, aí estarão as moscas Bolsonarias se alimentando

    • Para o náufrago, qq merda é tábua de salvação
      Quem está se afogando se agarra até a merda. Veste até salva-vida de chumbo.

  7.  
     
    O lema perfeito para esse

     

     

    O lema perfeito para esse Brasil esquizofrênico bem poderia ser “Sorria, você está sendo enrabado”. trouxa!

  8. Não é esquizofrenia não, é

    Não é esquizofrenia não, é BURRICE mesmo.

    A grande maioria do povo não tem a menor idéia do que significam as medidas que este inepto pretende tomar.

    Não conseguem estabelecer um nexo entre a medida tomada e a consequência em suas vidas. Bando de imbecis.

    Daqui a pouco quando as consequências chegarem, dirão que é culpa do PT.

     

  9. A CNI nos seus 80 anos de

    A CNI nos seus 80 anos de historia tem o DNA do Estado Novo no seu pior sentido.  O coração da industria brasileira, São Paulo, só comandou a CNI em dois desses 80 anos (94 e 95, com Mario Amato) e ainda ssim por acidente.. Nos anos cruciais do regime militar e até a Nova Republica foi comandada por nordestinos,mais politicos do que industriais (Thomaz Pompeu, Domicio Velloso e Albano Franco) com ligação umbelical com o poder cuja proximidade procuravam, a entidade mais representava o Governo perante a industria do que o contrario, os dirigentes não tinham perfil combativo e sim de cortesãos

    e que exerceram a vocação laudatoria da entidade com o governo de plantão, qualquer governo, vocação que vem desde Euvldo Lodi, que era muito mais politico do que empresario, deputado federal ligado ao getulismo e patrono historico.

    Hoje e desde 2010 a CNI e comandada pelo mesmo esquema de cartas marcadas, nunca houve eleições reais com chapas disputando, pelo mineiro Robson Andrade, dona de uma empresa de serviços de manutenção à companhias eletricas.

    A CNI disputa com a Confederação Nacional do Comercio a corrida para agradar Presidentes que entram. A CNC teve um presidente fixo por 40 anos (Antonio de Oliveira Santos). São entidades encrustadas no Governo Federal, sem nenhuma independencia, comportam-se como anexos do Ministerio e jamais batem de frente com os Ministros economicos.

    Não se conhece dessas entidades nenhum grnde projeto ou visão do papel da industria no futuro do Pais, a CNI assistiu a desindustrialização sem um pio, seu orçamento e grandioso, sua sede é majestosa, no governo militar era interessante ver a corrida de dirigentes se atropelando para chegar mais perto dos generais-presidentes, a vocação é chegar perto do poder.

    Essa pesquisa se insere nessa vocação de agradar e prestar serviço a qualquer governo entrante, é sina de berço.

    •   Obrigado por destrinchar o

        Obrigado por destrinchar o que eu apenas tive condição de imaginar.

        A propósito, cuide bem da saúde, hehe. Você é imprescindível.

      • Agradeço o imerecido elogio.

        Agradeço o imerecido elogio. Fui testemunha direta desse processo de entidades ditas representativas do empresariao, por muitos anos fui dirigente (1º Tesoureiro)  do maior sindicato nacional de industria (a Eletro Eletronica) na época do regime militar e conheço bem a area, não evoluiu bsolutamente nada desde sua fundação. Já o mesmo não acontece nas Associações de natureza civil que representam bem segmentos do empresariado, são representativas e independentes, CNI é outro mundo.

        Essas entidades de cupula “são coro do governo”, jamais se colocaram em posição minimamente contraria em relação a  qualquer goveno, da esquerda, centro ou direita.

  10. Um comportamento que se reproduz por todo o mundo.

    Ficar surpreso que um presidente recém eleito tenha uma aprovação maior do que obteve na sua eleição, é não conhecer o comportamento humano.

    As pessoas nos primeiros meses de um governo agem como torcedoras de times que estão perdendo de 1 a 0 e o torcedor tem certeza que o escore poderá ser revertido.

    Passada uma eleição como a maioria das pessoas não são masoquistas elas desejam que a sua situação melhore, porém este desejo dura pouco tempo, e a reversão nas espectativas podem mudar rapidamente.

    Macron, na França, propôs claramente uma política neo-liberal e nos primeiros meses a população o apoiava, passado 18 meses a sua aprovação está em torno de 20%.

    A racionalidade e a avaliação precisa dos governos vem com o tempo e com a reprodução do pensamento para as camadas populares daqueles que tem melhores condições de análise para estas vem com o tempo, e quanto maior for o sentimento de ter sido enganado maior é a revolta.

    Temos que nos dar conta que mesmo neste período de namoro entre o governo e população, esta mesmo se deixa a ser levada, apasar de saber que está sendo enganada, porém como um bom torcedor, ela torce!

  11. Diário do Centro do
    POLÍTICA|BRASIL|MUNDO|MÍDIA|COMPORTAMENTO|CULTURA|ECONOMIA|ESPORTE|ESPECIAIS DCM      

    Bolsonaro lava as mãos e diz que Deus vai salvar o Brasil do desemprego

      ​ ​ Publicado em 13 dezembro, 2018 11:20 pm 

    Do Twitter do presidente eleito:

    O desemprego traz realmente uma depressão, mas isso foi culpa deles de ter deixado o país nessa situação, 12 milhões de desempregados, mas Deus vai tirar nosso Brasil desta situação.

    Jair Bolsonaro. Foto: Divulgação/TwitterJair M. Bolsonaro@jairbolsonaro_2  

    O desemprego traz realmente uma depressão, mas isso foi culpa deles de ter deixado o país nessa situação, 12 milhões de desempregados, mas Deus vai tirar nosso Brasil desta situação.

     1.49415:29 – 13 de dez de 2018Informações e privacidade no Twitter Ads 302 pessoas estão falando sobre isso Informações e privacidade no Twitter Ads  

    OBS: E se tudo der errado, Bolsonaro poderá dizer que tudo é culpa do brasileiro, que não tem fé.

     

  12. Globo.

         Somem-se à  esquizofrenia , o posicionamento do eleito , contra a mídia ( Globo) . Acho que nestes 64% ,uns 50% aderiram ao ¨fora Globo¨,do eleito. Até eu que não votei ,e sou totalmente contrário , não deixo de ter um ¨sorriso¨ , quando ouvi da bôca do moço.

  13. Não tem jeito. Essa geração

    Não tem jeito. Essa geração de brasileiros é completamente imbecil.

    Só teremos paz daqui uns 50 anos, quando a maioria dessa trupe estiver morta.

    Pelo menos a história do Brasil servirá como aviso para outros países do mundo: isso é o que acontece quando você tem uma população de idiotas… o país se auto-destrói.

  14. Damares trepada na goiabeira
    E o Bolsonaro com sua galinha debaixo do braço. Viva Deus, a Familia, os pés de goiaba e a Zoofilia.
    A Ministra-Pastora Damares, que começa o vídeo com dez anos e o termina com 6 anos de idade, afirma que não está chateada com as memes goiabadas, e que quer falar não de Jesus, mas do pé de goiaba.
    Minha mulher, que defende os evangélicos em qualquer circunstancia, repugnou o video da Damares no qual ela trepa na goiabeira com Jesus, porque é ridículo e mentiroso, pois a Damares diz que tinha 10 anos no começo do vídeo e termina dizendo que tinha 6 anos

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome