Se precisar, serei candidato a presidente em 2018, diz Lula em festa do PT

Lula discursa em comício que comemora 36 anos de PT, no Rio - Foto de Nacho Lemus

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem (27) no Rio de Janeiro que, se o PT entender que é necessário, ele será candidato à Presidência em 2018. A afirmação foi feita durante festa de comemoração dos 36 anos do partido, na cidade do Rio. Em um discurso de quase 40 minutos, Lula criticou a oposição e a imprensa que, segundo ele, estão tentando atingi-lo “com mentiras, com vazamento de informações e a criminalização” por meio de notícias, sem que haja qualquer julgamento.

O ex-presidente negou que seja o dono do triplex no Guarujá e do sítio em Atibaia – imóveis investigados pela Justiça e que tiveram destaque na imprensa nos últimos dias. Segundo ele, o sítio, por exemplo, foi comprado por seu amigo Jacó Bittar. O acordo era que a família de Lula também usufruísse da propriedade quando ele deixasse a Presidência.

“Eles pensam que, com essa perseguição, vão me tirar da luta. Eles não conhecem o PT. Se quiserem me derrotar, não vão me derrotar mentindo. Terão que me enfrentar nas ruas, conversando com o povo brasileiro”, disse Lula. “Se eles quiserem voltar ao poder, vão ter que aprender a ser democráticos, disputar eleições e acatar o resultado. Se eles quiserem, se preparem para 2018. Afiem suas garras e vamos disputar democraticamente”, acrescentou.

Ele destacou que essa situação serve para fortalecer partido. “Eles estão determinados: ‘Vamos destruir o PT’. E eu queria dizer para eles: Vocês não vão nos destruir. Nós sairemos mais fortes dessa luta.”

Em seu discurso, Lula também disse que, apesar das divergências entre o PT e o governo da presidenta da República, Dilma Rousseff, o partido está ao lado dela. Lula disse que está à frente de um exército de milhares de soldados para defender o mandato de Dilma.

Leia também:  Agora no PSDB, Bebianno critica Bolsonaro: "é fábrica de problemas"

“Por mais que tenha discordância em alguma coisa, a Dilma tem que ter certeza de que o lado dela é esse. Ela precisa de nós para poder sobreviver aos ataques que ela vem sofrendo no Congresso Nacional pelos nossos adversários”, disse Lula.

Lula foi o grande homenageado da festa de 36 anos do PT, no Armazém da Utopia, na zona portuária do Rio de Janeiro.

*Texto alterado às 22h14 para acréscimo de informação.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. É desse homem em cima de um

    É desse homem em cima de um palanque que eles têm medo, pelo que se tem visto um medo pânico mesmo, por isso estão instalando a ditadura do judiciário. 

  2. Republicanismo

     

    Eu só votaria nele, se fizesse uma nova “carta aos brasileiros” garantindo renunciar ao republicanismo. Renunciar a lista tríplice, às nomeações republicanistas do STJ, desistir de manter um ministro da justiça republicanista, e inerte.

    Fala sério, depois dos Joaquins Barbosas, dos Janots, dos Zé Cardozo, alguém ainda espera que Lula vá resolver alguma coisa, ou sequer recolocar a Polícia Federal na disciplina de novo? Que vá enfrentar o PiG de verdade?

    Ciro Gomes 2018

    • Do denuncismo ao republicanismo

      No tempo da UDN, a esquerda chamou de “denuncismo” à mania burguesa de denunciar a corrupção. A moda agora é chamar de “republicanismo” à mania de governar obedecendo à pluralidade democrática…

      • Caro Pedro

        O termo “Republicanismo” foi utilizado pelo próprio Lula, para justificar a asneira que fez ao nomear Joaquim Barbosa para o Supremo. Para não admitir que cometeu uma asneira colossal, criou um termo técnico, que parecesse bonito.

        O problema não foi Lula errar. O problema é o PT insistir no erro. Manter zé Cardozo no Ministerio da Justiça até hoje, mesmo ele abençoando a quebradeira de empreiteiras nacionais pelo Juiz de Curitiba. Manter Janot na Procuradoria Geral da Republica até hoje, mesmo sabendo que ele é tucano.

        Depois de todas estas prisões e empreiteiros, ninguém vai querer mais fazer obras para um governo petista, traduzindo, nunca mais teremos um governo petista com crescimento de PIB robusto, pois as empreiteiras são o motor da economia.

        Com o PT no Governo, seja com Lula ou Dilma, o Judiciário continuará batendo no PIB do Brasil.

         

  3. E nem uma palavra sobre a Petrobrás ?

    Lula falou 40 minutos e não dedicou um minuto à Petrobràs, uma de suas bandeiras mais caras ! Até agora nem umporonunciamento a respeito do tema.  Não é comum esse silêncio de sua parte num tema tão sensível quanto a Petrobras.   No acordo do Planalto, articulado por  J. Wagner, que é sua alma gêmea,  com  o Senado, me pergunto se Lula participou ou ficou de fora.
     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome