Direção muda e Petrobras vende tudo

Jornal GGN – A Petrobras anunciou que vai vender para a Statoil (a estatal norueguesa de petróleo) toda sua participação no bloco exploratório BM-S-8, localizado no pré-sal da Bacia de Santos, em um negócio de US$ 2,5 bilhões. A participação da Petrobras no bloco é de 66%.

Outros 14% estão com a Petrogal, 10% com a Queiroz Galvão e 10% com a Barra Energia. Caso tenham interesse, esses parceiros poderão exercer o direito de preferência na aquisição. Mas precisarão pagar, no mínimo, o mesmo valor ofertado pela Statoil.

No anúncio da venda, o diretor de Finanças e de Relações com Investidores, Ivan Monteiro, e a diretora de Exploração e Produção, Solange Guedes, disseram que a estratégia da Petrobras é priorizar os ativos que permitam manter a padronização de equipamentos, como forma de reduzir os custos de investimento.

Além disso, a estatal brasileira está preferindo focar na receita de curto prazo, para tentar “melhorar o perfil da dívida”. A meta de desinvestimentos no biênio 2015-2016 é de U$ 15,1 bilhões. Sem a venda do bloco, os diretores dizem que o número não será alcançado. 

O bloco ainda está em fase de exploração, ou seja, ainda não começou a produzir petróleo. “Não existem reservas associadas a esse ativo e a produção aconteceria em meados da próxima década”, disse Solange Guedes para justificar a operação. Ela afirmou que a área exigia investimentos que agora poderão ser destinados a campos já que estão produzindo ou que vão produzir em um prazo mais curto.

Monteiro disse que trabalhará “incansavelmente” para alcançar a meta de desinvestimentos até o final deste ano. Ele afirmou que já entraram no caixa da Petrobras US$ 700 milhões pela venda do controle da Gaspetro para a Mitsui, em dezembro de 2015, e US$ 900 milhões pela venda da Petrobras Argentina para a Pampa. Ele espera fazer outros US$ 464 milhões com a venda da Petrobras Chile para a Southern Cross Group.

Solange Guedes disse que o negócio é importante não só pelo dinheiro que entra no caixa, mas também pela consolidação da parceria com a estatal norueguesa. “A Statoil representa muito para nós. Somos parceiros tecnológicos de longa data e há bastante tempo temos a ambição de trazê-la para essa parceria estratégica”. Ela disse que as empresas têm um perfil parecido de compromisso com seus países de origem.

Petrobras e Statoil estão negociando um Memorando de Entendimento para avaliar outras iniciativas de “cooperação estratégica”, “com o objetivo de uma atuação de longo prazo”. A companhia brasileira disse, em nota, que “a operação abre oportunidades para que parcerias com outras empresas, com forte expertise e condições de investimento, contribuam para o fortalecimento da indústria de óleo & gás no Brasil”.

Além da venda do BM-S-8 para a Statoil, a Diretoria Executiva da Petrobras aprovou a negociação da Suape (Companhia Petroquímica de Pernambuco) e da Citepe (Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco) com a mexicana Alpek, que terá exclusividade de até 90 dias na aquisição.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Mas quem tem “expertise” na

    Mas quem tem “expertise” na exploração em águas profundas é a Petrobrás e não a Statoil. Não deveria ser a Petrobrás a querer fazer a parceria, mas sim quem vai absorver a tecnologia. E como vendem sem saber o potencial do campo? Estimaram em quanto barris aquilo que foi vendido??

    • Acabo de ler uma reportagem

      Acabo de ler uma reportagem de Carta Capital sobre o INSTITUTO MILLENIUM. Vejam quem é um dos mantenedores (doadores):

      Entre os “mantenedores e parceiros”, responsáveis pelo suporte financeiro do instituto, estão empresas como a Gerdau, a Localiza (maior locadora de veículos do País) e a Statoil, companhia norueguesa de petróleo. No “grupo máster” aparece a Suzano, gigante nacional de produção de papel e celulose. No chamado “grupo de apoio” estão a RBS, o Estadão e o Grupo Meio & Mensagem.

      Mera coincidência?? Apoiaram o golpe e agora colhem os frutos?

  2. direção muda…

    Só uma pergunta, alguma vez a  Noruega vendeu algum dos seus ativos para a brasileira Petrobrás? Só para eu entender de “grandes negócios”. 

  3. Os entreguistas são acusados de improbidade administrativa

    Prezada equipe do GGN, prezados leitores.

     

    Não podemos nos esquecer de que tanto Pedro Parente – ministro do apagão –  como José Serra, são acusados de iprobidade adminitrativa, como se pode ler em http://brasileiros.com.br/2016/03/stf-desengaveta-acao-de-improbidade-de-r-29-bi-envolvendo-serra-e-ministros-de-fhc/. Esses predadores e entreguistas precisam ser denunciados pelos jornalistas independentes. JS tarja-preta tem compromisso de entregar a Petrobrás à Chevron; Pedro Parente já começou o serviço, mesmo antes da consumação do golpe. 

    As omissas, covardes e coniventes FFAA estão assistindo à pilhagem e ao entreguismo das riquezas e empresas estratégicas pelas quadrilhas oligárquicas. Até agora não fizeram nada. Onde estão Exército, Marinha, e Aeronáutica que se ufanam e se auto-proclamam defensores da Pátria, dos interesses e soberania nacionais?

    Traidores, golpistas e pilhadores do Estado brasileiro já deveriam estar presos. 

    Mas as FFAA só se mostram valentes para perseguir e reprimir militantes políticos da Esquerda, não é mesmo?

  4. A diretoria da Petrobrás

    A diretoria da Petrobrás dizia que estava vendendo os ativos para priorizar investimentos no pré-sal.

    Agora, vende um mega campo do pré-sal.

    Seria cômico, se não fosse trágico.

    • Tristeza

      Dá vontade de chorar. Minha ex-aluna Solange Guedes falando uma besteira como essa: “A Statoil representa muito para nós. Somos parceiros tecnológicos de longa data e há bastante tempo temos a ambição de trazê-la para essa parceria estratégica”. Que parceria ela se refere? A Petrobras vendeu toda a participação, então não tem parceria nenhuma, é a Statoil ganhando sem nenhum esforço exploratório um campo gigante no Brasil. A quem querem enganar? Isso não é parceria, é entreguismo mesmo.

      Estão entregando e chamando de “venda”, de “parceria”. Como foi mencionado, é a famosa estratégia de matar a boiada para acabar com os carrapatos.

  5. Os entreguistas são acusados de improbidade administrativa

    Prezada equipe do GGN, prezados leitores.

    É preciso denunciar os entreguistas Pedro Parente e José Serra, acusados de improbidade administrativa. Parente já começou a privatizar e entregara a Petrobrás aos gringos, como prometeu o JS tarja-preta.

    Vamos relembrar, fazer novas reportagens e denunciar esses vendilhões da Pátria. http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1754414-stf-desarquiva-acoes-contra-ministros-de-fhc-por-improbidade.shtml

     

  6. US$ 2, 5 Bi X US$ 12,0 Bi

      Estes 2,5 entrando  em caixa, na melhor das hipoteses, dá para desalavancar uns US$ 12,0 de divida futura vincenda, ou no até estender/virar uns US$ 15,0 Bi de “papel”, alem de mostrar ao mercado – aos detentores das dividas/papéis – que o compromisso da Petrobrás em desinvestimento, redução de “frentes”, preservar/recuperar a geração de caixa, é real.

       O mercado compreendeu em parte a iniciativa, levou para cima na sexta feira, e realizou hoje – praticamente zerou – , ou seja, aceitou, mas espera mais para continuar confiando.

  7. o petroleo está secando no norte ….

    estão garantindo o pão nosso de cada dia …. do noruegueses.

    a proposito, qual a estimativa de petróleo nesta bacia? Sem este dado, 2,5 bilhões é chover no molhado.

  8. A empresa norueguesa que

    A empresa norueguesa que comprou essa mamata de Carcará, a Statoil, é uma empresa estatal e a Noruega constitui um fundo das receitas operacionais em benefício do país.
    Tem corrupção? Não sei, mas se tiver tem que ser um negócio muito bem feito e estruturado porque se pegarem o cara tá fudido. E via de regra em países civilizados e de justiça justa, Delação Premiada, se admitida, o cara entrega a proposta na hora que se apresenta a prisão. 
    Juízes de cortes e instâncias não se reúnem em alcovas e nem pregam no jornal das 8.

    Imagina um juizinho de primeira instância comprometendo toda a infraestrutura de um projeto de nação desses…

    Estão COMPRANDO.

    E nós que antes meio que copiamos a ideia deles, agora estamos VENDENDO. E barato.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome