Após suicídio de Cancellier, Dallagnol se solidarizou à Erika Marena: “bando de imbecis”

"Um bando de imbecis", disse o procurador da Lava Jato à delegada após suicídio do reitor. GGN produziu documentário, assista

Foto: Reprodução/Redes

Jornal GGN – “Bando de imbecis”, disse o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, em solidariedade à Erika Marena pelas críticas à Operação Ouvidos Moucos contra o ex-reitor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Luiz Carlos Cancellier, que o levou ao suicídio.

Cancellier cometeu suicídio em outubro de 2017, após ser alvo de uma intensa perseguição judicial, sem provas, sob o comando da delegada Erika Marena. Após participar da Lava Jato, ela foi transferida para o comando da Polícia Federal em Florianópolis, Santa Catarina.

“Erika, vi a questão do suicídio do reitor da UFSC. Não sei o que passa pela sua cabeça, mas pelo amor de Deus não se sinta culpada. As decisões foram todas dele. Não sei se publicamente houve algum ataque, mas se Vc quiser qq expressão pública de solidariedade, conte comigo” [sic], disse Dallagnol à delegada.

O caso do reitor voltou ao noticiário com o lançamento do documentário “LEVARAM O REITOR Quando o modelo Lava Jato adentrou uma Universidade“, uma produção de Patricia Faermann, edição de Nacho Lemus e ideia de Luis Nassif do GGN.

Ainda em 2017, sobre o episódio, após a morte de Cancellier, Deltan Dallagnol não manifestou solidariedade à vítima ou familiares, mas à delegada. É o que mostra hoje mais um trecho revelado das conversas entre os membros da força-tarefa, obtidas pelo The Intercept Brasil, na chamada Vaza Jato.

“Erika, eles não prevalecerão. É um absurdo essas críticas. Um bando de – perdoe-me – imbecis”, disse. “Não fique chateada, amiga, que eles não merecem”, acrescentou.

“Oi Deltan, está bem pesado, estamos como instituição e eu particularmente sofrendo muito ataque baixo nível, hoje faz uma semana da morte e a situação só veio piorando”, havia respondido Erika Marena.

O documentário “LEVARAM O REITOR – Quando o modelo Lava Jato adentrou uma Universidade” estreou em dezembro no canal do GGN no Youtube e contou com uma superlive de lançamento, com a participação de juristas, acadêmicos e jornalistas que debateram o caso.


Assista ao documentário:

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AMBAR

- 2022-01-19 17:16:37

Érika e Deltan sofrem de outrofobia, que é a fobia pelo outro. Como essa fobia não atinge somente a eles, por essa mesma fobia serão justiçados. Hei de ver! O curioso é que o "ungido" pastor Deltan, é um ser que sente sagrado e a delegada, suponho, não menos sagrada e mais poderosa. São eles , sem dúvida, dois poderosos monstros sagrados.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador